“nü’hora”.

Estou aqui lendo alguns dos sonetos de Camões. No de número 114 encontrei a palavra “nü’hora” — creio que signifique “embora”, mas esta palavra, como vi a pouco aqui no site, vem de “em boa hora”, portanto não vejo como possam vir de uma origem comum (isso, é claro, se for mesmo uma variação de embora). Eis aqui o soneto:

Ah! Fortuna cruel! Ah! duros Fados!
Quão asinha em meu dano vos mudastes!
Passou o tempo que me descansastes,
agora descansais com meus cuidados.

Deixastes-me sentir os bens passados,
para mor dor da dor que me ordenastes;
então nü’hora juntos mos levastes,
deixando em seu lugar males dobrados.

Ah! quanto milhor fora não vos ver,
gostos, que assi passais tão de corrida,
que fico duvidoso se vos vi:

sem vós já me não fica que perder,
se não se for esta cansada vida,
que por mor perda minha não perdi.

E então, o que me diz?

Aprecio muito o trabalho de vocês, sem comparação com qualquer outro em português!

PS: Reparei que “asinha” ainda não está na lista aqui do site…

Resposta:

A expressão nu'hora, que nos parece tão estranha nada tem a ver com embora. É simplesmente um encurtamento de numa hora. Olhemos parte de um soneto de Camões: Estando em Terra chego ao céu voando nu'a hora e acho  mil anos e é jeito que em mil anos não posso achar u'hora. Licenças poéticas...   São tantas as palavras que não estão na Lista... Esta não tem a pretensão de ser abrangente, é feita conforme a demanda do site. Asinha, com seu sinônimo aginha, significando "depressa, rapidamente, de repente", veio do Italiano AGINA, relacionada a AGINARE, uma alteração de AGERE, "executar, realizar, fazer".