Em: Assunto da Edição

DESALINHADOS

 

Todos os dias nos deparamos com alguma coisa desalinhada, em desordem, desgrenhada –  enfim, fora dos parâmetros desejáveis para a vida social.

Para todas existe uma palavra, naturalmente, cujas origens vamos esmiuçar neste artigo.

 

DESALINHO –  forma-se pelo prefixo des, indicando oposição, mais linha. E esta palavra vem do Latim linea, “corda, linha, fio de linho”, de linum, “linho”.

O sentido primitivo era o de “corda fina” mesmo; mais adiante ele passou a ser usado para designar um traço ou marca estreita e alongada como um fio, desenhado sobre papel ou algum outro meio.

Desalinhar significa desarranjar, desordenar, tirar fora das marcas pretendidas.

 

MAL-ENJAMBRADO –  usa-se para algo torto, fora de prumo. A origem é controversa, mas talvez tenha a ver com o Grego kampé, “torto, recurvado”.

 

MALTRAPILHO –  feita em nosso idioma mesmo, de mal, mais trapilho, um diminutivo de trapo. E esta nos veio do Latim drappus, provavelmente de origem gaulesa, pelo sentido de “amontoado informe, confusão”, que acabou sendo usada para designar um pedaço de pano velho e gasto.

 

ESTRAPILHO –  não contavam com esta, que é tão pouco usada, não? Pois é um sinônimo da anterior e tem a mesma origem, com a diferença de que o prefixo es– aqui quer dizer “redução a pedaços”.

 

ESFARRAPADO – a coisa hoje gira em torno de panos rasgados, pelo visto. Esta vem de farrapo, do Espanhol harapo, “trapo, andrajo”, de harpar, “rasgar tecido, colocar tiras ou rebarbas em pendão”.

 

ESMOLAMBADO   –  de es-, como intensificativo, mais molambo, “farrapo, tecido gasto”, do Quimbundo mulambo, “pano atado entre as pernas”.

 

DESCAMISADO –  não se necessita de grande conhecimento para imaginar esta origem. Vem de des-, “sem, desprovido de”, mais camisa. E esta vem do Latim camisia, “roupa de dormir”, de “cama”, já que era nesta que se usava essa peça.

 

DESGRENHADO –  de des-, aqui com sentido intensificativo, mais o Latim grennio, “barba”, de um radical Celta grenn-, “pelos faciais”.

 

DESCASCADO –  de des-, opositivo, mais o Latim casicare ou cascare, “cair, soltar-se”, de cadere, “cair”, coisa que muitas vezes o revestimento das árvores ou aquela pintura cara que deu tanto trabalho para a gente costumam fazer.

 

FRANGALHEIRO –  outra pouco usada. Significa “andrajoso, esfarrapado”. Tem origem discutida; provavelmente venha do Latim frangere, “partir, romper”.

 

ROTO   –  do Latim ruptus, particípio passado de  rompere, “quebrar, partir, romper”. Daqui saiu também a palavra boquirroto, literalmente “o que tem a boca rota”, pessoa que deixa escapar segredos.

 

ROÍDO –  do Latim rosus, particípio passado de rodere, “roer, morder”. Às vezes uma roupa muito usada fica com o aspecto de um chiclete usado por hipopótamos.

 

PUÍDO –  particípio passado de puir (com “U”, viram?). E esta é do Latim polire, “polir, tornar liso”. Nós aqui achamos que alguma pessoa foi tentar alisar sua túnica em Roma e tudo o que conseguiu foi desgastá-la.

 

GASTO –  de gastar, que vem do Latim vastare, “tornar deserto, vazio, devastado”, de vastus, “desolado, sem nada”.

 

andrajoso –  de andrajo, do Espanhol andrajo, “veste esfarrapada”, do Árabe indiraj, “forro, rasgão”.

 

FARPELA –  “roupa gasta, andrajo”. Vem de farpa, na acepção de “tira de material rasgado, farrapo”, do harpar que citamos ali acima em esfarrapado.

 

ESGROUVINHADO –  este sinônimo de “desalinhado” vem de grou, uma ave pernalta da qual algumas espécies apresentam penas bastante salientes na cabeça. O nome dela viria do Latim grus, mas alguns pesquisadores discordam.

 

DESARRUMADO –  começa com o prefixo des-, indicando oposição, mais arrumar,  descendente do Germânico rum, “espaço onde ficava a carga em navios antigos”, daí o sentido de “colocar em ordem, dispor”.

¤ ¤ ¤