Palavra remoque

DEBOCHE

 

Uma das atividades preferidas do ser humano é caçoar, fazer pouco, diminuir o valor dos outros. Nosso vocabulário demonstra isso através de numerosas palavras, cujas origens vamos dissecar agora.

 

DEBOCHAR  –  esta palavra deriva do Francês débaucher, de ébaucher, “desbastar troncos para fazer vigas”.

E esta vem de bau, do Frâncico balk, “viga, trave”. Ou seja, o verbo designa o ato de retirar uma trave de um tronco.

A partir daí passou a ser usado para dizer “afastar alguém do seu dever”, que é o significado atual em Francês e em Inglês.

Em nosso idioma significa “devassidão, libertinagem”, especializando-se mais recentemente em “zombaria”.

 

CHACOTA  –  sugere-se que tenha origem onomatopaica, imitando o entrechocar das castanholas ou do riso exagerado.

 

ZOMBARIA  –  para acompanhar a origem pouco clara da anterior: ela viria do Espanhol zumbar, que seria também um som imitativo, neste caso do ruído feito por abelhas e vespas.

 

ZOAR, ZOEIRAR  –  possivelmente de soar, do Latim sonare, “emitir ruídos, fazer um som”. Mas provavelmente também tenha um elemento imitativo.

 

GOZAÇÃO  –  do Latim gaudere, “alegrar-se”. Um derivado deste verbo de pouco uso atualmente é gáudio, “regozijo, ato de rejubilar”.

 

GRACEJO  –  vem de “gracejar”, que vem de graça, do Latim gratia, “agradecimento, favor, beleza”, tendo assumido também o sentido de “brincadeira, diversão, ato humorístico”.

 

DEBIQUE  –  pouco usada atualmente, tem o significado de “fazer ironia de, zombar”. Vem de de-, “fora”, mais bico, do Latim beccus, “bico de ave”.

Faz uma alusão metafórica, talvez, ao sistema vigente entre as galinhas e outras aves, de demonstrar superioridade sobre outros indivíduos por meio de bicadas.

 

DERRISÃO  –  menos usada ainda, pelo que observamos, embora não seja rara em Inglês, como derision. Veio do Francês dérision, “zombaria, escárnio” do Latim deridere, formado por de-  mais ridere, “rir”.

 

DICHOTE  –  do Espanhol dichote, “dito espirituoso, deboche”, de dicho, “dito”, particípio passado de decir, do Latim dicere, “dizer”.

 

ESCÁRNIO  –  de “escarnir”, sinônimo de “escarnecer”, do Germânico skirnjan, “zombaria, desprezo”.

 

GALHOFA  –  aparentemente vem do Espanhol gallofa, que dizem ser o nome de restos de pão que eram dados aos peregrinos nos conventos da Galícia, quando eles estavam se dirigindo em romaria a Santiago de Compostela. Exatamente qual é a graça não conseguimos entender, mas isso era lá com eles.

 

REMOQUE  –  do Provençal mocar, derivado de um som imitativo moc, simbolizando desprezo, pouco caso.

O Francês tem, com essa origem, moquer, “fazer pouco caso”. No Espanhol há mueca, “careta”.

 

SARCASMO  – do Latim sarcasmus, do Grego sarkasmos, “deboche, reprovação insultuosa, observação usando desprezo”, de sarkazein. Este verbo queria dizer literalmente “arrancar a carne”, de sarx, “carne”.

Um sarcasmo bem bolado pode ser pior do que perder um pedaço de carne para um animal feroz.

 

VAIA  –  é uma maneira de manifestar desaprovação ruidosa, seja em política, esporte, artes, etc. Do Espanhol vaya, expressão de mofa ou desprezo.

 

APUPO  –  do Latim upupare, com origem onomatopaica.

 

LEQUÉSSIA  –  com o significado de “vaia, apupo”, viria de eloquência, provavelmente em referência ao descontrole verbal de uma pessoa que exagerou na bebida e se põe a fazer discursos.

 

TROÇA  –  de troço (ô), “pedaço de algum material, grupo de pessoas”, que acabou com o sentido de “zombaria, caçoada”.

 

 

 

 

Resposta:

temas náuticos parte 3

Palavras: alar , cavilha , içar , quilha , rebocar , remoque

Xiii… acho que foram muito ríspidos com a Daniele de Maringá coitadinha… acho que ela não se referia à formação morfológica das referidas palavras e sim à formação etimológica das mesmas… Afinal, o que é a etimologia que não a formação das palavras em sua evolução na história? Está certo que muitos vêm aqui achando se tratar de um site de gramática e fazem perguntas no contexto errado. Mas não dá para pressupor que toda pergunta aparentemente mal formulada se refira a isto.
Desculpem o puxão de orelha. É que gosto de pegar no pé como já sabem bem… rsrsrs.

bom, retomando o rumo da prosa, aí vão as próximas palavras…

1- içar
2- alar (o étimo desta palavra no sentido de “içar” é o mesmo que no sentido “relativo à asa”?)
3- reboque (se bem que hoje em dia esta palavra já é mais usada em relação ao transporte terrestre do que ao marítimo)
4- remoque (por fonética acabei pensado nesta embora esteja fora do tema)
5- cavilha
6- quilha

ps. no caso da malagueta, o que exatamente é incerto? o étimo ou se uma malagueta é relacionada à outra?

Resposta:

Nós aqui não temos o direito de supor o que as pessoas querem. Se fizermos isso, vamos ir atrás de possibilidades que nem sempre são as reais.

Além disso, lidando às vezes com consultas a uns 4 – 5 dicionários para chegar a algum resultado, sentimo-nos no direito de receber as perguntas com as palavras escritas corretamente e com o texto expressando a necessidade de acordo com as regras do vernáculo.

Fazemos exatamente o que v. diz: se a pergunta é mal formulada de modo a não se inserir em nosso trabalho,  mostramos que há um problema e continuamos à disposição. Algums pessoas repetem a dúvida, agora com mais orientação, e damos a resposta que elas querem.

Como a maioria não faz isso, deduzimos que não estão interessadas no que temos para elas. Já deu para ver que muitas acham que somos um dicionário comum online, mais fácil de consultar do que um de papel.

Também já deu para ver que há um enorme número de preguiçosos que não têm qualquer interesse verdadeiro por Etimologia e que desejam atirar para cima de nós os seus temas de casa.

1) Do Francês HISSER, “levantar, elevar, hastear”, do Germânico HISSEN, idem.

2) Não; vem do Francês HALER, “puxar”, do Germ. HALON, “trazer, buscar”. Mas tem tudo para vir do Latim ALA, né?

3) Do L. REMULCUM, “corda, cabo para puxar embarcações, corda de sirga”.

4) Como hipótese: de RE-, intensificativo, mais o L. MUCCARE, “assoar o nariz”, como gesto de desprezo.

5) Do L. CABICOLA, alteração de CLAVICULA, “pequena chave”.

6) Do Norueguês arcaico KJÖRL, “quilha”.

Malagueta: em nossas pesquisas, um significado leva ao outro.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!