Palavra fio

MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

 

A maioria de nós vive, trabalha e se diverte em casas, edifícios, prédios de todo tipo.

Poucos de nós percebem que um dia eles foram construídos e que, para isso, foram empregados materiais dos mais diversos.

Hoje veremos as origens dos nomes de alguns deles.

 

 

CIMENTO  –  do Latim caementa, “lascas de pedra usadas para fazer cimento”, de caedere, “quebrar, partir, romper” (também “matar”). Inicialmente relacionada a “pedras quebradas”, depois passou a significar “pó de pedras” que, misturado com água e areia resulta em nosso valioso elemento para construção.

 

CONCRETO – do Latim concretus, particípio passado de concrescere, “crescer em conjunto, aumentar por processo de agregação”, formada por com-, “junto”, mais crescere, “aumentar, crescer”.

Inicialmente designava o que tinha existência real, o que era palpável, sólido. A partir de 1834 passou a ser usado para o material de construção.

 

CAL  –  do Latim calx, “pedra calcárea”. Note-se que os romanos tinham outro significado para a mesma palavra: era o de calcanhar.

Destarte, essa palavra originou, a partir do primeiro sentido aqui citado, o nome do elemento cálcio e seus derivados (calcita, calcinose, calcificar). E do outro veio recalcitrar, “escoicear, teimar, resistir a uma ordem”.

 

GESSO  –  do Latim gypsum, “gesso, giz”, possivelmente do Hebraico gephes, “gesso”.

 

MADEIRA  –  ela é usada mesmo em prédios de alvenaria, para construir as formas onde será vertido o concreto.

Vem do Latim materia, “substância de que é feito um objeto físico”, bem como “a parte interna de uma árvore”, possivelmente relacionada com mater, “mãe, fonte, origem”.

 

COMPENSADO  –  esse nome foi dado a partir do Latim compensatus, particípio passado de compensare, “pesar, equilibrar, distribuir o peso”, formado por com-, “junto”, mais pensare, “pendurar para avaliar o peso de um objeto”, de pendere, “pendurar, pesar”.

Isso porque a peça, por ser feita de várias camadas finas de madeira em disposições diferentes, compensa as torções naturais do material.

 

FERRAGEM  –  as peças de ferro que dão firmeza ao concreto são de ferro, do Latim ferrum, “ferro”. Muito provavelmente deriva do Indo-Europeu bhars“ser firme, rígido”.

 

VIDRO  –  sem ele, a luz do dia não entra em nossos prédios. Veio do Latim vitrum, “vidro”, originalmente o nome de uma erva da família da mostarda, de cujas folhas se extraía um pigmento azul.

Os objetos de vidro inicialmente eram de um azul-esverdeado em Roma; o material passou a ser transparente com o aprimoramento das técnicas de fabricação em torno do século I de nossa era.

 

TIJOLO  –  do Espanhol tejuelo, diminutivo de techo, “teto”,  do Latim  tegere, “cobrir, revestir”.

 

TELHA  –  também deriva de tegere.

 

AZULEJO  –  do Árabe az-zulaiji, “pedrinhas lisas”. Portanto, nada a ver com a cor azul.

 

AREIA  –  sem ela, não há cimento nem concreto. Do Latim arena, derivado de areo, “ser árido, seco, sem água”.

 

PREGOdo Latim plicare, “dobrar, enroscar”. Parece meio estranho, mas se pensa que o raciocínio por trás disso é que o prego como se enrosca na madeira e passa a fazer parte dela.

 

ESQUADRIA  –  são indispensáveis para fazer aberturas, como janelas, portas e respiradouros. Vem do Italiano squadro, o nome do instrumento que era usado para medir ângulos retos, do Latim quadrus, “quadrado, partido em quatro, em ângulo reto”, de quattuor, “quatro”.

 

CANO  –  do Latim canna, “cana, planta que tem talo cilíndrico”.

 

FIO  –  sem eles, nada de telefone e de Internet. Veio do Latim filum, “fio, fibra, corda”.

 

Resposta:

saber

Palavras: colônia , fio , poste

Professor queria saber as etimologias das palavras colônia, fio e poste.
Obrigado.

Resposta:

1) Do Latim COLONIA, “terra com gente instalada, granja”, de COLONUS, “pessoa instalada numa nova terra”, de COLERE, “habitar, cultivar, respeitar, guardar”.

2) Do L. FILUM, “fio, fibra, corda”.

3) Do L. POSTIS, “pilar, umbral da porta”.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!