ENCERRAMENTOS

 

Nossas atividades têm sempre um começo, por mais que às vezes sejamos preguiçosos demais para levá-las a um fim.

Mas, quando elas são concluídas, seja de forma positiva, seja negativa, para expressar isso foram cunhadas diversas palavras, cuja origem vamos tentar descobrir.

 

CONCLUSÃO – veio do Latim concludere, “fechar, cercar”, formada por com, “de todo, completamente”, mais claudere, “fechar”.

 

ARREMATE / REMATE – de re + matar no sentido de “acabar com um ato, finalizar o que se está fazendo, como uma compra ou uma obra”.

 

ENCERRAMENTO –  de em mais cerrar; e esta vem do Latim serare, “fechar, aferrolhar”.

 

DESFECHO –  de des, com a ideia de “aumento, reforço”, mais fechar, que por incrível que pareça tem origem controversa. Aliás, essa palavra parece ser exclusiva do Português.

 

FECHO –  embora pareça um antônimo da anterior, tem o mesmo significado: “conclusão, fim, remate”.

 

DESENLACE / DESENLAÇAMENTO – vem de des-, opositivo, mais enlaçar, de laço, do Latim laqueus, depois lacius, “laço, nó corrediço, armadilha, argumento mal-intencionado”.

 

LIQUIDAÇÃO –  do Latim liquidare, de liquidus, “fluido, umidade, líquido”, de liqui, “derreter, escorrer, fluir”. Essa aparentemente estranha relação com líquido vem da acepção surgida mais tarde de liquidar como “limpar uma dívida, quitá-la, enxugá-la”.

 

RESULTADO –  do Latim resultare, “saltar para trás, ricochetear”, de re-, “para trás, de novo”, mais salire, “saltar, pular”.

O sentido em Matemática começou nos fins do século XVIII.

Outra forma desse verbo era resilire, de onde veio nossa palavra copiada do Inglês resiliência, que passou de “capacidade de ricochetear” para “capacidade de se recobrar ou de se adaptar”.

 

SOLUÇÃO  –  vem  do Latim solutio, “afrouxamento, ato de soltar algo”, de solvere, “afrouxar, soltar, dissolver”, ligada a uma raiz Indo-Europeia leu-, “afrouxar, dividir, cortar fora”. O sentido de “resposta, resultado, explicação” começou pelo século XVI.

 

 

SUCESSO –  do Latim successus, “avanço, seguimento, resultado propício”, de succedere, “vir depois, chegar perto de”,  formado por sub-, no caso “depois, o seguinte”, + cedere, “ir, mover-se, deslocar-se”. O sentido de “resultado favorável” começou a se firmar no século XV.

 

ULTIMAÇÃO –  vem de último, que vem do Latim ultimus, “último, final, o mais distante, extremo”, que é o superlativo de ulter, “além”.

 

TERMO / TÉRMINO –  do Latim terminare, “demarcar, concluir, limitar”, de terminus, “final, linha de limite”. E esta foi para Roma a partir do Indo-Europeu ter-, base de palavras com o significado de “marcador, poste, limite, objetivo”.

Em Roma se cultuava muito o deus Terminus, que era personificado num poste ou num busto colocado entre propriedades, demarcando os terrenos de ambas. Anualmente, em 23 de fevereiro, ele recebia homenagens e sacrifícios.

Por isso a linha que separa a noite do dia na Lua ou em planetas à observação telescópica se chama terminador.

 

DESENREDO –  como “encerrar uma situação preocupante”, se forma por des– mais enredar. E esta vem do Latim rete, “rede”.

 

FIM / FINAL –  do Latim finis, “fim” e de finalis, “final”. E finis quer dizer “o que divide, fronteira, limite”, figurativamente “conclusão, encerramento, extremidade”. Possivelmente se relacione a figere, “firmar, fixar”, o que nos leva ao que falamos sobre o bom deus Terminus, acima.