Em: Assunto da Edição

MARCAS DE CARROS

Diariamente a gente se depara com veículos portando o nome de seus fabricantes. Estamos tão acostumados com isso que nem prestamos atenção às palavrinhas que os identificam. Mas agora vamos nos informar um pouco sobre as origens de algumas.

 

ALFA ROMEO  –  inicialmente, a fábrica se chamava apenas Alfa. Esta era a sigla para o nome italiano Anonima Lombarda Fabbrica Automobili, “Fábrica Lombarda de Automóveis, (Sociedade) Anônima”.

A Lombardia pertence à região norte da Itália; esse nome vem de Langobardus, como era conhecido um povo germânico que se estabeleceu por lá no século VI DC.

A palavra Romeo foi acrescentada depois que a fábrica foi comprada por Nicola Romeo em 1915.

 

Audi  –  August Horch iniciou uma empresa para fabricar automóveis em Colônia, Alemanha, em 1899. Saiu dela alguns anos depois, por desentendimentos internos, e abriu uma nova, na qual figurava também seu sobrenome. Mas os antigos sócios não gostaram e o acionaram legalmente para mudar a razão social.

Ele se reuniu com amigos para escolher outro nome, na mesma sala onde o filho de um deles estudava Latim. Depois de muito hesitar, o rapaz perguntou o que eles achavam de usar a palavra Audi, “ouve”, “escuta”, já que Horch quer dizer isso em Alemão. A idéia foi aprovada com entusiasmo.

Não, o menino não ganhou um automóvel de presente. Ingratos!

 

CADILLAC  –  vem do aventureiro francês que fundou Detroit, a cidade que seria por muito tempo sede da indústria automobilística americana, em 1701. Ele era Antoine Laumet de La Mothe, Senhor de Cadillac. E Cadillac era uma pequena localidade que parece ter sido chamada assim devido a um proprietário galo-romano, Catilius.

Por um bom tempo ele foi considerado um herói dos primeiros tempos dos Estados Unidos, mas a revisão histórica acabou apontando-o como um explorador de nativos americanos através do comércio de álcool e peles.

 

CHEVROLET  –  Louis Chevrolet, um corredor suíço, foi um dos fundadores desta marca, em Detroit, em 1911.

A empresa foi comprada pela General Motors em 1918 e se destinou a competir com a Ford.

Aparentemente esse sobrenome se liga à palavra francesa chèvre, “cabra”, que originou diversas variantes como Chévreaux, Chevrollier, Chevron.

 

CITROËN  –  é uma variante holandesa da palavra francesa citron, “limão”. Pode ter vindo da ocupação do iniciador da família, um possível mercador dessa fruta.

Durante a Primeira Guerra Mundial, André-Gustave Citroën se dedicava à fabricação de armamentos. Finda a guerra, em 1919 ele se dedicou aos automóveis e instalou a primeira fábrica de produção em massa de veículos fora dos Estados Unidos.

 

FORD  –  em 1903, um tal Henry Ford iniciou a fábrica que viria a popularizar o automóvel em nosso planeta.

O sobrenome dele significa “vau, local de passagem de um curso d’água”.

 

MERCEDES-BENZ  –  o nome Mercedes foi registrado em 1902, embora o produto existisse antes disso. Ele se deve a Emil Jellinek, um diplomata austríaco que gostava de correr num automóvel por ele denominado Mercédès, em homenagem à sua filha.

Mais tarde a empresa foi comprada pela Daimler-Benz e reteve o sobrenome um de seus participantes, Karl Benz. Que, aliás, foi o primeiro a criar um veículo com motor movido a gasolina.

E este sobrenome é um encurtamento de Bernhard ou Berthold, respectivamente “Bernardo” e “Bertoldo”.

 

VOLKSWAGEN  –  todos já sabem, mas não poderemos deixar de lembrar que isso é Alemão e quer dizer “Carro do Povo”, onde Volks é “povo” e Wagen, “carro”.

A primeira dessas palavras vem do antigo Alto Alemão folc e a outra é do Germânico wagnaz, ligada ao sentido de “levar, transportar”. Note-se que esta é ligada ao Latim vehiculum, “veículo”, de onde saiu também o nosso “vagão”.

 

PEUGEOT  –  esta família francesa fez seus primeiros automóveis (apenas quatro, inicialmente) em 1889.

Eles já comerciavam muito antes disso. Passaram do ramo dos alimentos para o dos tecidos; por causa deste, começaram a fazer estruturas com varetas de aço para manter os vestidos rígidos, como se usava na época vitoriana; daí passaram para estruturas de guarda-chuvas e sombrinhas; então começaram a fazer serras de aço e depois bicicletas.

E destas para automóveis, após várias décadas.

Esse sobrenome vem de uma palavra não mais usada em Francês, pouget, “colina baixa”, do Latim podium, “lugar elevado”, do Grego podion, “pequeno pé”, pela noção de “apoio”.

 

¤ ¤ ¤