X-8 Detetive Etimológico

Manobras Do Arqui-inimigo [Edição 17]

Está ventando muito no pior bairro da cidade. Pelo ar espesso passam pedaços de papel, poeira, esperanças perdidas. São raras as folhas secas; as árvores são escassas. Pelo chão rolam garrafas plásticas, correm os animais da degradação urbana, abrem-se revistas que ninguém vai ler. Muito poucos são os que se aventuram fora de casa esta leia mais

Múltiplas Personalidades! [Edição 15]

  X-8 está nervoso. No dia anterior não tinha tido nenhuma palavra cliente. Hoje o seu horário de trabalho está por terminar (já passa das nove da noite; ele fecha a sua porta rigorosamente às dez, se não estiver atendendo a freguesia) e nada ainda. Palavras ingratas, que deixam de consultar depois de todos os leia mais

Problemas Existenciais [Edição 14]

  O famoso detetive etimológico anda qual fera enjaulada em seu escritório desarrumado. As sombras que se espalham por todo o aposento o engolem e ele ressurge pouco adiante, à luz amarelada do cartaz que fica logo do lado de fora da janela. Ele está visivelmente nervoso. Algo lhe falta, algo que ele queria não leia mais

Emboscada! [Edição 13]

  Um edifício com cinco andares, paredes descascadas, numa esquina escura. O quarteirão se apresenta em estado deplorável de desleixo: o lixo nas ruas é tanto que dificultaria o trânsito. Felizmente quase não passam veículos por ali, que ninguém tem tanta coragem assim. Nas calçadas é difícil caminhar pelo mesmo motivo, mas também não é leia mais

Gíria e Companhia [Edição 12]

  X-8 está no seu escritório desarrumado e empoeirado. Tudo ali dentro dá a curiosa sensação de ser em preto e branco. A luz forte do cartaz logo ali fora da janela entra de lado, causando sombras estranhas, dignas de uma história do “Spirit”, desenhadas por Will Eisner. Ele aguarda a sua clientela. Espera, como leia mais

A Máfia Da Massa [Edição 11]

  O famosíssimo Detetive Etimológico X-8 está em seu escritório. Como sempre, a sala está cuidadosamente suja e desmazelada. O prédio é pior ainda e o bairro ao redor do prédio, então, nem se fala. Ele foi apagado do mapa há muito tempo. Os serviços públicos deixaram de ser prestados, pois a prefeitura desistiu e leia mais

Presta Serviços à Policia [Edição 10]

  Observação: para um resumo da primeira parte, nada melhor do que a ler inteira, descendo até o fim desta página e clicando na edição anterior. Mas, se você está chegando agora ao site e está com muita preguiça (feio, isso!), aqui vai um resumo ao quadrado: nosso Detetive Etimológico é levado para ajudar a leia mais

Raptado! [Edição 9]

  O escritório de súbito fica totalmente às escuras. Seu proprietário, o famoso Detetive X-8, utiliza imediatamente seus elevados dons dedutivos para fazer a hipótese de que o cartaz luminoso do lado de fora da janela, cuja luz ele sempre aproveitou, pifou de novo. Não faz mal, pensa. Como uma pessoa afeita às mais tenebrosas leia mais

Corrente [Edição 8]

  A banda termina de tocar o Hino Nacional. O estádio atopetado de gente e de palavras mantém um silêncio respeitoso quando a figura de gabardine clara, com o chapéu bem enterrado na cabeça de modo a lhe ocultar totalmente o rosto, sai de um dos vestiários e se dirige ao estrado erguido perto de leia mais

Gárgula [Edição 5]

É noite na pior parte da cidade. Aliás, no resto dela também. No seu escritório mal-encarado, X-8 espera uma cliente que tinha marcado hora por telefone. Ela havia exigido que não houvesse mais ninguém na sala de espera. Ele garantiu que não haveria. Fácil: seu escritório não tinha sala de espera. Fora da sua porta leia mais

Horrível Criatura [Edição 3]

X-8, o detetive particular que trata apenas de casos de palavras, está em seu escritório, na pior parte da cidade. O bairro é tão ruim que nem figura nos mapas. Ele é um grande marqueteiro pessoal. Sabe que, além de competência, o público exige um algo mais de um produto. Por isso, ele começa a leia mais

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!