DECLÍNIO

 

Muitas vezes uma instituição ou pessoa, depois de uma época de fastígio, apresenta uma diminuição das suas características positivas, seja por quais razões for. Isso é tão comum que muitas palavras são usadas para descrever a situação. Vamos olhar as suas origens.

 

DECLÍNIO  –  do Latim declinare, “abaixar, desviar, evitar”, de de-, indicando origem, mais clinare, “dobrar, curvar”, do Indo-Europeu klei-, “inclinar-se, encostar-se”.

Os leitores perceberão que um bom número destas palavras começa com de- ou des-, prefixo que tanto pode indicar origem, como citamos acima, quanto negação, intensidade, separação ou afastamento.

 

DECADÊNCIA –  Latim decadentia, “o que está estragado”, de decadere, formado por de-, “fora”, mais cadere, “cair”.

 

DECAIMENTO –  também vem de decadere. Tem uma aplicação muito grande no terreno da Física Nuclear, onde se aplica à diminuição da radioatividade de um material com o tempo.

 

DECRESCIMENTO –  deriva de decrescere, “diminuir, crescer menos”, de de-, aqui indicando oposição, mais crescere, “crescer”.

 

DEFINHAMENTO –  tem origem discutida, mas parece derivar de fim, que é  o que parece estar chegando quando alguém fica fraco e abatido.

 

DEGRINGOLAMENTO –  vem do Francês dégringoler, “cair rapidamente”, do Holandês crinc, “curvar-se”, originalmente “cair dando voltas”.

 

DEPAUPERAMENTO –  do Latim depauperare, “tornar pobre, empobrecer”, de de-, mais pauper, “pobre, sem recursos, desprovido”.

 

DEPERECIMENTO –  de de-, mais perecer, do Latim perire, “morrer perder a vida”, literalmente “ir através”. É formada de per, “além, através”, mais ire, “ir”. Os romanos usavam de muita delicadeza para se referir à morte.

 

DESCIDA –  de descedere, “afastar-se, mover-se de cima para baixo, baixar”, de de-, intensificativo, mais cadere, “cair”.

 

DERROCADA –  de de-, mais rocca, “pedra grande, rocha”. A queda de uma empresa ou instituição muitas vezes pode ser comparada à de parte de uma elevação que parecia sólida.

 

DESMORONAMENTO –  do Espanhol desmoronar, “desfazer aos poucos prédios, construções, partes do terreno”, antigamente desboronar, “partir o pão em migalhas”, de des-, mais o arcaico borona, “pão de trigo ou outros cereais, migalha”, que gerou em nosso idioma a palavra broa.

 

DETERIORAMENTO –  Latim deteriorare, “tornar pior”, de deterior, “pior”, comparativo de deter, “baixo, mau, ruim”.

 

CAÍDA/QUEDA –  de cadere, “cair”.

 

CREPÚSCULO –  do Latim crepusculum, diminutivo de creper, “escuro”, esta de origem anterior desconhecida.

 

OCASO –  do Latim occasum, “descida de um astro, fim, decadência”, de ob,  “à frente, por causa de, devido a” mais cadere, “cair, morrer, diminuir”.

 

EMPOBRECIMENTO –  tem a mesma origem de depauperamento, mas foi feita em nosso idioma mesmo, a partir de pobre.

 

ENFRAQUECIMENTO –  do Latim flaccus, “flácido, mole, sem vigor, insuficiente”.

 

INVOLUÇÃO –  de in-, “em”, mais volvere, “dar voltas, fazer girar”. Expressa um movimento regressivo, uma falta de ir adiante.

 

NAUFRÁGIO –  do Latim naufragium, “afundamento de uma embarcação”, de navifragium, formado por navis, “nave, barco”, mais a raiz de frangere, “romper, quebrar”.

 

RUÍNA –  do Latim ruina, “colapso, queda, desabamento”, de ruere, “cair violentamente, desabar”, do Indo-Europeu reue-, “esmagar, desabar, romper”.

 

SOÇOBRO –  do Espanhol zozobrar, “virar um barco”, do Catalão sotsobrar, do Italiano sotto, “sob”, mais sopra, “sobre”  –  ou seja, virar a embarcação de cabeça para baixo.

A metáfora pode se aplicar a muitas atividades que deram errado.