Em: X-8 Detetive Etimológico

PEDRAS NO MEIO DO CAMINHO

 

Nosso personagem principal, o distinto e único intelectual do seu bairro, o Detetive Etimológico X-8, está passeando pelas ruas perto de seu escritório hoje.

Ele tem uma alma de artista: consegue apreciar o aspecto esquálido do entorno urbano e transformá-lo em paisagens absorventes e instigantes.

Ninguém mais consegue isso. Pudera.

Ele devaneia. Se ele se dedicasse à pintura… Já tinha conseguido um sólido patrimônio explorando, digo, fazendo o bem às palavras que o consultavam ansiosas por saberem suas origens.

Poderia fazer um curso de pintura, comprar pincel e tinta a óleo, um cavalete e se instalar nos arredores para fazer seus quadros. Afinal, Monet, van Gogh, Matisse e outros começaram exatamente por aí.

Foi caminhando e ruminando sua nova ideia. Distraído, entrou num terreno de demolição.

Ele poderia ser indicado ao Prêmio Nobel de Pintura, pensou, isso atualmente dá uns novecentos mil reais. Já rendeu mais, uma pena.

Epa, ainda não inventaram o Nobel de Pintura.

– “Melhor baixar as expectativas”, pensa ele em voz alta.

– “Por que? Não está atendendo hoje”? – responde uma vozinha fina vinda de baixo.

O corajoso profissional dá um pulo para trás, gerando um gemido também vindo de baixo.

Em vez de seguir seu desejo natural de fugir espavorido aos berros e salvaguardar-se para lutar noutro dia, bem distante se possível, ele olhou para baixo e viu que havia diversas palavras olhando-o do chão do terreno escalavrado.

Eram todas palavras relacionadas a pedras e materiais semelhantes. Ele se cumprimentou intimamente pelo sangue frio demonstrado (na verdade, ele havia congelado de pavor) e imediatamente começou a negociar uma sessão etimológica naquele lugar tão estranho. Depois de embolsar o dinheiro das palavras, sempre ávidas de conhecer suas origens, ele se sentou num caixote e começou uma aula.

Pedra, você vem do Latim petra, do Grego petra, ambos com o significado de “pedra, pedaço de rocha”. Na verdade, todo o mundo sabe o que você quer dizer, mas o seu significado objetivo é bem difícil de descrever.

A palavra se sentiu toda misteriosa. O Detetive prosseguiu

– E aqui vemos rocha, do Latim rupes, de mesmo significado. Logo a seu lado está mineral, do Latim mineralis, “relativo a mina”, dado o fato que é necessário cavar uma mina para obter  a maioria dos minerais com valor industrial.

A seu lado há um pedaço em mármore, que vem do Latim marmor, o nome do material, do Grego marmaros, “pedra que brilha, mármore”, de origem anterior desconhecida.

Não podemos deixar de notar que, espalhada ali no canto, encontramos areia. Você deriva do Latim harena, “lugar de combate, arena”, originalmente “local com material mineral granulado”, o que era conveniente para recolher o sangue derramado. E esta deriva de areo, “ser ou estar seco”. Há quem diga que, por sua vez, a origem desta última é o Sânscrito has-, “triturar”, o que está de acordo com o material.

Areia ficou espantada com as notícias de suas antepassadas.

– Como era de esperar, por perto está arenito, um óbvio derivado de areia.

E já que estamos falando em material fragmentado, é hora de comentar sobre cascalho, de casca,do Latim casicare ou cascare, “cair, soltar-se”, de cadere, “cair”. Isso porque o cascalho muitas vezes é formado por pedaços de pedras que resultam de trabalhos nelas.

Interessante é saber que há uma palavra sinônima desta que é pouco usada: é o burgalhau ou burgau. Estas esquisitices vêm do Francês burgau, “concha, pedra que semelha um concha”.

Aqui se encontra também a brita, do Germânico briutan, “partir, despedaçar”. 

E mais ali atrás está laje, do Espanhol lágena, aparentemente de uma palavra celta que não sabemos qual é.

Olhem ali, paradinha, granito. Ela veio do Italiano granito, “feito de grãos”, do Latim granum, “grão”. Está certo, todas as rochas são feitas de grãos também, mas quem lhe deu o nome, há muito e muitos séculos, não sabia disso.

Já chega a sua vez, basalto. Você vem de um erro de grafia: um escritor latino escreveu basaltes em vez da versão grega basanites, “tipo de pedra usada para testar ouro, pedra de toque”.

Não podemos nos esquecer ali de quartzo, que vem do Alemão quarz, onde antigamente era twarc, possivelmente relacionada a uma palavra eslavônica com o significado de “duro”.

Bem, pessoal, isso dá conta das origens de todas as presentes neste romântico terreno abandonado.

Agora preciso ir para casa, deixando-as a discutir o que aprenderam hoje.

Uma boa noite.

¤ ¤ ¤