MAQUINAÇÕES

 

O ato de tramar, de urdir algo contra uma pessoa ou instituição é antigo como as cavernas. Tanto que existem numerosas palavras usadas para os seus diversos aspectos. Vejamos:

 

ENGENDRAR –  do Latim ingenerare, “implantar, produzir”,  formada por in, “em”, mais generare, “gerar, criar, dar à luz”.

 

TRAMAR –  do Latim trama, “fio, tecido, trama”.

 

TECER –  do Latim texere, “tecer, tramar”, de uma raiz Indo-Europeia teks-, “fazer”.

Note-se a comparação feita de uma conspiração com a urdidura de um tecido, com os fios se entrelaçando e gerando um resultado com consistência própria.

 

URDIR –  do Latim ordiri, “tecer, tramar, colocar em ordem”, de ordo, “ordem, arranjo”.

 

IDEAR – de ideia, (geralmente mal-intencionada), do Grego idea, “protótipo ideal”, literalmente “forma, aparência, aspecto”, de idein, “ver”, derivado do Indo-Europeu weid-, “ver”. Ideia passou a ter o significado de “imagem mental” e mais tarde de “resultado do pensamento”.

 

TRAÇAR –  do Latim tractiare, “delinear, traçar”, de tractus, “trilha, curso”, de trahere, “puxar, arrastar”. Quando se arquiteta um plano se costuma traçar algum tipo de esboço, mesmo que apenas mental.

 

CONCEBER –  do Latim concipere, “engravidar”, formado por com, intensificativo, mais capere, “tomar, pegar”. Um dos sentidos que se desenvolveram é o de “imaginar, significar, tramar”, outro é o de “engravidar”; a ideia básica era a de receber sêmen no útero.

 

ARQUITETAR –  de arquiteto, do Latim architectus “Arquitetura”, do Grego arkhitekton, “mestre de obras, obreiro-chefe”, de arkhein, “comandar, dirigir” e tekton, “construtor, artesão, carpinteiro”.

Assim como um arquiteto desenha os planos de um prédio, uma pessoa pode se dedicar a estudar meios de trazer prejuízos a outrem.

 

PLANEJAR – vem do Latim planus, “achatado, nivelado”, que resultou em nossa palavra plano e no ato de planejar como “levar a cabo um esquema”. E esta metaforicamente lembra algo esquematizado ou desenhado num papel ou superfície lisa.

 

PROJETAR –  do Latim projectare, de projectum, “algo lançado à frente”, de projicere, formado por pro-, “à frente”, + jacere, “lançar, atirar”.

 

PREPARAR –  vem do Latim praeparare,  “o ato de aprontar”, formada por prae, “antes”, mais parare, “deixar pronto”, relacionado a parere, “dar à luz, produzir, trazer à frente de”, do Indo-Europeu per-, “trazer à frente, fazer aparecer”.

 

MAQUINAR –  Do Latim machina, “aparelho, estrutura, engenho” do Grego mekhane, “aparelho, meio para obter algo”, que por sua vez descende do Indo-Europeu maghana-, “aquilo que permite, que torna capaz”, de magh-, “ser capaz, ter poder”.

 

PROGRAMAR – do Latim programma, “informação pública escrita”, do Grego prographein, “escrever para uso público”, de pro-, “à frente”, mais graphein, “escrever”. Lá pelo século XIX esta palavra passou a ostentar o significado de “plano ou esquema definido”.

 

INVENTAR –  do Latim inventio, “achado, descoberta”, de invenire, “descobrir, achar”, formado por in, “em”, mais venire, “vir”. Com o sentido atual, de “coisa feita previamente não-existente”, é do século XVI.

 

CRIAR –  vem do Latim creare, “produzir, erguer”, relacionado a crescere, “crescer, aumentar”, do Indo-Europeu ker-, “crescer”. Muitas vezes se produz uma inverdade para trazer prejuízo a outros.

 

FABRICAR –  veio do Latim fabrica, “oficina, lugar onde se fazem coisas”, de faber, “aquele que faz, artesão”, também “arte, artesanato, produto bem feito”,  de faber, “artesão, aquele que faz”, inicialmente “produtor que trabalha em metais duros”.

 

FORJAR –  do Francês forge, “lugar onde se trabalha o metal”, do Latim fabrica, “oficina”; portanto, uma prima da anterior.

 

IMAGINAR –  do Latim imaginari, ‘formar uma imagem mental de algo”, derivado de imago, “imagem, representação”,  da mesma raiz de imitari, “copiar, fazer semelhante”.

 

FORMAR –  do Latim forma, “aparência, aspecto, contorno, padrão”, possivelmente do Grego morphé, “aparência externa, beleza, aspecto”.

 

PREMEDITAR –  do Latim praemeditari, “pensar antes, pensar em avanço”, de prae, “antes”, mais meditari, “contemplar, pensar sobre”, de uma fonte Indo-Europeia med-, “medir, limitar, considerar, tomar medidas adequadas”.