Palavra coragem

Etimologia

Palavras: coragem

Olá Boa Noite,
gostaria de saber a origem da palavra coragem. Já ouvi falar do latim cor agire (agir com coração) e do francês courage.
Obrigada

Resposta:

 Ela vem do Latim coraticum, derivado de cor, “coração”,  pela noção corrente em tempos clássicos de que este órgão era a sede desta qualidade.

CORAGEM

Esta é uma das qualidades que sempre se destacaram no rol das coisas boas que um caráter humano pode apresentar.

Sempre é mostrada como material abundante nos heróis de filme e nas figuras históricas; em relação a estas, quanto mais no passado elas estão, maior é a coragem que lhes é atribuída, já notaram?

CORAGEM – do Latim coraticum, derivado de cor, “coração”. Isso porque, em épocas remotas, este órgão era considerado a sede da coragem, além da inteligência.  Daí o apelido do Ricardo Coração de Leão.

Uma fofoca histórica: consta que corajoso ele era, mas não era muito adepto de cumprir a sua palavra.  Foi apelidado pelos súditos de Richard aye and nay, ou seja, “Ricardo sim e não”.

BRAVURA – do Italiano bravo, “atrevido, audacioso, bravo”, possivelmente do Latim bravus, “vilão, criminoso”, de pravus, “depravado, desonesto”.

Eis uma palavra que começou designando uma qualidade negativa e que acabou vencendo na vida.

VALOR – veio do Latim valor, “riqueza, valor”, da mesma origem de valere, “apresentar boa saúde, ser forte”.

Os romanos se cumprimentavam muitas vezes dizendo Si bene vales, valeo:   “Se estás bem, eu também”.

Um sinônimo é valentia, de mesma origem.

Passou a apresentar o significado de “coragem” a partir dos fins do século XVI, através do Italiano valore.

DESTEMOR – descreve a coragem através do seu oposto. Forma-se por des-, com significado de “oposto”, mais “temor”, que vem, do Latim timor, “receio, medo”.  Ou seja, é a qualidade daquele que não teme.

DESASSOMBRO – da mesma maneira que aqui acima se construiu esta palavra mas usando “assombro”, que vem de “sombra”, que vem do Latim umbra, “escuridão, sombra”.

Não é normal a gente ter medo do escuro quando é criança?

Na idade adulta também, só que a gente não pode confessar.

AUDÁCIA – do Latim audacia, “coragem, atrevimento”, do Latim audax, “atrevido, bravo”, de audere, “atrever-se, empreender”.

Note-se que audax tinha um sentido pejorativo além desse, que era o de “inconsequente, desprovido de noção do resultado de seus atos”.

OUSADIA – o mesmo audere se transformou, no Latim vulgar, em ausere, que nos deu esta palavra.

ARROJO – vem do Latim rotulare, “atirar um objeto rodando, girando”, de rota, “roda”.

Uma pessoa que age arrojadamente muitas vezes lembra um objeto que entra girando loucamente em algum lugar.

Se a sua ação der certo, ela fica com fama de corajosa, se não der, de insensata.

HEROÍSMO – do Grego hero, “semideus”, significando originalmente “defensor, protetor”, de uma base Indo-Européia ser-, “proteger, vigiar”, que se manifesta também em “servo” e “serviço”.

GALHARDIA – do Francês gaillard, “vigoroso, forte, bravo”. Talvez venha do Galo-Romano galia, “força”, do Celta gal, mas não há certeza absoluta.

INTREPIDEZ – do Latim intrepidus, “o que não teme, o que não é dominado”, formado por in-, negativo, mais trepidus, “alarmado, trêmulo”, parente do nosso “tremer”.

ÍMPETO – do Latim impetus, “ataque, impulso, vigor”, formado por in-, “em”, mais petere, “correr para, dirigir-se a”.  Este verbo, aliás, originou a palavra “petição”.

BIZARRIA – a sua conotação de “coragem”  é pouco conhecida, mas existe. Provavelmente venha do Italiano bizzarro, “irritadiço, feroz”,  de bizza, “acesso de raiva”.

BRIO – do Italiano brio, “exuberância, espírito, vivacidade”,  possivelmente do Gaulês brigo, “força”.

ÂNIMO – do Latim anima, “alma, espírito, vida”.

Resposta:

Pergunta #11927

Palavras: coragem

Qual é a origem da palavra coragem?

Resposta:

Olhe a resposta 11909, pouco abaixo.

Cor

Meu avô me recebeu em seu gabinete cheio de livros, estofados em couro e conhecimentos. Da altura dos meus doze anos, eu estava indignado com as exigências do estudo:

– Eles tiveram a coragem de exigir que eu aprenda umas coisas de cor! Onde já se viu?

O cavalheiro magro e com curta barba branca riu e me disse que isso fazia parte do estudo, que sempre haveria algo a saber de memória, e continuou:

– Sua primeira e emburrada frase, por exemplo, me fez lembrar de algo. Sabe a origem da expressão de cor?

– Não, mas tenho a impressão que isso vai terminar já-já  –  e me sentei no banco de couro onde eu aprendia tanto com o velho.

– Pois vem do Latim cor, “coração”. Em épocas antigas, ele era considerado, entre outras coisas, a sede do conhecimento no corpo humano.

– Que burros, Vô! Eles não tinham descoberto o cérebro ainda?

– Há muito tempo, desde que pela primeira vez ocorreu a um homem das cavernas abrir o crânio de outro para ver o que tinha dentro. Mas não sabiam para que servia aquele material cinzento e desestruturado, além de dar dor de cabeça.

Essa noção era tão forte que ficou também no Inglês, onde to know by heart, literalmente “saber pelo coração”, equivale ao nosso “de cor”.

– Daí o verbo “decorar” também, Vô?

– Sim. Eu sempre disse que você é mais inteligente do que parece.  Mas achei graça em perceber que, naquela sua frase, apareceu outra palavra com a mesma origem: coragem.

Ela vem de coraticum, derivado de cor, também pela noção de que o órgão era a sede desta qualidade menos comum do que se pensa.

– Agora me lembro de ter visto um filme com aquele Ricardo Coração de Leão.

– Isso mesmo, seu apelido vinha de sua bravura. Mas parece que, fora isso, ele não tinha muito mais que prestasse, pois era conhecido por se esquecer das promessas e tratos.

Mas do Latim cor também veio a palavra cordial, significando “referente ao coração, ao afeto”. Assim, a cordialidade é algo que deve reinar entre as pessoas numa reunião, embora nem sempre aconteça.

Agora se usa pouco em nosso idioma, mas cordial também tem outro sentido: o de “alimento ou bebida usado para estimular o coração”.

Farmacologicamente isso não tem fundo de verdade; na realidade, era apenas uma desculpa para tomar um trago de álcool fingindo que não era por prazer e sim por imposição da saúde.

– Meio sem-vergonhas, não? Dando desculpas médicas para isso…

– Sem dúvida.

– Deixe ver… E o que corda tem que ver com o assunto?

– Ah, meu neto que deseja ser esperto e não sabe quanta palavra há de rolar pelos seus olhos para ele ter alguma noção mais sólida! Essa palavra nada tem a ver, deriva do Grego khorde, “tripa de animal, corda”.

– Mas não me diga que acordar, aquilo que a gente tem que fazer todos os dias para ir ao colégio tem parentesco!

– Pois tem mesmo. Esse verbo vem de cordatus, “prudente”, que vem de cor. É muito prudente acordar a tempo para ir à aula, ouviu? Ou podem ocorrer danos irreparáveis nas orelhas do aluno teimoso.

E aprenda que o verbo acordar também tem o significado de “combinar, tratar”, provavelmente de ad-, “a, junto”, mais cor.

Outra palavra que vem de cor é, por exemplo, concordar. Forma-se de com-, “junto”, mais cor.

– Ou seja, as pessoas que concordam em algo estão com os “corações juntos” naquele assunto, é isso?

– Perfeito. E as que discordam estão com os corações dis-, isto é, “afastados, fora”.

– Bonito, Vô!

– Eu sei, por isso é que aprendi tanto sobre esse assunto das palavras. Quando a gente aprecia o que está estudando, absorver os conhecimentos fica fácil.

Aprenda de cor essa lição, rapaz. Agora crie coragem e volte a decorar o que for necessário.

Resposta:

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!