Palavra colete

CONTRA O FRIO

  

O Brasil é um país com poucas áreas frias, seconsiderarmos todo o seu tamanho. Mas nestas, quando as temperaturas baixam, hánecessidade de colocar em uso diversas maneiras de combater essa sensação quepode acarretar sérios perigos à saúde. Vejam as palavras usadas nessas ocasiõese suas origens:

 

ABRIGO  –  usa-se tanto para designar uma proteçãoambiente, como o interior de um prédio, quanto para uma de cunho individual,como uma peça de roupa.

Vem do Latim apricare, “proteger-se do frio aquecendo-se ao sol”, de apricus, “exposto ao sol”.

 

AGASALHO  –  do Gótico gasalja, “camarada, companheiro”, no sentido de “abrigar,
acomodar, proteger”.

 

CASACO  –  de “casaca”, que veio da expressão italiana veste cosacca, “roupa cossaca”. E “cossaco” vem do Russo kozak, do Turco qaz, “andar sem destino”, que era coisa que eles aparentemente gostavam de fazer.

 

CASACÃO  –  obviamente vem de casaco; é uma peça mais longa e de tecido mais grosso.

 

PALETÓ  –  do Francês paletot, “casaco ou jaqueta de camponês”, do Inglês paltok, de origem desconhecida.

 

COLETE  –  usar um desses por baixo do paletó pode ajudar contra o frio. Deriva do Francês collet, “colarinho, gola”, de col, “pescoço”.

 

CACHECOL  –  do Francês cache-col, literalmente “esconde o pescoço”, já que essa
é a parte do corpo defendida pela peça.

 

JAQUETA  –  do Francês jacquet, “casaco curto com manga longa”. Uma das hipóteses é de que esse nome se teria originado de Jacques, o nome próprio usado para designar o camponês na França.

Outra é de que viria de jaque de maille, originalmente “cota de malha”, do Espanhol jaco, que viria do Árabe shakk, “proteção peitoral”.

 

MANTA  –  em algumas partes do país, o cachecol é chamado assim, do Latim mantum,
“manto, cobertura”.

 

BLUSA  –  do Francês blouse, de origem desconhecida.

 

SUÉTER  –  do Inglês sweater, “o que faz suar”, de to sweat, “suar”. A ideia não é essa, mas quando ele é de tecido muito espesso pode fazer suar mesmo.

 

PULÔVER  –  é o mesmo que um suéter, mas esta palavra vem do Inglês pullover, “colocar por cima”, pois é enfiada pela cabeça.

 

CAMISETA  –  nada como vestir uma por baixo, quando faz frio. Claro que deriva de “camisa”, que vem do Latim camisia, “roupa de dormir”, de “cama”. Até o século XIX, uma pessoa ser vista “em camisa” era um escândalo.

 

LUVAS  –  deriva do Frâncico lofa, “palma da mão”, embora normalmente cubra mais do
que isso.

 

GORRO  –  qualquer chapéu, quépi, etc. pode ser usado contra o frio. Mas um gorro de lã adere melhor à cabeça e a deixa mais quentinha. Sua origem é controvertida, havendo quem diga que vem do Basco gorri, “vermelho”.

 

GABARDINE  –  é uma espécie de casacão de tecido mais fino e em geral impermeável. Seu uso veio a partir dos casacos usados nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial, que os fashionistas atuais chamam de trench-coat, “casaco de trincheira”.

A palavra é do Francês galvardine, “capa de peregrino”, que veio do Germânico wallevart, de wallen, “errar, vagabundear, andar sem destino”, mais fahren, “jornadear, viajar”.

 

EDREDOM  –  depois de um dia frio, nada como se abrigar na caminha macia, por baixo
de uma coberta acolchoada destas.

O nome vem do Francês édredon, do Islandês aedar-dun, “plumagem macia de pássaro”.

Inicialmente, eles eram feitos com plumas de certas aves, agora são recheados com fibras de derivados de petróleo mesmo.

 

LAREIRA  –  quando uma casa tem lareira e faz frio, nada como um bom tempo gasto olhando o misterioso fogo e tendo, sem o saber, lembranças de quando éramos poucos e vivíamos em cavernas.

A palavra vem do nome dos deuses romanos Lares, que protegiam cada família em sua casa e eram simbolizados pelo fogo aceso em cada domicílio.
Deles também vem nossa abençoada palavra lar.

 

 

 

 

 

 

 

 

Resposta:

cobras, argh!

Palavras: colete , culote , perfídia

Perfídia tem algo a ver com cobra, de qualquer tipo? Ouvi um tango (acho que é tango) e no fim denominaram como PERFÍDIA. Veio junto, na minha mente, a imagem de uma cobra com a lígua (ARGH!) bipartida. Acho que todas as tem assim, mas vamos mudar de assunto pq répteis, eu os detesto.
Colete e culote são parentes ? O chamado culote, um excesso nos quadris, deve ter algo a ver pelo menos com o culote e nadinha com o colete. Farofinei?
Ah, o que tem o galês de tão importante para volta e meia ser citado como idioma que originou palavras em outros idiomas, please? Antiguidade é posto, na certa é isso…

Resposta:

1) Do Latim PERFIDIA, “falsidade, traição”, de PERFIDUS, “sem fé”, da expressão PER FIDEM DECIPERE, “enganar através da confiança”.

E não é um tango. Nada a ver com os pobres répteis, mas para fazer metáfora qualquer palavra serve.

2) Do Francês COLLET, “pequeno manto, gola”, do L. COLLUM, “pescoço”.

3) Do F. CULOTTE, “calça que vai até os joelhos, adequada para a equitação”, de CUL, “nádegas”, do L. CULUS, “nádegas, ânus”.

O culote como excesso de gordura na face lateral das coxas recebeu esse nome por ocupar mais ou menos a região coberta pela peça de roupa.

O Galês constitui uma parte importante da herança do idioma inglês; é a manifestação atual do Celta, instalado na ilha muito antes da chegada dos romanos. Persiste ainda algo dele  na Irlanda, Escócia e Normandia.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!