Palavra omoplata

CHATO

Entrei emburrado no escritório do meu avô; eu tinha onze anos e estava muito incomodado com o estudo. Ele me ouviu muito sério, até que me senti desabafado. Com as perguntas discretas que ele fazia acabei percebendo que a culpa não era do sistema de ensino, que era minha mesmo. Mas eu tinha que dar minha última e definitiva opinião:

– Além do mais, estudar é muito chato.

– Talvez seja mais chato – embora não menos digno – trabalhar vendendo jornais na esquina.

Mas isso que você disse me lembra que a origem dessa palavra é o Latim vulgar plattus, do Grego platus, “achatado e largo, de superfície com pouco relevo”.

E daí veio uma descendência muito grande. Por exemplo, plateia, que é um lugar amplo para se assistir a um espetáculo ou um discurso.

Minha irritação já estava bem mais aliviada e me sentei no banco forrado de couro para ouvi-lo melhor, sem nem perceber.

– Também se fez daí o nome daquele osso que você tem aqui no alto das costas, aqui, ó – e tocou em mim, desenhando o tal osso – e que se chama omoplata, de omos em Grego, “espáduas, costas”, mais plattus. Ou se chamava, pois o nome correto em Anatomia agora é “escápula”.

– Isso porque ela escapa de vez em quando?

– Isso porque em Latim scapula tinha o mesmo significado que omos em Grego, gracioso.

Agora escute: há uma parte de certos uniformes militares que se usa bem perto da omoplata e cujo nome também é parente, a platina, aquela peça achatada sobre os ombros onde vão as insígnias dos oficiais.

– O seu uniforme na Guerra do Paraguai tinha isso, Vô? – eu estava já em condições de provocar o velho.

– Tinha. Depois virei zumbi, não morri e agora vou carregar você para o Reino das Soombras! – fez ele, com voz cavernosa.

– Verdade, Vô? – perguntei com ar inocente.

– Você nunca saberá. Mas se me atrapalhar muito eu não conto que a prata, o metal precioso, veio do Espanhol plata, por se tratar de um metal muito maleável, com o qual se podia fazer peças bem achatadas sem que ele perdesse muito a resistência.

– Aposto que aquele outro metal para jóias, platina, também veio daí!

– Seu chutador, não é que desta vez você acertou? O seu nome veio do Espanhol platina, diminutivo de plata.

– Viu como sou sabido, Vô? Pensa que só o senhor é que sabe dessas coisas?

– Às vezes sua sorte alcança picos impressionantes. Falando nisso, platô, sinônimo de “planalto”, tem a mesma origem, vindo direto do Francês plateau.

O mesmo ocorre com platibanda, que veio do Francês plate-bande, “moldura larga e pouco elevada”, de platus mais bande, “tira, faixa”. Também tinha o significado de “canteiro de plantas”, por estes terem uma forma plana e pouco elevada.

Falando em prédios, informo que plataforma, um terraço, uma superfície em relevo ou conjunto de promessas de políticos que não deve ser levado a sério, também veio do Francês, através de plate-forme, “apoio horizontal amplo”.

E passando da construção para a mesa, temos que prato, o utensílio em que comemos, veio do Francês plat, “prato”.

– E aquele pratão que a Vó coloca debaixo dos pratos quando a visita é chique e chama de “suplá”?

O velho teve um ataque de riso.

– Essa é outra palavra francesa, seu bobinho, que se escreve sous-plat, “debaixo do prato”.

Mas indo para outras paragens, temos que a praça onde você brinca, chamada place em Francês, piazza em Italiano e plaza em Espanhol também vem de platus.

Aliás, sabe aquelas árvores grandes da praça, com folhas grandes e tronco grosso, os plátanos? Na Grécia se chamavam inicialmente platanistos, depois plátanos, o nosso plátano.

– Isso porque a conversa dele é muito chata, Vô?

– Isso porque a folha dele é muito larga e chata, seu chato. E, falando em chato, vamos fazer uma excursão à cozinha para ver se conseguimos um prato com algo que mantenha nossas omoplatas no lugar.

– Gostei de aprender essas coisas todas, estava divertido, Vô!

Aí o velho acabou comigo:

– Se eu não tivesse estudado, o que seria desta conversa?

Nunca mais me meti a resmungar contra o estudo.

Resposta:

voltei

Voltei pq ainda não está na hora de ir para a praia ver o sol se deitar no mar e fazer SHH ! Era para ficar com mais H o chiado, porém o site não permite certos exageros.De tanto o sol chiar ao tombar no mar, de Outubro a Março aqui do meu ponto de vista, e ainda em mais algumas praias a Oeste, talvez os cariocas falem (dizem que falamos) chiando.
Bom, agora é o seguinte: Platitude tem parentesco com plano, planície? Acho que sim, mas se eu pergunto e for sempre SIM entro de novo no aforismo. Nelson Rodrigues (odeio) disse num deles que toda unanimidade é burra. Isso passou a ser um aforismo unanimemente aceito, o que o torna uma burrice! Bye!!! Essa vai? Ou só aparece quando respondida? Por isso estou pouco à vontade, talvez (imagine se não estivesse!).

Resposta:

Puxa, o mar deve levantar uma porção de vapor quando o sol tomba nele.

Sim, farofina, acertou. Essa palavra vem do Francês PLATITUDE, “coisa sem relevo, sem graça”, que vem do Latim PLANUS, “achatado, de superfície lisa”, do Grego PLATYS, “largo, de grande superfície”, do Indoeuropeu PLETHE-, “plano”.

Produziu parentes tais como plátano, omoplata, chato, plateia.

Essa história do aforismo e da frase de N. Rodrigues lembra Millôr, que chamou a atenção para o fato de que “Se toda regra tem exceção, deve haver uma regra sem exceção que seja exceção dessa regra”.

Talvez v. tenha algum débito pendente com a nossa tesouraria e suas perguntas estejam sendo obstaculizadas pelo Sistema, revise suas contas e procure seus recibos.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!