Em: Assunto da Edição

DIVISÕES TERRITORIAIS

 

Para fins de definição geográfica, de Censo, econômicos, de soberania e muitos outros, torna-se necessário nomear as extensões territoriais e urbanas; desde muito cedo a Humanidade se dedicou a fazer isso. Veja aqui a origem de algumas dessas palavras.

 

aldeia  –  “pequena aglomeração de casas”, do Árabe ad-dayha, com o mesmo significado.

Pode ser chamada também aldeola, aldeota, quando muito pequenininha.

 

POVOADO  –  tem o mesmo significado da anterior. Vem de povoar, de povo, do Latim populus, “povo”.

 

ARRAIAL  –  também designa um lugar muito pequeno. Viria do Árabe ar-rahya, “rebanho” e, por extensão, “plebe, gente, súditos”.

 

VILA  –  neste caso lidamos com um conjunto urbano maior do que uma aldeia ou povoado, mas que ainda não chega a cidade. É do Latim villa, “casa de campo, casa grande, quinta”.

 

CIDADE  –  do Latim civitas, originalmente “condição ou direitos de cidadão”, de cives, “homem que vive em cidade”. Muitas palavras derivam daqui, como civil, civilização, civismo, cidadania.

 

MUNICÍPIO  –  do Latim municipium, “pessoa de uma cidade livre”, de municeps, “cidadão livre, cidade livre”, de munus, “serviço feito pela comunidade, dever, trabalho”, mais a raiz de capere, “tomar, pegar, assumir”.

Entre os romanos, designava uma cidade que tinha o particular privilégio de se governar por suas próprias leis.

Atualmente, no Brasil, designa uma divisão do Estado.

 

ESTADO  –  do Latim status, “condição, situação”, de stare, “estar, ficar de pé”.

A terminação de vários nomes de países como Afganistão, Paquistão, Turcomenistão tem a mesma origem.

 

DEPARTAMENTO  –  em alguns países, um departamento corresponde ao estado brasileiro. Deriva do Latim departire, “dividir, separar”, formado por de-, “de, a partir de”, mais partire, “separar em partes”, de pars, “parte, constituinte de algo”.

 

PROVÍNCIA  –  equivale também aos estados em alguns outros países. Vem do Latim provincia, “território sob o domínio romano”, dado como resultante de pro-, “à frente”, mais vincere, “vencer”.

E isto era coisa que eles gostavam de fazer, embora nem sempre conseguissem.

 

PAÍS  –  do Latim pagus, “distrito rural”, originalmente “área demarcada”, relacionada com pangere, “apertar, colocar no lugar”, que veio do Indo-Europeu pag-, “colocar no lugar, unir, tornar firme”.

 

REINO  –  Do Latim regnum, “reinado”, a estrutura de poder dirigida por um rei, do Latim rex.  E esta, por sua vez, é derivada do Indo-Europeu reg-, “mover-se em linha reta”, daí “dirigir, guiar, comandar, reger”.

Devemos reconhecer que nem todos os reis foram retos e justos no poder, mas isso já é outro assunto.

 

IMPÉRIO  –  do Latim imperium, relacionado ao verbo imperare, “comandar”, formado por im-, “em”, mais parare, “ordenar, preparar”.

Originalmente, imperator era o título dado a um general romano que detinha o imperium, que então designava o poder militar.

 

CONDADO  –  originalmente designava a terra dada por um soberano a um conde. E este título deriva do Latim comes, “servidor, companheiro”, formado por com-, “junto, com”, mais ire, “ir”.

O título começou através da ligação entre um rei e um camarada seu, que muitas vezes o que queria era agradar para ter seus lucros.

 

COMARCA  –  do Latim comarca, de com, “junto”, mais marca, “fronteira, território delimitante, região adjacente a outro país ou soberania”. Administrar áreas nestas condições significava uma responsabilidade especial, o que fez surgir o título de marquês.

 

DISTRITO  –  Do L. districtus, “área de jurisdição”, particípio passado de distringere, “deter, impedir”, formado por dis-, “fora, contra”, mais stringere, ”unir fortemente, apertar firme”, de uma base Indo-Europeia strenk-, “apertado, estreito, torcido”.

 

TERRITÓRIO  –  no Brasil designa uma região que é administrada pela União, sem constituir um Estado.

Vem do Latim terra, “terra”.

 

CONTINENTE  –  do Latim continere, “manter unido, abarcar, conservar”, verbo formado por com-, “junto”, mais tenere, “segurar”. Continente é aquilo que guarda, que retém ou contém alguma coisa. Daí o nome dado às grandes extensões de terra em que se divide nosso planeta.

 

¤ ¤ ¤
Em: Consultório Etimológico

em maiúsculo

Hmm.. espero que sintam falta de mim, como sentem da Laryssa. Mas não tem problema não.. eu sei que pelo menos meus peixes, MÁRIO E FRANCISCO sentem.

Por falar em rio, achei um arco e flecha dentro do armário, do tempo de colégio, (antes de mudar para a escolinha da Tia Odete), com uma etiqueta identificando o ENDEREÇO, com o nome de dois bairros dessa minha adorada cidade.. Acredito que o nome e origem desses bairros, tenham vindo junto com o índio dono do arco e da flecha; mesmo sabendo que às vezes a CAIPORA pega os livros de tupi da Tia Odete, e os esconde, pergunto a origem dos nomes dos bairros:

-ALDEOTA
-PAPICU

A esperança é a última que morre.

Resposta:

Ciumenta… Claro que sentimos a sua falta!

1) De MARIUS, nome de uma gens romana que dizia descender nada menos que do deus Marte, MARS.

2) Olhe a Lista de Palavras que este peixinho a espera.

3) Do L. ADDIRECTIARE, “tornar reto, direito”, de AD, “a”, mais DIRECTUS, “reto, direito”.

4) Tupi, KAA’, “mato”, mais PORA, “habitante”.

5) De “aldeia”, do Árabe AD DAY-HA, “povoado, açdeia”.

6) Mantenha a fé em sua esperança, isso é bonito.

¤ ¤ ¤