Palavra minúcia

MIUDEZAS

 

A todo momento nós temos que lidar com fatos e coisas que não constituem maior problema mas que recheiam nossa existência, para bem ou para mal.

É o mosquito que zune em nossos ouvidos quando desejamos dormir em paz, é o chaveiro que não sabemos onde se encontra, é o spam ou o folheto de propaganda, é o sorriso que uma criança desconhecida nos dá na rua… Como nomear e saber de onde veio tudo isso?

Olhem, mas desde já avisamos que muitas dessas palavras apresentam pouco uso hoje em dia.

 

MIUDEZA –  vem de miúdo, “pequeno, de tamanho reduzido”, do Latim minutus, de minuere, “diminuir em tamanho ou número”, de minus, “menor”, que veio do Indo-Europeu mei-, “pequeno”.

 

MINÚCIA –  também se origina de minutus.

 

BAGATELA –  do Italiano bagatella, “miudeza, coisa pequena”, ligado a bagattino, “moeda de pequeno valor”, do Latim bacca, “baga, espécie de fruto, como o do carvalho”, figurativamente “pequeno objeto arredondado”, como no caso de uma moeda.

 

BUGIGANGA –  do Espanhol mojiganga, uma variação de bojiganga, “peça teatral curta e burlesca”, por extensão “coisa ridícula e sem valor”, do Latim vesica, “bexiga”. Isso porque a bexiga seca de gado era usada para compor trajes e objetos de farsa. Os artistas vestiam roupas recheadas com bexigas cheias de ar para efeito cômico.

O nome bojiganga era o nome de um personagem do teatro burlesco.

 

NINHARIA –  nada a ver com ninho. Vem do Espanhol niñería, “criancice”, de niño, “menino”, possivelmente de origem em palavra gerada pela fala infantil.

 

MIGALHICE – com o sentido de “insignificância”, vem de migalha,  do Latim micalea, de mica, “fragmento, porção muito pequena de alguma coisa”.

Mica também designava a parte da areia que reflete a luz, fazendo-a brilhar; originou o Italiano micare, “brilhar, tremular”, de onde o termo de Mineralogia mica, usado para certos silicatos.

 

 

INSIGNIFICÂNCIA –  do prefixo latino de negação in-, mais significans, relacionado a significare, “mostrar por sinais”, de signum, “sinal”, mais a raiz de facere, “fazer”.

 

BOBAGEM –  “coisa de bobos”, do Latim balbus, “gago’, de origem onomatopaica. Em outras épocas se ligava esse problema de fala ao retardamento mental, uma noção completamente errada.

 

MIXARIA –  vem de mixe, “de pouco valor, insignificante, sem graça”, possivelmente do Guarani mi’xi, “pequeno, escasso”.

 

BESTEIRA –  deriva de besta, no sentido de “animal irracional”, do Latim bestia, “animal em geral”. Ou seja, designa um ato feito com escassa reflexão, algo de escasso valor.

 

FRIOLEIRA –  do Latim frivolus, “sem valor, vão, fútil”. Origina-se de friare, “triturar, quebrar”. A metáfora aqui é com cacos de cerâmica rotos, que para nada servem.

 

NONADA –  para designar alguma coisa insigniificante, sem valor, esta palavra foi inventada no século XIV, a partir de não e nada.

 

QUINQUILHARIA –  Do Francês quincaille, “mercadoria barata”, de clinquaille, derivado de cliquer, “fazer ruído”, de origem onomatopaica.

 

PARVOÍCE –  do Latim parvulus, diminutivo de parvus, “pequeno, miúdo, tolo” muitas vezes aplicado a crianças de tenra idade.

 

RIDICULARIA –  vem de ridículo, que vem do Latim ridiculus, “aquilo que desperta o riso, que não é levado a sério”, derivado de ridere, “rir”.

 

INÂNIA –  mais uma pouco usada. Significa “vazio, inútil” e vem do Latim inanis, “pobre, vazio”.

 

FUTILIDADE –  ela vem do Latim futilis, “sem valor, vazio”, literalmente “o que se derrama com facilidade”, portanto “facilmente esvaziado, não-confiável, vazando”, de fundere, “derreter, derramar”.

 

NUGA –  do Latim nugae, “frivolidades, bagatelas”.

 

NULIDADE –  vem de nulo, do Latim nullus, “inexistente, sem valor, inepto”, de ne-, negativo, mais ullus, “alguém”, que veio de unullus, um diminutivo de unus, “um”.

 

Resposta:

Origem das palavras

Qual a origem das palavras , Mulata ,samba ,sonho ,beleza ,cabelo ,minúcia ,dinheiro ,elegante ,chique ,búzios ,ócios ,palha ,trama ,formusura ?

Resposta:

Larissa, nosso site responde apenas a sete  palavras por dia (número mágico) , devido a certos abusos que andaram ocorrendo com trabalhos escolares.

Amanhã entre de novo nesta pergunta e v. receberá o faltante.

1) Do Espanhol MULATO, “macho jovem da mula”, fazendo uma comparação com o hibridismo do quadrúpede, que é cria de equino  com asinino.

2) Origem controversa.

3)  Latim, SOMNIUM, “sonho”.

4)  Latim, BELLITAS, “estado de ser belo”, de BELLUS, “bonito, bem-apessoado, encantador”, que se relaciona com BONUS, “bom”.

5) Latim, CAPILLUS, “cabelo”, derivado de CAPUT, “cabeça”.

6)  Latim, MINUTUS, particípio passado de MINUERE, “diminuir”, de MINUS, “menor”

7)  Latim, DENARIUS NUMMUS, “a moeda que contém dez (dez ‘asses’, uma subdivisão)”. Essa moeda logo passou a ser chamada apenas de DENARIUS.

8)  Do L. ELEGANS, “de escolha, refinado, de bom gosto”, de ELIGERE, “escolher com cuidado, selecionar”.

9) Do Francês CHIC, “elegante, de estilo”, talvez do Germânico medieval SCHIKKEN, “arrumar, ordenar adequadamente”.

10) No caso do molusco, é o L. BUCINUS, “trombeta”, já  que algumas conchas grandes serviam para esse fim.

11)  Do L. OTIUM, “descanso, lazer, tranquilidade”.

12) Do  L. PALEA, “palha”.

13) Do L. TRAMA, “fio, tecido, trama”.

14) Esta palavra não pertence ao nosso idioma.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!