Em: Consultório Etimológico

ânimo

A modéstia é algo que não falta! rs
Mas, Amado Mestre, fiquei tão animado com a descoberta de uma palavra que nem V. Sa. nos pode apresentar a origem que fui à busca! Descobri que “Tachim” é a “capa de couro, ou caixa, com que se protege livro ou álbum de encadernação de luxo”. Me lembrei que essa capa era presa com as famosas “tachinhas” e deduzi que era daí sua origem.
Só não soube dizer de onde veio o Tachim, mas… rs

Só que agora a curiosidade é outra. O meu repetino ânimo atiçou-a. Às vezes fico desanimado, às vezes pareço inanimado…

Caríssimo professor, de onde vem o meu ânimo?

Resposta:

Acabamos de aprender com você. Pena que também “tachim” tenha origem desconhecida, o que nos faz pensar que pode mesmo ter relação com a “tacha”.

O seu ânimo, que sempre se mantenha no alto, vem do Latim ANIMUS, “alma, coragem, desejo, mente”, relacionado a ANIMA, “ser vivo, espírito, coragem, disposição”, derivado do Indo-Europeu ANE-, “assoprar, respirar”, atividade a que os seres vivos costumam se dedicar com afinco.

Outros derivados são “animar”, “animoso”, “animado”, “animação”.

¤ ¤ ¤
Em: Consultório Etimológico

Pergunta #18

Gostaria de saber a origem de:
Axioma; conluio; máximo; anima, no sentido de “alma”.

Resposta:

Prezada Luísa:
Em Latim, ANIMA significava “sopro, ar, brisa”, e certamente a partir daí foi que adquiriu o sentido de “princípio vital, alma”, pois esta sempre foi encarada pelo homem como algo imaterial como um movimento do ar.
Também significava “criatura, vida”.
Em Português, o seu uso se restringe à poesia. Mas seu derivado, o verbo “animar”, está em uso constante.

Conluio: do Latim COLLUDERE, de COM, “junto, com” + LUDIO, “brincar, jogar”, de LUDUS, “jogo”. Significava “brincar com outrem” e se fixou na conotação “entender-se secretamente com alguém, em detrimento de uma terceira parte”.

Máximo: em Latim, MAGNUS significava “grande” (v. Alexandre Magno). O seu superlativo era MAXIMUS. Ou seja, muuuito grande.

Axioma: para variar um pouco, esta vem do Grego. AXIOS significava “de valor, válido”. AXIOMA era “o que é aceito”.
Assim, um axioma científico, p. ex., é algo que já se aceita sem discussão por ter tido o seu valor bem comprovado.

¤ ¤ ¤