Em: Consultório Etimológico

temas náuticos parte 3

Xiii… acho que foram muito ríspidos com a Daniele de Maringá coitadinha… acho que ela não se referia à formação morfológica das referidas palavras e sim à formação etimológica das mesmas… Afinal, o que é a etimologia que não a formação das palavras em sua evolução na história? Está certo que muitos vêm aqui achando se tratar de um site de gramática e fazem perguntas no contexto errado. Mas não dá para pressupor que toda pergunta aparentemente mal formulada se refira a isto.
Desculpem o puxão de orelha. É que gosto de pegar no pé como já sabem bem… rsrsrs.

bom, retomando o rumo da prosa, aí vão as próximas palavras…

1- içar
2- alar (o étimo desta palavra no sentido de “içar” é o mesmo que no sentido “relativo à asa”?)
3- reboque (se bem que hoje em dia esta palavra já é mais usada em relação ao transporte terrestre do que ao marítimo)
4- remoque (por fonética acabei pensado nesta embora esteja fora do tema)
5- cavilha
6- quilha

ps. no caso da malagueta, o que exatamente é incerto? o étimo ou se uma malagueta é relacionada à outra?

Resposta:

Nós aqui não temos o direito de supor o que as pessoas querem. Se fizermos isso, vamos ir atrás de possibilidades que nem sempre são as reais.

Além disso, lidando às vezes com consultas a uns 4 – 5 dicionários para chegar a algum resultado, sentimo-nos no direito de receber as perguntas com as palavras escritas corretamente e com o texto expressando a necessidade de acordo com as regras do vernáculo.

Fazemos exatamente o que v. diz: se a pergunta é mal formulada de modo a não se inserir em nosso trabalho,  mostramos que há um problema e continuamos à disposição. Algums pessoas repetem a dúvida, agora com mais orientação, e damos a resposta que elas querem.

Como a maioria não faz isso, deduzimos que não estão interessadas no que temos para elas. Já deu para ver que muitas acham que somos um dicionário comum online, mais fácil de consultar do que um de papel.

Também já deu para ver que há um enorme número de preguiçosos que não têm qualquer interesse verdadeiro por Etimologia e que desejam atirar para cima de nós os seus temas de casa.

1) Do Francês HISSER, “levantar, elevar, hastear”, do Germânico HISSEN, idem.

2) Não; vem do Francês HALER, “puxar”, do Germ. HALON, “trazer, buscar”. Mas tem tudo para vir do Latim ALA, né?

3) Do L. REMULCUM, “corda, cabo para puxar embarcações, corda de sirga”.

4) Como hipótese: de RE-, intensificativo, mais o L. MUCCARE, “assoar o nariz”, como gesto de desprezo.

5) Do L. CABICOLA, alteração de CLAVICULA, “pequena chave”.

6) Do Norueguês arcaico KJÖRL, “quilha”.

Malagueta: em nossas pesquisas, um significado leva ao outro.

¤ ¤ ¤