Palavra

CHEFES DE ESTADO

Palavras: , califa , doge , duce , emir , pendragon , sultão , tetrarca , , xógum

 

 

– Vô, acho que estou cansado de ver citarem presidentes, primeiros-ministros, e coisas assim. São muito poucas as escolhas.

– Você se refere às palavras usadas para os cargos mais importantes de uma nação? Ora, rapazinho, tantos outros… Por exemplo, rei, cacique, imperador, czar, rajá, príncipe…

– Pois é, prezado antepassado, mas a coisa não vai muito além. Eu gostaria de novidades no assunto.

– Parece-me é que você está com muito tempo livre nas mãos. Se estudasse mais, não se gastaria com isso.

– O senhor já disse que devanear traz criatividade.

– Verdade, penso assim. Eu estava apenas aproveitando para mangar de você.

Mas, ilustre descendente, devo dizer que há muitos títulos importantes que a maioria desconhece. Especialmente os pouco preparados que nem você.

– Pois então me conte sobre isso. Vou até me sentar aqui no banquinho para aguentá-lo.

– Vou permitir que o meu cérebro privilegiado comece a catar conhecimentos para espantá-lo. Ah, eis aqui.

Vamos começar por amir ou emir. É o título de líderes ou chefes militares em vários países de língua Árabe.

– Eu tive um coleguinha com esse nome há anos.

– É muito usado como nome próprio. Tem origem semítica e quer dizer “príncipe”, ou “aquele que dá ordens”. Não admira que seja bastante comum.

Outro que me ocorre é .

– Não venha me dizer que é o feminino de “coa”, Vô!

– Fique quieto. Essa não teve graça. Esta palavra se usou para os imperadores mongóis. Geralmente se apresenta na forma inglesa, Khan.

– Ei, tem a ver com o Gengis Khan?

– Milagre, Senhor, iluminaste as trevas mentais deste rapaz! –  disse o velho,  revirando os olhos para o céu.

– Eu também sei algo de História, Vô, embora não pareça.

– Muito bem, esse cavalheiro foi um de vários Khan que existiram e esta é uma palavra mongol para “soberano”, “chefe militar”.

– Mas esse título não se usa mais, não?

– Fique sabendo que este ainda está em uso na Ásia, Turquia e até no leste da Europa.

– Que coisa… Continue!

– Agora vou trazer à tona um título extinto: Pendragon.

– Esse eu também conheço, das histórias do Rei Artur!

– Está me saindo culto este rapaz. Um espanto. Muito bem, fique sabendo que esse era o título de diversos reis da Inglaterra e deriva do Galês Pen Draig, de pen, “cabeça”, mais draig, “dragão”.

– Legal, “cabeça de dragão”!

– Não, está mais para “dragão-chefe”. Acabou sendo confundido com um sobrenome e aplicado à família do rei Artur.

Indo mais para leste, também podemos lembrar os sátrapas. Estes eram os governadores de províncias em impérios remanescentes do Império Persa. A palavra vem do Grego satrapes, do Persa antigo xsaçapavan, “protetor da província”, onde a primeira metade da palavra queria dizer “reino ou província” e a outra, “aquele que protege, que defende”.

Em nosso idioma e em outros, hoje, essa palavra ostenta conotação pejorativa. Usa-se de pessoa que se apóia em alguém de maior poder para ter comportamento arbitrário e servil.

Indo mais longe ainda, encontramos o xógum, que era o nome de chefes militares no Japão em determinado período. Deriva do Mandarim chiang chun, “general”, uma expressão que queria dizer “chefiar o exército”.

Chegou a vez de falar sobre Sultão, “soberano de um país muçulmano”. Veio do Árabe sultan, “rei, soberano, poder”, do Aramaico shultana, “poder”.

O que me faz pensar em califa, nome que se usou para líderes de Bagdá até há muitos séculos e que teve seu papel no Império Turco também. Vem do Latim calipha, do Árabe khalifa, “sucessor” – no caso, de Maomé – de khalafa, “suceder”.

Podemos também lembrar o título do supremo magistrado das Repúblicas de Veneza e Gênova no século XVI, o Doge.

– O dono da marca de automóveis?

– Aquela marca é Dodge, e você sabe muito bem, não seja tolo. O título derivou do Latim dux, “líder”, do verbo ducere, “guiar”, chefiar”, que originou o nosso duque.

Originou também o título de Duce, assumido por Benito Mussolini como líder da Itália fascista.

– Puxa, eu não pensava que havia tantos títulos.

– Estes são apenas amostra. Temos também o , que…

– Já sei, foi quem inventou a famosa bebida…

– Nem mais um pio, ou expulso você daqui. Como eu ia dizendo, esta vem o Persa Shah, “rei, soberano”, uma alteração de xsayathiya, “rei”, do Indo-Iraniano ksayati, “ele tem poder sobre, ele comanda”.

– Vô, o senhor sabe um bocado!

– Eu não era assim quando nasci, meu caro. Aprendi através do estudo.

– Está quase me convencendo. Mas conte algo mais.

– Uma palavra que aparece na Bíblia e que deixa muitos intrigados é Tetrarca. Ela se refere ao soberano de uma quarta parte de província ou país na antiga administração romana. Vem do Grego tetra, mais arkhos, “líder”.

E por hoje basta, que essas cabecinhas modernas não têm muita capacidade e não quero ser acusado de rompimento de crânios adolescentes.

 

Resposta:

A palavra “cá”

Palavras:

Eu consegui aprender por aqui várias etimologias, como as de “aqui”, “aí”, “ali”, “lá”, “acolá”… Mas resta a dúvida… de onde é que veio essa palavra estranha, “cá”, que eu uso como sinônimo de “aqui”… aliás, É sinônimo de “aqui” ou não é? há diferença de uso? Mas, principalmente… de onde veio?

Resposta:

Ela vem do Latim ECCUM HAC; a primeira palavra quer dizer “eis aqui”, usada enfaticamente com a segunda, que é “por aqui”.

Isso virou ECC’HAC, depois ECCÁ, depois ACÁ (igual ao Espanhol) e finalmente “cá”.

Usa-se muitas vezes como sinônimo de “aqui”. Mas nem sempre. Não cabe dizer, por exemplo, “Cá nesta praça foi fundada a cidade tal”.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!