Conversas com meu Avô

Estrelas [Edição 17]

  Eu devia estar com quatorze anos e tinha ido visitar meus avós lá pelo fim de uma tarde de verão. Eles me convidaram para jantar e claro que eu aceitei. Depois da janta, quando estava escurecendo, fui com o Avô ao pátio, para sentar um pouco e digerir as delícias que tínhamos honrado há leia mais

Humor [Edição 16]

Eu estava pelo fim do secundário e tinha ido visitar meu avô. Fomos ao pátio brincar com o gato Ernesto. Este era um animal enorme, pêlo longo, todo cinzento, muito bom companheiro – pelo menos enquanto ninguém lhe tocasse a barriga, que aí ele virava uma fera. Ele estava muito contente por eu estar ali, leia mais

Acampamentos [Edição 15]

Eu tinha quatorze anos e estava assanhadíssimo. Queria dar logo a notícia ao meu avô. Cheguei ao seu gabinete, entrei e o vi sentado à sua poltrona de couro, fazendo consertos com agulha e linha forte num guardachuva. – Vô, posso entrar? – Se não for para incomodar… sua expressão desmentia a resposta mal-encarada – leia mais

Abreviaturas [Edição 14]

Palavras: aa , apud , biblionímia , cat , cf , citar , col , e comercial , eg , et al , et alii , et cat , et col , etc , etcétera , exemplo , fl , i e , ibidem , idem , ie , inter alia , ms , n a , n b , nt , opcit , p ex , pág , passim , pentimentos , ps , qv , sc , sic , vg , viz , vol

  Eu tinha sido aprovado no Vestibular e estava cursando o primeiro semestre da Faculdade. Meu avô, naturalmente, estava muito orgulhoso. E com especial razão: a cultura em que eu me havia embebido, o amor pela leitura e o impulso para o estudo que ele me havia passado nos anos de nosso convívio tinham tornado leia mais

Adivinhando [Edição 13]

Eu andava pelos 15 anos e estava contestando tudo, menos o meu avô. O velho cavalheiro tinha dentro do meu coração um lugar do tamanho de sempre, e eu sabia que a recíproca era verdadeira. Entrei no seu gabinete enquanto ele desempoeirava alguns objetos, já que ele não deixava ninguém mexer naquele lugar sagrado. Entre leia mais

Gente Chata [Edição 12]

  Eu estava na sétima série. Tinha ido pedir ajuda com alguns problemas de Matemática ao meu avô em seu gabinete, todo macio de madeiras, livros e couro. O velho de barba branca curta e olhos claros também era macio. Por dentro, que por fora parecia ser cheio de arestas e resmungos. Eu era o leia mais

Jogos [Edição 11]

  Eu era adolescente e fazia tempo que entrava no gabinete do meu avô sem hesitar. Há muito eu tinha percebido como era sólido o nosso laço e me sentia seguro e acolhido ao visitá-lo. Volta e meia eu passava por lá. abatido por alguma dor familiar ou da adolescência e, mesmo sem que entrássemos leia mais

Cosmos [Edição 10]

  Meu avô está sentado à sua cadeira estofada de couro, para variar, lendo. Deixou a porta entreaberta e de repente vê a cabeça de um menino de nove anos espiando-o. Sou eu. Ele larga o livro e me chama para entrar. Só muito tempo depois foi que percebi que aquela porta não estava aberta leia mais

As Férias [Edição 8]

Eu tinha meus dezessete anos e estava voltando das férias na praia. Estava muito bom lá, mas voltar para casa quando tudo está bem nela sempre é agradável. Depois de largar a minha bagagem e tomar um banho, não pude resistir e fui visitar meus avós paternos, que moravam perto. Lá estava só o velho, leia mais

Gregário [Edição 7]

Eu estava quase no fim do primário. Em visita à confortável casa dos meus avós paternos, dirigi-me ao gabinete cheio de livros do meu avô, do qual os meus primos fugiam mas com quem eu gostava tanto de conversar. Olhei pela porta: ele estava sentado à sua cadeira de balanço, lendo – para variar. Pedi leia mais

Cachorro [Edição 6]

Aproximei-me devagar do gabinete do meu avô. A porta estava aberta, sinal de que o velho estava acessível. Quando estava fechada, sabíamos que não era para entrar, nem mesmo bater. Meus primos e eu nos perguntávamos se, nessas ocasiões, ele estaria fazendo uma invenção estranha que o deixaria rico, se estava lendo ou simplesmente dormindo. leia mais

A Roupa De Festa [Edição 5]

Palavras: escuras , gravata , pente , sapato , suéter , terno

Tocou a campainha e eu fui abrir, aliviado por poder me afastar um pouco da briga. Mais aliviado ainda fiquei por ver que era meu avô paterno que vinha nos visitar. Ele olhou para minha mãe e logo percebeu que havia algo errado por ali. Ela parecia arrepiada, como sempre que está braba. O velhote leia mais

Desastre [Edição 4]

Cheguei ao pátio da casa dos meus avós e vi o velhote sentado numa cadeira rústica, olhando as brincadeiras do seu gato entre as plantas baixas.Fui logo falando sobre algo que me intrigava: – Vô, o primo Ricardo me disse que os Considerandos eram uma tribo bárbara que dava muito trabalho aos advogados antigamente, mas leia mais

Anedota [Edição 3]

Palavras: anedota , bizâncio

Eu estava no começo da adolescência. Tinha ido à casa dos meus avós paternos e cheguei à porta do gabinete do meu avô. Ela estava aberta; vi o velho limpando uma estante de livros com um pano. Entrei e cumprimentei-o. Ele me deu um abraço com o calor de sempre. Só muito mais tarde foi leia mais

A Bússola [Edição 1]

Eu tinha entrado no gabinete do meu avô para o cumprimentar. Sentia-me bem entre aquelas prateleiras forradas de livros, entre os objetos que ele tinha espalhados por ali, mas acima de tudo eu gostava de estar com ele. Meus primos, algo maiores do que eu, não apreciavam aquilo tudo e pareciam sentir certo medo do leia mais

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!