Em: Assunto da Edição

NO COMEÇO

 

Dizem que tudo tem um começo. Já que é assim, vamos hoje lidar com as palavras relacionadas a ele.

 

COMEÇO  –  do Latim cuminitiare, “iniciar, principiar”, formado por cum, “junto”, mais initiare, “dar início”, formado por sua vez por in-, “em”, mais ire, “ir”.

 

PRINCÍPIO  –  do Latim principium, “origem, causa próxima, início”, de primus, “o que vem antes”, do Grego prin, de mesmo significado.

 

PRELIMINAR  –  do Latim praeliminaris, “o que acontece antes de se alcançar o limite e iniciar a ação”, de prae-, “antes”, mais liminaris, “relativo ao limite”. Limite vem de limes, que se usava para designar “fronteira, sulco, caminho entre dois campos”. Ou seja, depois da preliminar é que vinha a parte mais importante da história.

 

PREÂMBULO  –  do Latim preambulus, “o que caminha à frente”, de prae-, “antes”, mais ambulare, “caminhar”.  Não faz referência a pessoas  andando na frente de outras, mas designa uma declaração inicial, uma explicação em conferências, eventos e situações assim.

 

ANTEÂMBULO  –  inicialmente, anteambulo (de ante, “antes”, mais ambulare) era o escravo em Roma que ia abrindo caminho para seu dono na multidão, como se fosse um batedor.

Por estranho que pareça, em Português ainda temos a palavra anteambulone com esse significado.

anteâmbulo tanto pode ser usada para nomear o dito escravo como para dizer “preâmbulo”.

 

EXÓRDIO  –  vem do Latim ex-, “para fora”, mais ordiri, “começar”, e se refere ao começo de algo, à introdução de um texto ou discurso.

Há quem pense que esta palavra tem a ver com êxodo. Nada disso; esta é do Grego exodos, “partida, expedição militar, procissão, morte”, literalmente “uma saída”, de ex– “fora”, mais hodos, “caminho”.

 

PREFÁCIO  –  formada por prae-, “antes”, mais fari, “falar”; esta palavra quer dizer “o que é falado antes”. É esse o papel de um prefácio, onde são expostas idéias ou fatos julgados necessários para o bom entendimento de um livro.

 

PREFAÇÃO  –  não é um prefácio grande, não. Trata-se de um sinônimo da anterior, de praefactio, que designa a ação de falar antes de. Há uma sutil diferença em Latim, mas em nosso idioma atual dá no mesmo.

 

ANTELÓQUIO  –  não é um antílope muito falador. É o mesmo que “apresentação, preâmbulo” e designa o que se diz antes de outras coisas, como o início de uma obra. Vem do Latim ante-, “à frente, antes”, mais loquium, “o que é falado”, de loqui, “falar”. É uma forma complicada de dizer “prefácio”.

 

PRIMÍCIA  –  designa os primeiros elementos de uma série e vem do Latim primitiae, “parte inicial dos sacrifícios oferecidos a uma divindade”, de primus.

 

PRÓLOGO  –  do Grego pro-, “antes, à frente”, mais logos, “discurso, oração”. No teatro grego clássico designava a parte inicial da tragédia, quando se fazia uma exposição do assunto a ser tratado.

Hoje também pode ser usado como sinônimo de “prefácio”.

 

PROLEGÔMENO  –  cada palavra esquisita… Esta também vem do Grego, de prolegein, “dizer antes”, de pro-, mais legein, “dizer”, relacionada a logos. Mas, em vez de complicar, pode-se usar nossa modesta “prefácio” também.

 

PROTOFONIA  –  vem do Grego proto-, “à frente”, mais phoné, “som”. É o mesmo que abertura em música. Trata-se de um tema inicial que geralmente não se repete ao longo da obra.

Sua origem até é divertida: nos tempos iniciais das apresentações musicais profanas  –  isto é, as que não faziam parte de cerimoniais da Igreja  –  as pessoas costumavam se atrasar para o início, com a ideia estranha de que isso as faria aparentar importância.

Para lidar melhor com a situação, os compositores começaram a introduzir nas suas obras uma parte inicial não-representativa para dar tempo à exibição dos retardatários.

 

INTRODUÇÃO  –  do Latim introductio, “ato de guiar para”, formado por intro-, “para dentro”, mais ducere, “liderar, guiar”.

Designa a parte preliminar de uma obra literária ou musical.

 

INTROITO  –  é a parte inicial de uma obra ou de certas partes da missa. Vem do Latim introitus, “entrada”, de intro-, “para dentro”, mais ire, “ir”.

 

INAUGURAÇÃO  –  do Latim inaugurare, “examinar os augúrios ao começar um ato, consagrar”. Augúrio vem de  augurium, “arte da adivinhação e interpretação de sinais”.

No Brasil a palavra se usa mais para designar o início de uma obra, atividade, estabelecimento. Nos Estados Unidos se usa também para a cerimônia de posse de autoridades.

 

GÊNESE  –  do Grego genesis, “criação, origem, geração”, de gignesthai, “nascer”, relacionado a genos, “raça, descendência, nascimento”.

 

¤ ¤ ¤