Pergunta #9967

boa noite, gostaria de saber a origem da palavra corinthians. obrigada.

Resposta:

Vem da região de Corinto, na Grécia. A vida pouco regrada dos seus habitantes era proverbial tanto na Grécia como em Roma.
O adjetivo CORINTHIAN foi aplicado, na Inglaterra do início do séc. XIX, a um grupo de homens rudes que se dedicavam ao pugilismo e às corridas de cavalos.

Pergunta #9966

(faltam só 34)

Resposta:

A luta vai ser acirrada. Ou não?

Pergunta #9964

— Por falar em pirata. . . Onde andará o Visconde? — indagou Pedrinho. — Depois que tirou Quindim da sala não o vi mais.
— O Visconde está armando alguma — disse a boneca, que andava desconfiada de qualquer coisa. — Vamos procurá-lo, já, já, antes que lhe aconteça alguma.
E como tinham de procurar o Visconde, despediram-se de Dona Etimologia, que prometeu aparecer no sítio de Dona Benta.
“Logo que se viram na rua, Pedrinho perguntou à primeira palavra que ia passando se não vira um Visconde assim, assim.
— Um de palhinha de milho no pescoço? Vi, pois não. Passou por aqui inda agora, com um Ditongo debaixo do capote. Ia esperneando, o coitadinho.
— Eu não disse? — berrou Emília. — Eu não disse que o Visconde andava tramando alguma? Mas que quererá ele com um Ditongo, Santo Deus? “

Pergunta #9965

“— Que divertimento interessante não deve ser o estudo de cada palavra! — exclamou Pedrinho. — Hão de ter cada uma o seu romance, como acontece com a gente. . .
— E assim é — confirmou o rinoceronte. — Esse estudo chama-se Etimologia.
— Quem está falando aí em Etimologia? — gritou Pena (dó), que estivera distraída a ouvir a boneca narrar as aventuras da viagem ao céu; e vendo que era o rinoceronte, acrescentou: — A Senhora Etimologia reside aqui perto. Por que não dão um pulinho até lá, para visitá-la?
— Boa idéia! — exclamou Pedrinho. — Mas não é muito rabugenta, essa dama?
— Nada! — respondeu Pena (dó). — É até uma excelente criatura — e sabidíssima, upa!. . . Conhece a vida de todas nós, uma por uma, nos menores detalhes. Sabe onde nascemos, de quem somos filhas e de que modo vimos mudando através dos séculos. Constantemente aparecem por aqui filólogos, gramáticos e fazedores de dicionários para consultar Dona Etimologia a propósito de mil coisinhas.”

Resposta:

Parabéns! Excelente pesquisadora!

Pergunta #9963

-oila, -ola, -orro, -orra, -arrão, -eirão, -alhão, -az, -aço e -ão.
-> São os sufixos de AUMENTATIVO

Resposta:

Olhem que linda esta Diaconisa que faz seus estudos direitinho!

Pergunta #9962

… tanto que o cefalópide não virou POLVÃO. Camarão … qual, diria D.Benta.
Fui ver um filme lindo e voltei do cinema agora, cheia de pontos de interrogação.

Resposta:

Falando nessa simpática senhora, lembra-se que o Visconde de Sabugosa detestava essa terminação e uma vez a tentou raptar para que ela sumisse do idioma? Ele se assustava com o seu som de trovão.

Pergunta #9961

Quando você quer rolo, começa assim: parte de um pressuposto errado. Depois começa a discussão e você joga pedras na Traça.
________ Ah… que jogo pedras nada, só provoco um pouquinho.Mas faz parte do meu show, jogo mesmo beijinhos! É que desde pequena eu implico com palavras em ão e até existiam lá em casa umas brincadeiras de irmãos que não posso contar, pq são longas (mas nada chatas).
“A outra vem do Francês CHAMION, de origem incerta.”
________ Então: essa origem incerta é a que eu queria, viu? Sabia que tinha um ON latino, então farofinei. Que Traça suscetível!
“O nome do crustáceo vem do Grego KÁMMAROS, “lagosta, caranguejo, camarão”.
______ Só pq alguém cismou que devia ser camaRÃO. Pq não CAMARINHO? Ou CAMARO? O “ão” é que é mania latina. Ora!
“O sufixo -ÃO como aumentativo é uma das 5 possibilidades dele em nosso idioma. E não vou falar nas outras, que não concernem ao site, são longas e chatas. zes”
________ Ah, não vai não? Então me dirá só o que é esse ZES?

Resposta:

A Traça sabia que v. ia protestar contra as "pedras jogadas". Ela também gosta de provocar.

Não duvidamos que haja algo de CHÉMIN, "caminho", do L. CAMINUS, nessa origem.

Este ÃO- pode ser resultado do final Grego -ON ou do Latino -AM.

E esse ZES foi um erro atribuído aos duendes, como v. sabe muito bem.

Pergunta #9960

Bom final de semana para todos!
Sua Sapiência poderia me dizer como carro veio dar em caminhão? Assim a palavra não pode ter aumentativo, só diminutivo.E camarão? Nem sempre é palavra de coisa grande, né? O que faz muitas palavras terminarem em ão sem serem ão? Um ON do espanhol, talvez…

Resposta:

... apertei a tecla errada.
Dizia eu, de CAMION, "caminhão", de CHAMION, "charrete", de origem incerta.

O nome do crustáceo vem do Grego KÁMMAROS, "lagosta, caranguejo, camarão".

O sufixo -ÃO como aumentativo é uma das 5 possibilidades dele em nosso idioma. E não vou falar nas outras, que não concernem ao site, são longas e chatas. zes
; ?>