Palavra huguinho

VALTERDISNEY

 

Noite tenebrosa. O bairro sem nome. Ruas escuras, vento empurrando o lixo pelo chão, calçadas vazias. No meio de uma quadra, uma luz sai com violência de uma vitrine.

Nossa Câmera Literária leva o leitor voando para dentro do lugar. Surpresa: ele está cheio de gente e palavras divertindo-se. Mais ainda: ele exala um cheiro absolutamente delicioso de pizza.

Todos já perceberam: estamos na Pizzaria do Porco, a melhor do bairro. Em parte por ser a única.

Seu dono, Porco Garcia, que não acredita na livre concorrência, escorraçou do bairro eventuais empresários do ramo.

Mas o que ele prepara e oferece aos clientes  –  tanto gente como palavras  –  é muito bom, contanto que ninguém atente às atrozes condições sanitárias da cozinha.

Não falaremos nesta porque há gente delicada entre nossos leitores e não queremos ferir suas sensibilidades.

Dentro do barulhento salão, bem num canto, está nosso afamado Detetive Etimológico, o Defensor dos Étimos, o Salvador das Palavras, o Terror da Etimologia Popular: X-8!

Está ele ali, comendo uma pizza de sabor irreconhecível, mas muito bom, quando uma pessoa pede licença e se acomoda numa das cadeiras guenzas sem esperar resposta.

É um sujeito estranho, com óculos muito míopes, cabelo escuro espetado e arrepiado para cima, camisa com mangas curtas de um laranja berrante, uma gravata policrômica mais berrante ainda, suspensórios e uma calça marrom que deixa as canelas de fora.

Leva na mão uma antiga pasta de couro, evidentemente cheia.

Apresenta-se:

– Pelo que me disseram, o senhor é o famoso X-8, Detetive. Muito prazer, meu nome é Valterdísney Hierofante, às suas ordens. Não me conhece? Claro que não, pois faz pouco que mudei para este ótimo bairro. Como se deduz de meu nome, meu pai era um grande fã das histórias de Walt Disney, a ponto de me dar o nome que orgulhosamente ostento. Trabalho em coisas diversas, umas aqui, outras ali, das quais não convém falar para não fornecer provas. Mas isso não vem ao caso, o que importa é que andei tendo uns lucros inesperados recentemente, devido a um alarme que não funcionava direito e que me permitiu fazer um serviço bem completinho, o que me levou a poder separar uma graninha para atingir um sonho de minha vida. Este sonho é o seguinte: conheço toda a história dos personagens clássicos de Disney desde a infância, tenho coleções de suas publicações – mas sempre que vou a um congresso me sinto humilhado por não saber os nomes dos personagens em Inglês nem a sua origem. Sabedor de que é esse o trabalho do amigo de infância que acabo de conhecer, gostaria de lhe encomendar informações sobre a famosa Família Pato. Quanto cobra?

X-8, atarantado com o jorro de palavras que lhe fora despejado em cima, ergueu a mão para fazer o outro parar de falar. Seus dedos estendidos foram mal interpretados:

– Cinco? Puxa, o senhor é careiro, hein? Mas não faz mal, vale a pena, se o trabalho for bem feito e vier junto algum papel bem enfeitado e cheio de selos e carimbos para eu mostrar aos outros. Então está bem, encontramo-nos daqui a uma semana neste mesmo local e hora. Aceita alguma mercadoria em troca? Escambos em geral? Cheque? Cartão?

Ao ver que a zonza cabeça do detetive se mexia negativamente, ele acrescentou:

– Não? Bem me disseram que o senhor era um osso duro de roer. Tá bom, eu trago cash.

Levantou-se e saiu porta afora, com a grande pressa que parecia acompanhá-lo sempre.

X-8 levantou um dedo, cansado, e pediu mais um refrigerante gelado.  Ficou pensativo por um tempo e depois saiu.

………………….

 

Mesmo cenário, uma semana depois. O cliente, Valterdísney, tenta pagar X-8 com o conteúdo da caçamba de uma camionete estacionada na frente da Pizzaria.

X-8 nem responde.

Valterdísney puxa um talão de cheques e uma caneta Mont Blanc Made in Paraguay, legítima.

Nem um movimento em resposta.

Valterdísney tira maços e maços de dinheiro do bolso. X-8 os agarra e conta nota por nota, examinando várias contra a luz.

O cliente aguarda, ansioso, o fim da contagem. Agora X-8 lhe entrega algumas folhas batidas numa máquina de escrever antiga e um papel imponente, com jeito mais do que oficial. Faz um gesto imperioso que quer dizer “Agora leia e confira”.

O consumidor inicia a leitura, cuidando para que os papeis não se contaminem com o duvidoso azeite que mancha os tampos das mesas. Eis o que ele vê:

ETIMOLOGIA DA FAMÍLIA PATO EM INGLÊS

 

Pato Donald – no original, Donald Duck. Este é o sobrenome de família e quer dizer “pato”, como todos sabem. Sua origem é o Inglês antigo duce, “pato”, derivado de ducan, “abaixar-se”, um gesto muito comum do palmípede quando está na água e procurando alimento.

Donald vem do Gaélico e quer dizer “grande chefe, poderoso para o mundo”. Voltaremos a este nome mais adiante.

Os Sobrinhos – os patinhos, muito mais capazes do que seu rabugento tio, se chamam Houie, Louie e Dewey.

O primeiro é um diminutivo de Hugh, “Hugo”, de origem germânica, que faz parte de vários nomes como Hugberto, Hugmund, Hugiswind e que dá a noção de “espírito, mente, razão”.

Louie vem do Germânico hluot, “glória”, mais wig, “batalha”. Foi depois latinizado para Ludovicus e passou para Loois e finalmente atingiu a forma atual: “Luís”.

Dewey é um nome galês e quer dizer “Daví”, que significa “amado” em Hebraico.

Tio Patinhas – seu nome de origem é Scrooge MacDuck. O Duck já conhecemos, o Mac antes dele vem do Gaélico e quer dizer “filho de”.

Usa-se muito na Escócia o seu uso nestas histórias faz alusão à lendária avareza dos naturais do país.

E Scrooge é o nome do sovina personagem de Dickens da noite de Natal tão conhecido de todos. É um nome inventado por ele que passou a ter uso comum em Inglês, com o significado de “avarento”, bem adequado ao velho pato negociante com suíças.

Margarida – a eterna namorada de Donald é chamada de Daisy Duck. Não deveria ter o mesmo sobrenome, mas entre patos parece que os hábitos não são como os dos humanos. Já notaram que ninguém tem filhos nessas histórias?

Daisy tem uma origem muito bonita no Inglês arcaico: é daegesege, “o olho do dia”, porque as pétalas da flor se abrem só durante o dia.

Vovó Donalda – eis aqui a Grandma Duck. A primeira palavra é um encurtamento carinhoso de grandmother, literalmente “grande mãe”, ou “avó”.

Gastão – o vaidoso e sortudo primo de Donald é Gladstone Gander. Seu sobrenome vem do Inglês antigo gandra, “ganso”.  o nome queria dizer “pedra com formato de falcão”, mas provavelmente foi escolhido por conter Glad, do Inglês antigo glaed, “alegre, contente, brilhante”.

Ter a sorte que ele tem só pode deixar uma pessoa alegre.

Os Metralhas – os ladrões que estão constantemente atrás do dinheiro do Tio Patinhas são os Beagle Boys. É um nome de quadrilha, não familiar, ao que parece. É o nome de uma raça canina e deriva possivelmente do Francês becguele, “pessoa barulhenta”, de bayer, “abrir amplamente”, mais gueule, “garganta, boca”.  Eles são indivíduos da raça canina com orelhas caídas, como é o caso desse tipo de cão.

Terminada a leitura, Valterdísney se ergueu, com lágrimas nos olhos, e tentou apertar a mão do frio detetive. Não conseguiu, pois ele as enfiou rapidamente nos bolsos da gabardine e ficou imóvel.

O estranho cliente guardou cuidadosamente os papéis na sua pasta surrada e saiu para a noite, deixando nosso herói com um senso de dever cumprido e bolso cheio.

Ele se virou e pediu a segunda pizza do mês, para comemorar.

Resposta:

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!