TEIMOSIA

 

Não é raro resolvermos ir contra o bom senso (principalmente o alheio) e resolvermos manter nossa posição de forma firme e obstinada.

Vamos hoje ver as origens das palavras usadas para descrever essa tendência.

 

TEIMA, TEIMOSIA –  do Latim thema, “assunto, argumento, tese”, do Grego thema, “o que se propõe”, literalmente “algo estabelecido”, de tithenaI, “colocar”.

 

OBSTINAÇÃO – veio do Latim obstinare, “teimar, ficar à frente de, persistir”, formada por ob-, “à frente”, mais stare, “ficar em pé, estar”. É bem o que a gente faz quando está sem desejo de mudar de pensamento.

Mas atenção: não confundir esta palavra com outra bem parecida, que é obstipação e significa “prisão de ventre”. Esta vem de obstipare, “fazer parar ou bloquear”, de ob-, “à frente, contra”, mais stipare “amontoar, apertar”.

 

OBCECAR –  vem do Latim obcaecare, “tornar cego”, de ob, “à frente”, mais caecare, “cegar”, de caecum, “cego, o que não vê”. Ao teimar, a gente muitas vezes se mostra metaforicamente cego em relação a um fato.

 

TENAZ –  do Latim tenax, “o que agarra”, do verbo tenere, “pegar, segurar”, mas usado também com o sentido de “incomodar, aborrecer, torturar”. Deriva de uma raiz Indo-Europeia ten-, “esticar”.

 

PERTINAZ –  vem da palavra anterior, mais o prefixo per-, denotando intensidade.

 

PERSISTENTE –  do Latim persistere, “continuar com firmeza”, de per-, “totalmente”, mais sistere, “ficar firme, ficar em pé”.

 

INSISTENTE –  De insistere, “manter a atitude”, de in-, aqui com o significado de “sobre”, mais sistere. Insistir implica em repetir uma atitude, persistir se refere a mantê-la sem interrupção.

 

RESOLUTO –  veio do Latim resolutio, “processo de reduzir algo à sua forma mais  simples”, de resolvere, “afrouxar, soltar, desfazer”, formada por  re-, “outra vez”, mais solvere, “soltar, afrouxar”.

Com o tempo, adquiriu o significado de “decidido, determinado a”, usando a noção de “em partes separadas” como um modo de chegar à verdade e então tomar uma determinação final.

 

BIRRENTO –  do Espanhol birria, “birra, teima”, do Latim verres, “porco não castrado”. Agora, por que este mamífero apresentaria essa qualidade não sabemos.

 

AFERRADO –  de ferro, do Latim ferrum, “ferro”, pela metáfora de algo ser fincado e fixado num ponto por meio de âncoras, pregos ou outros dispositivos metálicos.

 

FERRENHO –  também de ferro, sugerindo uma posição sólida quanto a uma questão.

 

AFINCADO –  de fincar, do Latim figicare, uma alteração de figere, “cravar, fixar fisicamente, fincar”.

 

CONTUMAZ –  do Latim contumax, “insolente, firme, constante”, de com-, “com”, mais o verbo tumere, “inflar, inchar, mostrar orgulho ou arrogância”.

 

INCANSÁVEL –  de in, prefixo negativo, mais cansar, que deriva do Latim campsare, “rodear algo, dobrar uma ponta de terra”. Agora é tudo muito fácil, mas esta palavra vem de quando se precisava manobrar os remos ou as velas de uma embarcação, o que deixava os marinheiros com as energias gastas e precisando de uma folga.

 

INARREDÁVEL –  do in de que acabamos de falar, mais arredar, do Latim retro, “para trás”. Ou seja, trata de uma posição da qual não se pretende recuar.

 

DETERMINADO –  do Latim determinare, “rodear, colocar limites em”, de de-, “para fora”, mais terminare, “marcar os limites”, de terminus, “fim, limite”.

 

ENCANZINADO –  de cão, do Latim canis, “cão”, pela comparação com um destes animais quando morde e não solta a presa, por mais que esta pule, grite e se sacuda.

 

FIRME –  do Latim firmus, “forte, estável, seguro, duradouro”, de uma raiz Indo-Europeia dher-, “segurar, apoiar”.

 

INCESSANTE –  de in, negativo, mais cessare, “parar, deixar, estar ocioso”, relacionado a cedere, “retirar-se, recuar, ir embora”.