Pergunta #11205

Gostaria de saber qual a origem da palavra compasso, para vêr se a estou usando corretamente.

Resposta:

É o Latim COMPASSARE, "medir uma distância com passos", de COM, "junto", mais PASSUS, "passo".

Pergunta #11192

Croquezz? Hmmm…
Pegadinha com a Diaconisa? Vou escrever para o endereço fornecido e verificar por ela. Meu papel é descobrir coisas!

Resposta:

X-7, fique quieta e vá cuidar do Consultório.

Pergunta #11191

Solicito, como cumprimento dos seus deveres de Diaconisa, o fafvor de avisar periodicamente nossos consulentes que o Consultório estará fechado por motivos aleatórios até o início de março.

Pergunta #11190

qual a origem da palavra miséricordia ela se deriva de qual palara?

Resposta:

Olhe a pergunta 10854.

Pergunta #11189

Qual a origem da palavra cicatriz?

Resposta:

É o Latim CICATRIX, "marca, cicatriz".

Pergunta #11188

Gostaria de saber:
O termo certo é, por exemplo: Duas horas e pouco ou duas horas e pouca?
Atenciosamente.
Orlando Machado

Resposta:

Orlando, não contamos com um professor de Português em nossas hostes e não podemos nos comprometer com uma resposta assim.
Somos apenas um bando de gente esquisita que corre atrás das origens das palavras.

Pergunta #11187

Origem da palavra Plaza significado da palavra Plaza tradução para o português

Resposta:

Essa palavra espanhola que quer dizer "praça" vem do Latim PLATEA, "espaço aberto, pátio amplo, rua larga", do Grego PLATYS, "largo, amplo".

Pergunta #11186

Estava pesquisando no google o endereço da loja quinquillerie, em Paris, e eis que surgiu um link para este site, mas não consegui visualizar o comentário. Vc pode me ajudar. Obrigada,
Kílvia.

Resposta:

Por aqui certamente não apresentamos tal endereço; o que pode ter acontecido é o Google ter descoberto que nós demos a origem da palavra "quinquilharia".

Pergunta #11185

Gostaria de saber o significado da palavra clégima.
Obrigada.

Resposta:

Nós aqui damos as origens das palavras; deixamos os significados para os dicionários, que são muito mais eficazes nisso do que nós.

Pergunta #11184

Muito obrigado!!!

Tem alguma relacao etimologica entre CUIDADO e COGNIÇÃO então? Algo em comum entre pensar e saber? Talvez também com SOCIEDADE e CULTURA?

Abraços
Ezequiel

Resposta:

1) Não. A primeira vem de COGITARE, "pensar" e a outra de GNOSCERE, "conhecer, saber". São atividades mentais relacionadas, mas não são a mesma coisa. A primeira é necessária para a outra.

2) Vale a resposta acima.

3) "Sociedade" v. já sabe de onde vem, "cultura" vem do Latim CULTURA, de COLERE, "cuidar da terra, cultivar plantas" e passou a ser usada metaforicamente em relação aos frutos do estudo e do pensamento em torno do começo do século XVI.

Pergunta #11183

Boa noite.
Há alguma relação entre as palavras gerar, geração e gerência?

Resposta:

As duas primeiras vêm do Latim GENERARE, "gerar, trazer à luz" e a última vem de
GERERE, "administar, cuidar de uma atividade ou negócio".

Pergunta #11182

Olá,

Gostaria de saber a origem das seguintes palavras
TRABALHO
SÓCIO
CUIDADO
COGNIÇÃO

Valeu!!!
Ezequiel

Resposta:

1) Latim, TRIPALIUM, um instrumento de tortura feito com três (TRI) varas (PALIUM).

2) L., SOCIUS, "camarada, companheiro".

3) L., COGITATUS, "ponderado, pensado, bem medido", de COGITARE, "pensar, considerar".

4) L., COGNOSCERE, "chegar a saber, conhecer", de COM, "junto", mais GNOSCERE, "saber".

Pergunta #11181

Olá !
Qual a origem da palavra CARNAVAL ?

Resposta:

É a expressão latina CARNEM LEVARE, "suspender a carne", que era retirada das refeições durante a Quaresma.

Pergunta #11180

qual a origem das palabras
chinelo, roupa, mesa, pao, vento
pneumatica, hidraulica, eletricidade, força, automatico

Resposta:

Cassioti, para evitar sermos usados apenas para fazer trabalhos de aula, este site há tempos determinou que não responde a mais do que 7 palavras por dia. Amanhã v. encontrará as demais respostas.

1) Latim, PLANELLUS, diminutivo de PLANUS, "plano, achatado".

2) Germânico, RAUBA, "botim, coisas roubadas".

3) L., MENSA, "mesa".

4) L., PANIS, "pão".

5) L., VENTUS, "vento".

6) Grego, PNEUMA, "ar".

7) G., HYDOR, "água".

Pergunta #11179

qual a origem da palavra hematoma

Resposta:

É o Grego HAIMA, "sangue".

Pergunta #11178

Qual a origem da palavra Vitória ?
E também gostaria, se desse. Que aprofundasse o assunto da origem da palavra Vitória. Responda o mais rápido possível pois é para um trabalho de escola.
Por favor !

Resposta:

Ela vem do Latim VICTORIA, "vitória", relacionado ao verbo VICERE, "vencer", que também gerou VICTOR, "o que vence, vitorioso".

Pergunta #11177

que significa doiante?

Resposta:

Aqui lidamos com origens. Deixamos os significados para os dicionários, que são muito mais completos do que nós poderíamos ser.
Mas ficamos curiosos de qualquer maneira: a que idioma pertence essa palavra?

Pergunta #11176

GOSTARIA DE SABER A ORIGEM DA PALAVRA “CARDUME”. DE ONDE VEM ? LATIM ? GREGO? QUAL É O SIGNIFICADO DA PALAVRA “CARDUME” AO PÉ DA LETRA EM SUA ORIGEM ? VEJA BEM GOSTARIA DE SABER OS AGENTES FORMADORES DA PALAVRA “CARDUME”. QUE É COLETIVO DE PEIXES OU EM SENTIDO FIGURADO, AJUNTAMENTO DE COISAS EU SEI.

Resposta:

A palavra vem de "cardo", mais "-ume", pospositivo dando a ideia de volume, grande quantidade.
A ideia geral é comparar um grande número de peixes ao aspecto geral dessa planta, arredondada e com espinhos se projetando para o exterior.
"Cardo", designação de várias plantas, vem do Latim CARDUS, o nome dado a esses gêneros.
A palavra "cardume" tem seu primeiro registro em 1552, quando já pertencia ao Português (e formada nele), não se usando mais o Latim fora dos textos eclesiásticos e científicos.

Pergunta #11175

Olá!
Sempre achei que a origem do meu nome fosse grega(senhora, então fazendo uma pesquisa achei origem do nome Kiria: ÀRABE significado do nome Kiria: RAINHA.
Pode me ajudar?

Obrigada!

Resposta:

Em nossa pesquisa apareceram várias hipóteses para esse nome. O que pareceu mais confiável foi a explicação de que tem origem Hebraica e significa "moça, jovem".

Pergunta #11174

Qual a origem das palavras: lagartixa e puxar?

Resposta:

1) É um diminutivo de "lagarto", que vem do Latim LACERTUS, "lagarto".

2) Do L. PULSARE, "tocar, impelir, fazer vibrar".

Pergunta #11173

oi, td bem?? Gostaria de sua ajuda para
saber de onde vem “visitar” e “vizinho”.. vc poderia me ajudar??
Desde já, agradeço

Resposta:

Como não?

"Visitar" vem do Latim VISITARE, "ir ver, inspecionar", relacionado a VISERE, "olhar, comparecer, visitar", da raiz de VIDERE, "ver, observar".

E "vizinho" vem do L. VICINUS, "o que fica nas proximidades", de VICUS, "grupo de casas, vila".

Pergunta #11172

Vc poderia me informar a origem etimolégica da palavra aliança?

Resposta:

É o Latim ALLIGARE, "unir, ligar a alguma coisa ou alguém", formado por AD-, "a", mais LIGARE, "ligar, unir".

Pergunta #11171

Recentemente fomos muito ofendidos por um cliente, que alega estar errado escrever “bujão” de gás. Conforme me consta, a palavra bujão é largamente utilizada no Brasil para designar “botijão” de gás. O cliente nos chamou a todos de burros e etc…
Afinal, está errado dizer “bujão” de gás?

Resposta:

"Bujão" e "botijão" são sinônimos.

A primeira vem do Francês BOUCHON, derivado de BOUCHE, "boca", do Latim BUCCA, "boca".
A outra vem do Francês BOUTEILLE, "garrafa", do L. BUTTICULA, diminutivo de BUTTIS, "tonel, barril".

Vocês da empresa não são burros.

Pergunta #11170

Qual a origem da palavra RATIMBUM???

Resposta:

Vide pergunta 6811.

Pergunta #11169

Que nada, o que é isso…?

Pergunta #11168

Qual é a origem das palavras: “RÁDIO” e “LOCUTOR”.

Antecipadamente Agradeço

Ivan

Resposta:

1) Essa palavra se formou no Inglês, em 1907, como forma combinante de RADIATION, do Latim RADIATIO, "brilho, radiação", de RADIUS, "raio, raio de luz".

2) Do L. LOCUTOR, "o que fala", de LOQUI, "falar".

Pergunta #11166

UFA! Minha parcela nos dízimos, descontados os valores que devo, usem por favor para comprar colares aos índios de Coroa Vermelha, em Posto Seguro – no meu nome.

Resposta:

Amanhã mando lhe entregar a chave do Consultório e vou me aposentar.
Seja bem-vinda!

Pergunta #11167

… Porto Seguro.

Pergunta #11165

4) No Brasil, as línguas nativas dividem-se em três troncos já identificados pelos
linguistas e dois troncos que permanecem sem identificação. Os troncos principais
são:
– Tupi, com as famílias tupi-guarani, mundurucu, juruna, ariqueme, tupari, ramarama
e mondé. Estas famílias geraram dezenas de línguas, entre elas tupi, guarani, aveti,
cinta-larga, apiacá dos tapajós e puruborá. Exemplos de dialetos destas famílias são
o tupari, mequém, urucu, aruá e asurini.
– Macro-jê, com as famílias jê, camacã, maxacali, coroado, cariri e bororo. Entre as
línguas encontramos timbira, caiapó, pataxó, botocudo e puri
– Aruaque, com as famílias aruác e aravá que falam, entre elas, as línguas paresi,
aruã, maniteri e manauá. Entre as dezenas de dialetos estão o terêna, guaná,
apurinã, vainumá, tatu e tapuia.
Nos dois troncos ainda não identificados encontram-se as famílias: caribe, tucano,
nhambiquara, pano e mura e as línguas ianomâmi, sanumá, pimenteira, paravá, oti e
tucumá. Entre os dialetos estão o pariri, apiacá, vaimiri, txuna, macu, mura, torá,
maxubi e canoê.

Pergunta #11164

3) Todos os Apiaka falam português e aqueles casados com Munduruku e Kaiabi chegam a falar fluentemente uma dessas línguas, ou ao menos são capazes de compreendê-la perfeitamente. É preciso explicar que, embora os idiomas Munduruku e Kaiabi sejam falados cotidianamente nas aldeias apiaka, especialmente como veículo de comentários depreciativos, eles se restringem aos espaços domésticos e às conversas informais. A língua do salão, isto é, das conversas formais, é o português. Dessa forma, ainda que não possam impor sua língua aos Munduruku e Kaiabi co-residentes, os Apiaka ao menos conseguem impedir que as línguas desses povos se tornem as línguas oficiais em suas aldeias. Nesse contexto, a língua portuguesa funciona como instrumento de resistência empregado pelos Apiaka para inviabilizar sua absorção cultural pelos Munduruku e Kaiabi. A despeito da proximidade linguística, os Apiaka não aceitam que se ensine o idioma Kaiabi nas escolas de suas aldeias; de outro modo, aceitam de bom grado que professores munduruku deem aulas desta língua, opção linguística que traduz relações sociopolíticas historicamente constituídas. Há anos os Apiaka vêm tentando reativar sua língua por meio da escola, mas ainda não tiveram sucesso; uma iniciativa recente neste sentido foi a elaboração do material didático chamado “Palavra Apiaka”.

Primeira Anterior 1234
; ?>