Palavra trompa

INSTRUMENTOS DE SOPRO

Dentre os aparatos que servem para fazer a boa música  –  e a má também   –  temos a categoria dos instrumentos de sopro. A razão desse nome é muito clara: sopro vem do Latim sufflare, formado por sub, “sob”, mais flare, “fazer deslocar o ar, assoprar” – é isso que o artista usa ao tocar seu instrumento.

Estudemos as origens de alguns dentre os mais destacados deles.

 

APITO  –  é um dos mais básicos. Deriva do Espanhol pito, palavra de origem onomatopaica, ou seja, que imita algum som.

 

FLAUTA  –  vem do Francês flûte, do Provençal antigo flaut, com origem incerta, possivelmente relacionado ao Latim flare, citado pouco acima.

Flautim naturalmente é um diminutivo.

 

FLAUTA DE Pà –  é um dos instrumentos sopro mais antigos, espalhado por todos os continentes. É feito com tubos de diferentes tamanhos colocados lado a lado. Deriva do nome do deus grego Pan, que velava pelos campos e áreas verdes e era ligado à fertilidade dos animais e das pessoas. Um de seus atributos era essa flauta, com a qual ele se dedicava a fazer românticas músicas para as ninfas que ele encontrava distraídas pelos bosques.

 

PÍFARO/PÍFANO  –  do Latim piffarus, que veio do Alemão antigo pfiffe, “tocador de pífaro”, que por sua vez se liga ao Latim pipare, “cantar das aves”, mais uma palavra onomatopaica.

 

GAITA DE BOCA  –  também chamada de harmônica. Este nome veio do Inglês harmonica, a partir do Latim harmonicus, do Grego harmonia, “ajuste, combinação, concordância de sons”, literalmente “meios de encaixar, de combinar”, de harmos, “articulação do corpo, ombro”, de uma raiz Indo-Europeia ar-, “encaixar, articular”.

Inicialmente essa palavra foi usada por Benjamin Franklin para nomear um conjunto de lentes; mais tarde se aplicou ao instrumento musical, também chamado em Inglês de mouth organ, “órgão de boca”.

Já gaita aparentemente vem do Germânico wahta, inicialmente “guarda noturno, vigia”, possivelmente por eles usarem algum instrumento de sopro, como um apito, para comunicação.

 

GAITA DE FOLES  –  vem de gaita mais fole, esta do Latim follis, “saco de couro”. Mas tem outro nome, pouco usado em nosso idioma: cornamusa. Ele vem do Italiano corno, uma menção à corneta, mais musa, com o sentido de “instrumento musical”, de musica, “música”.

 

TROMPA  –  do Francês trompe, um instrumento de sopro longo, do Italiano tromba, de fonte germânica, onomatopaica.

 

TROMBONE  –  é uma derivada da anterior.

 

OBOÉ  –  do Italiano oboe, do Francês hautbois, literalmente “madeira alta”, devido ao tom que produz.

 

FAGOTE  –  do Italiano fagotto. Uns dizem que se  fez a partir do Latim fagus, “freixo”, por ser feito com esta madeira. Outros, que vem de fascis, “feixe”, por poder ser dividido em partes como um atado de varas.

 

SAXOFONE  –  do nome do seu inventor, o belga Antoine-Joseph (“Adolphe”) Sax, a cujo sobrenome se adicionou a palavra Grego phonós, “som, voz”.

 

CLARINETE  –  veio do Francês clarinette, do Latim clarus, “nítido, límpido, claro”.

Evidentemente, clarim tem a mesma origem.

 

PISTÃO  –  do Francês piston, do Italiano pistone, do Latim pestare, “bater como um pilão”.

 

TUBA  –  do Latim tuba, que designava um instrumento militar de sopro usado nas tropas romanas. Derivava de tubus, “cano, cilindro oco”, que evidentemente também gerou a nossa palavra tubo.

 

BOMBARDINO  –  é um nome pouco conhecido fora da área musical. É muito semelhante a uma tuba. O nome vem do Italiano bombarda, por lembrar o som grave e poderoso desse tipo de canhão antigo.

E esta palavra, por sua vez, veio do Latim bombus, “ruído grave e forte”, do Grego bombos, “idem”. Mais uma palavra de origem imitativa.

O instrumento tem outro nome, eufônio. Ele foi criado a partir do Grego eu-, “bom”, mais phonós, “som”.

 

CORNETA  –  é um instrumento basicamente de uso militar, para passar ordens simples à distância. Originalmente era feito de chifre de animal, do Latim cornu, “chifre”.

 

Resposta:

Instrumentos Musicais

Todos os povos têm os seus instrumentos para poderem expressar sua musicalidade. Desde os tambores que serviam para passar avisos simples a longas distâncias até os mais complexos instrumentos de uma orquestra moderna, existe uma enorme gama de equipamentos capazes de emitir sons que podem nos passar sentimentos os mais diversos.

Por exemplo…

PIANO – vem do Italiano pianoforte, encurtamento de gravicembalo col piano e forte, “cravo com suave e forte”, nome dado aí por 1710 pelo inventor B. Cristofori, a partir da alteração que os martelos com feltro trouxeram ao som  metálico do cravo.

CRAVO – provavelmente do Latim clavis, “chave, tecla”.

VIOLINO – é de 1579, um diminutivo de viola, do Latim medieval vitula, dado a instrumentos de corda, possivelmente da deusa Vitula, que presidia às manifestações de alegria, através do verbo relacionado vitulari, “exultar, ser alegre”.

Desnecessário dizer que violão tem a mesma origem, bem como violoncelo.

GUITARRA – veio do Espanhol guitarra, do Árabe qitar, do Grego kithara, “cítara”, um instrumento de cordas, derivado do Persa sitar, literalmente “três cordas”, de si-, “três”, mais tar, “corda”.

BAIXO – vem do Latim bassus, “curto, baixo, atarracado”, referindo-se à sua capacidade de emitir sons graves e ao seu aspecto gordinho.

HARPA – veio do Latim harpa, que veio do Proto-Germânico kharpon.Até fica meio difícil imaginar aquele povo guerreiro tocando um instrumento capaz de fazer sons tão delicados. Mas certamente não se tratava da harpa como a conhecemos hoje.

TAMBOR – do Francês antigo tabour, provavelmente do Persa tabir, “tambor” mesmo.

O bumbo, um tipo de tambor grande que emite ruído grave, deriva do Italiano bombo, que veio do Latim bombus, “barulho, ruído alto, zumbido” do Grego bombos, de origem onomatopaica.

FLAUTA – vem do Francês flaute, do Provençal antigo flaut, com origem incerta, possivelmente relacionado ao Latim flare, “assoprar”.

XILOFONE – é uma palavra criada em 1866, a partir do Grego xylo-, “madeira”, mais phoné, “som”, pois as notas são geradas pela batida em peças de madeira de tamanhos variados dispostas sobre o instrumento.

TROMPA – do Francês trompe, um instrumento de sopro longo, do Italiano tromba, de fonte germânica, onomatopaica.

Trombone também veio daí; foi aplicado em 1724 a um  instrumento inventado na época.

TUBA – do Latim tuba, usado para designar um instrumento militar de sopro usado nas tropas imperiais romanas. Derivava de tubus, “cano, cilindro oco”, que evidentemente gerou a nossa palavra tubo.

SAXOFONE – é de 1851 e vem do nome do seu inventor, o belga Antoine-Joseph Sax, a cujo sobrenome se adicionou a palavra Grego phoné, da qual falamos pouco acima.

Resposta:

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!