Palavra geladeira

NA COZINHA

Visitando meu avô, comentei que, ao passar pela cozinha, tinha visto a Avó preparando um suco.

– Oba, disse ele, vai sair coisa gostosa para o nosso lanche. Falando nisso, sabe de onde vem a palavra liquidificador?

–  Apesar de ser seu neto, não são tão ignorante, Vô. Deve vir de líquido, não?

–  Vejam só, ele sabe! Isso mesmo, e esta vem do Latim liquidus, “fluido, umidade, líquido”, de liqui, “derreter, escorrer, fluir”. Junte-se a esta raiz a palavra facere, “fazer”, e temos o nome do aparelho que transforma certos materiais em líquido para aliviar nossas sedes.

– E como se chama em Inglês, liquidificator ou algo assim?

– Nada disso, por lá eles dizem blender ou  mixer, “misturador”. Liquidificador  se usa é no Brasil, desde 1939, quando uma empresa local lançou esse aparelho com base numa invenção americana de 1919. Veja só, ele vai cumprir cem aninhos em breve.

–  Humm… e geladeira, vem de gelo?

–  Você está espantosamente esperto hoje, menino. Sim, e gelo vem do Latim gelus; esta se usava para dizer tanto “gelo” como “frio intenso” como “geada” e “caramelo, revestimento doce”. Daí o uso da palavra glacê, aquele revestimento clarinho dos bolos; em Francês, “gelo” se diz glace.

–  Pareceu-me que está saindo um bolo também. Vai ver que leva glacê.

– Você talvez não conheça um nome que se usava para a geladeira, que era frigidaire. Essa foi a marca inicial desses aparelhos, lançados nos Estados Unidos em 1916. Foram tão divulgados que em vários países ainda se usa esta marca como nome genérico para geladeira.

–  E frigidaire vem de?…

– Do Latim frigidus, “o que apresenta baixa temperatura”, de frigus, “frio”.

Falando nisso, não nos esqueçamos que congelador também deriva de gelus.

– Claro, meu antepassado; bem como freezer, – disse eu, me achando o máximo.

–  Estava demorando para dizer besteira.

–  Mas isso não é o mesmo que congelador?

– É o mesmo conceito, o mesmo objeto, mas a palavra tem outra origem, rapaz! Essa vem do Inglês antigo freosan, do antigo Germânico friosan, tendo parentesco com o Latim prurire, “coçar”, já que sentir frio pode lembrar a sensação de coceira.

–  Aah… E indo para o outro lado, de onde veio fogão?

–  Claramente de fogo, que vem do Latim focus, “lareira, local de fazer fogo numa casa”.  Temos um equivalente mais moderno deste, o forno de microondas, do Latim furnus, “câmara para assar alimentos”.

– Minha professora disse que fez recentemente uma visita a Furnas. Será que eles assam muito pão por lá?

–  Não, mas a origem de furna, que quer dizer “gruta, caverna” é a mesma de forno.  

O que me lembra outro aparelho, a torradeira, que vem do Latim torrere, “queimar, secar, tostar ao fogo”.

–  Uma torrada com presunto e queijo por dentro e uma generosa manteiga por fora, hein, Vô?

–  Nem me fale, que maravilha! Ainda mais acompanhada por algo feito numa cafeteira, que vem…

–  Já sei, de café, que veio de cafajeste!

–  Começou bem a frase e terminou muito mal. Café veio foi do Turco kahweh, que veio do Árabe kahwah, que provavelmente se relaciona com Kaffa, região da Etiópia que era grande produtora.

–  E cafajeste, Vô?  –  eu gostava de espicaçar o velho.

–  Essa tem origem desconhecida. E pare de incomodar um pobre idoso ou eu chamo a Polícia. E não conto de onde vem outro aparelho, a centrífuga.

–  Aquela que faz lindos sucos?

–  Isso, e que é incômoda de limpar. Por algo não usamos a nossa há tempo. Mas, enfim, essa palavra vem do Latim centrum, originalmente “ponta seca do compasso”, do Grego kentron, “objeto pontiagudo, ferrão”, mais fugire, “escapar, afastar-se, fugir”.

–  E quem foge de quê aí?

–  Os pedaços de frutas, que se afastam do centro do aparelho e são empurrados contra as suas paredes perfuradas, que deixam sair o líquido e juntam montes de bagaço.

Falando nela, lembrei-me de outro aparelho, a processadora. Nunca entendi bem a vantagem dele, que me parece ser apenas um liquidificador lento; mas, para nossos fins aqui, o que conta é que esse nome vem do Latim, procedere, “avançar, mover adiante”, de pro, “à frente”, mais cedere, “ir”.

Um processo, em qualquer área, implica num conjunto ordenado de passos no tempo para se chegar a um objetivo. Vale tanto na cozinha como na mais alta instância da Justiça, passando pela indústria e por várias outras áreas.

E depois que a gente sujou um monte de pratos e aparelhos na cozinha, usa a lavadora, que vem de lavar, que vem do Latim lavare, “lavar”.

Mas preste atenção! Cheiro de bolo. Nosso lanche já deve estar pronto. Vamos até à cozinha para ver o que é que conseguimos.

 

Resposta:

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!