Em: Consultório Etimológico

síntese

“Os anabatistas negavam a validade do batismo infantil e batizavam de novo apenas aqueles que eram crentes”. Pois era isso que o religioso estava discutindo: a decisão ser do batisando na condição de crer ou não crer. Então não me saí mal.
Bela síntese a tua. Eu busco a síntese como uma virtude a ser cultivada, em tudo quase. Nem sempre consigo, mas pelo menos tento. Consultas surpreendentes, não? Pois é o que tira o tédio – aquilo que surpreende. Que tem a ver com surpresa, certo? Mas e SURPRESA? Eu queria saber se REGALO, em Italiano “presente”, tem a ver com “à regalia”. E com “arregalar” (os olhos). Gosto do idioma da Bota pq parece um mosaico com peças de várias épocas. Mas não entendo o motivo de fazerem plural com i . “Polizia, i piccoli zingari !”. Eu correndo ao passar por uma rua deserta, assustada. E paulistanos falam assim sem plural por causa da imigração, e tal, lá vou eu sem síntese…

Resposta:

Concisão é necessária.

Sim, consultas notáveis.

surpresa vem do Latim prehendere, “pegar, levar adiante de si, capturar, segurar”. Foi formada de super, “sobre” mais prehendere. Significava “apanhar no ato, cair em cima”. Depois passou a significar a sensação causada por ser apanhado sem aviso.

Regalo há quem diga que vem do Germânico GEILI, “pompa”, de onde o Francês tirou GALER, “viver à grande, demonstrar magnificência, dar festas”, o que implicava também em “presentear”.

Mas muitos dizem que vem direto de REX, “rei”.

arregalar tem origem controversa. Talvez se ligue ao ato de abrir os olhos quando se recebe um regalo, mas não há comprovação.

Ué, uns fazem plural com  “I”, outros com “S”… Esse “I” vem do plural de alguns casos em Latim.

¤ ¤ ¤