Em: Etimologia no Maternal

Palavras Complicadas

Cri-an-ças!! Fiquem quietas um pouco, para que eu possa ouvir meus pensamentos e tentar decidir alguma coisa perante esta dantesca, caótica, assombrosa, sesquipedálica, gargantuesca, titânica, monstruosa, insuperável confusão.

Então, quando a aula está por terminar, eu saio por uns instantes para atender a um chamado telefônico e volto dois minutos depois e encontro Aninha e Tiago sobre a mesa, dançando animado maxixe, Patty e Lúcia discutindo aos gritos sobre quem vai viver na nuvem mais alta no futuro, Deli arrancando as folhas do caderninho de rabiscos de Zorzinho, Valzinha contando casos escabrosos de sua vizinhança enquanto Joãozinho tenta levá-la para o banheiro para fazer sabe-se lá o quê…

Quem estiver em cima da mesa que desça, quem estiver rasgando o papel alheio que pare, quem estiver fazendo o que não deve, que suspenda; respirem fundo todos.

Vamos sentar aqui ao meu redor que eu vou explicar a origem das palavras que citei no calor do desespero.

Vejamos: dantesco vem do nome do poeta italiano Dante Alighieri, falecido em 1321, que nos deixou a obra-prima “A Divina Comédia”.

A primeira parte, “O Inferno”, tem descrições tão pavorosas dos castigos a que seriam submetidos os pecadores depois da morte que o adjetivo dantesco passou a se aplicar a situações extremas e capazes de despertar emoções profundamente desagradáveis, exatamente como as cenas que não são raras de ver aqui na aulinha.

Quem me dera poder enviar para esse lugar certos aluninhos que embranquecem meus cabelos a olhos vistos!

caótico vem do Grego khaos, que queria dizer “abismo, vazio, vasto, o que se abre largamente”. Veio do Indo-Europeu gheu-, “abrir”. Foi a palavra usada na primeira versão latina da Bíblia para nomear o vazio que existia antes da criação.

Uma palavra derivada dessa é gás, que passou a ser usada pelo químico holandês van Helmont, para descrever o vapor d′água. Esta palavra também se aplica a vocês, que se comportam de maneira tão desordenada quanto as moléculas de um gás altamente enlouquecido.

assombroso vem de “sombra”, que vem do Latim umbra. Aqui há uma metáfora com relação ao cavalo que se assusta com a própria sombra e se agita, lançando o cavaleiro ao chão.

Depois de anos de sofrimento, certas pobres professoras passam a se assustar até com as sombras dos alunos no chão.

Sesquipedálico vem do Latim, de sesqui, que originalmente era semisque. O semis- inicial queria dizer “meio”, o -que significava “e”. Ou seja, “e mais meio, um e meio”. O resto da palavra vem de pes, “pé”, uma medida de comprimento. A palavra toda quer dizer “o que mede um pé e meio”, o que tem um comprimento exagerado.

Ah, Joãozinho, não sei a que tipo de objeto se referia esta medida; até concordo que isso não é tamanho exagerado para algumas coisas, mas para outras é, e vamos logo seguir adiante que vocês precisam aprender estas coisas úteis, fique quietinho naquele canto, longe das meninas, por favor.

Como é, Valzinha? Sua vizinha, professora de Português, costuma chamar de sesquipedal o marido quando quer elogiá-lo? E ele fica bem faceiro? Não, não sei por que, não tenho a menor idéia, e se tivesse não quereria saber. Como eu disse antes, vamos em frente com este assunto tão momentoso e importante, raios partam a minha boca grande, que parece a de quem eu vou citar agora.

Gargantuesca vem do nome de um personagem de Rabelais, Gargantua, um gigante com uma boca de enorme abertura, por onde passavam refeições que poderiam alimentar exércitos. Usa-se, na verdade, para adjetivar glutonices, mas a gritaria de vocês era digna de uma garganta dessas.

Por sua vez, titânico vem de… Não, não, do nome do filme que vocês viram, não! Eta cultura de TV! O nome do navio é que vem da raça de gigantes que se voltou contra Zeus, o Pai dos Deuses grego, e que acabou derrotada depois de muito trabalho.

Usa-se para designar alguma coisa muito grande, descomunal, tal como a baderna que vocês instauram uma fração de segundo depois de se verem sem alguém no controle.

Monstruoso vem de monstro, evidentemente… Parem de fazer caretas e de babar! Eu sei o que é um monstro, até mais do que vocês. Essa palavra vem do Latim monstrum, “portento, sinal do que está por vir, presságio”, ligado ao verbo monere, “avisar, advertir”.

Naquelas épocas, o nascimento de animais deformados era visto como um mau presságio, daí a ligação dos sentidos de “mau sinal” e “com o corpo alterado”.

Insuperável vem do Latim in-, negativo, mais superare, “vencer, conquistar, dominar”, de super, “acima”. A confusão e gritaria de vocês eram tamanhas que parecia impossível vencer tal força da natureza.

Mas, com um pouco de inteligência e certa manha, até se consegue chegar ao final do horário com a turma razoavelmente quieta e os móveis ainda inteiros. Podem pegar suas mochilinhas e sair, que amanhã tem mais, infelizmente.

¤ ¤ ¤