Palavra registro

GESTO

 

O verbo latino gerere significa basicamente “portar sobre si”. Metaforicamente assumiu então o significado de “aceitar um encargo, portar uma obrigação”, donde “executar, fazer”.

Parece vir de uma fonte Indo-Europeia gas-, ligada a ga-, “andar”, donde “fazer andar”, “conduzir”, “portar”.

A partir daí ela se mostrou de uma enorme fecundidade, originando grande número de palavras aparentemente não-relacionadas em nosso idioma.

Vamos lidar agora com algumas delas.

 

 

GERIR  –  exercer gerência, administrar, cuidar de um negócio. Está tão perto do original que nem cabe comentário.

 

GERÊNCIA, GERENTE  –  descrevem a atividade de gerir.

 

GESTO  –  do Latim gestus, particípio passado de gerere, usado para descrever “movimento, atitude, gesticulação”. Aliás, esta última é outra derivada.

 

GESTA  –  não é a mulher do gesto, não. Quer dizer “ato ou feito memorável” também vem de gestus. Com o tempo, acabou adquirindo também o significado de “composição literária que descreve atos heróicos”.

 

GESTAR, GESTAÇÃO  –  trata-se aqui de portar uma criança. Implica também em administrar, mesmo ignorando esse aspecto fisiológico, o crescimento intrauterino dela.

 

PROGESTERONA  –  como entramos no assunto, vamos contar que o nome deste hormônio feminino foi dado, na década de 1930, a partir de uma mistura de progestina e luteosterona, ambos sinônimos.

E progestina se fez através da junção do Latim pro-, “a favor”, mais gestatio, “gestação”, já que ela é fundamental para a gravidez.

 

GERÚNDIO  –  do Latim gerundium, antes gerundum, “aquilo que deve ser feito, que está por fazer”.

Quando a gente está, por exemplo, cozinhando, está ainda em ação; esta não se encontra completa, está ainda por completar.

 

DIGERIR  –  vem de di-, aqui passando a noção de “separação, espalhamento”, mais gerere como “portar”. Ou seja, repartir o alimento pelo corpo.

A mesma origem tem digestivo.

E indigestão, por acréscimo do prefixo in-, de negação.

Isso para não falarmos em congestão, com o prefixo com-, “junto”, e que se usa para designar o acúmulo de fluidos numa parte do corpo ou, mais popularmente, o acúmulo de comida nos intestinos após uma refeição onde a pessoa deixou de lado o bom senso para satisfazer a gula.

 

DIGESTO  –  a palavra anterior deu origem a esta, que significa basicamente “obter idéias ou informações de, assimilar mentalmente”, daí “compilação de regras e prescrições sobre algum assunto, especialmente na esfera jurídica”.

 

SUGERIR  –  do Latim suggerere, “construir, suprir, dar uma pista, sugerir”, de sub-, “por baixo”, mais gerere.

 

INGERÊNCIA  –  de ingerere, “trazer para dentro”, de in-, “em”. Fazer uma ingerência em negócios ou política alheia é levar para dentro de uma instituição algo desejado por alguma parte interessada.

 

REGISTRO  –  bem diferente de gerere, não? Mas é sua descendente também. Vem de regestus, particípio passado de regerere, “trazer de volta, empilhar, coletar”,  o que é uma definição de “registro”.

 

BELIGERANTE  –  do Latim bellum, “guerra”, mais gerere. Um país beligerante é aquele que quer levar a guerra a outro.

 

Resposta:

Palavras escritas dispostas aleatoriamente descritas de forma paralela!

Bom dia! A palavra dispositivo, ao que parece, partilha a mesma etimologia de disposição, de todo caso, não entendo a idéia do sufixo -IVO. Além da timologia da palavra dispositivo, podem postar as de random , periférico, parâmetro e registro? Por favor.

Resposta:

1) Esse sufixo vem do Latim -IVUS, formador de adjetivos, muitas vezes a partir de radicais de verbo. Ex.: “conclusivo”, “negativo”.

2) Do Inglês arcaico RANDON, “velocidade, impetuosidade”, do Francês antigo RANDON, “corrida, velocidade,  impetuosidade”, de RANDIR, “correr depressa”, do Frâncico RANT, “corrida”. Adquiriu o significado de “aleatório, ao acaso”, lá por 1650.

3) Do L. PERIPHERIA, do Grego PERIPHERIA, “superfície externa, circunferência”, literalmente “ato de levar ao redor”, de PERIPHEREIN, “levar ao redor, fazer girar”, de PERI-, “ao redor”, mais PHEREIN, “levar, portar”.

4) Feita a partir do G. PARA-, “ao lado”, mais METRON, “medida”.

5) Do L. REGISTRUM, particípio passado de REGERERE, formado por RE-, “de novo”, mais GERERE, “levar, administrar, suportar”.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!