Palavra lira

MOEDAS I

Palavras: esterlina , euro , franco , libra , lira , março , moeda , peso , rublo , rúpia , yen , yuan

 

O dinheiro é uma forma desde cedo usada pela humanidade para simbolizar valores e facilitar compra e venda sem recorrer às trocas. Estas podem ser complicadas, como no caso de se trocar um bando de patos por meio carneiro vivo.

Houve já numerosos nomes para as moedas de cada nação, algumas com origens bem curiosas.

 

MOEDA  –  quando o Império Romano se estava esfacelando, um grupo de bárbaros tentou escalar a parte da muralha de Roma junto à qual, pelo lado de dentro, se situava um templo dedicado a Juno, a deusa que era esposa de Júpiter.

Os gansos consagrados à deusa, que estavam no terraço do templo, deram o alarme e os soldados romanos acorreram e afugentaram o inimigo. Gansos são ótimos vigias, pois dão logo o alarme na presença de estranhos.

Agradecidos, os romanos declararam que aquele templo era dedicado a Juno Moneta, “a Juno que avisa”.

Esta palavra vem do Latim monere, “advertir, admoestar, avisar”.

Em época mais tardia, nesse templo, se estabeleceu um local onde se cunhavam discos metálicos, com valor definido, próprios para fazer negócios de compra e venda. Estes receberam um nome derivado da deusa do templo – ou seja, moneta, que virou nossa moeda.

 

LIBRA  –  esta palavra vem do Latim libra, “peso”, literalmente “par de pratos de balança”. Inicialmente as moedas eram avaliadas conforme o seu peso. Daí que diversos meios de pagamento nacionais foram nomeados conforme a tradução da palavra peso, como o peso, a peseta, a lira, a libra.

Esta última é a que se usa em Português para a moeda britânica; os habitantes do Reino Unido a chamam de pound, que veio do Latim pondus, “peso”, de ponderare, “pesar”. Por extensão, usamos ponderar como “avaliar, pensar com profundidade sobre algo”.

Para sermos mais exatos, o nome da moeda é pound sterling, “libra esterlina”. A origem desta é discutida; aceita-se prevalentemente que derive do Inglês arcaico steorra, “estrela”, com o sufixo diminutivo –ling, dado que havia uma pequena estrela impressa nas moedas normandas cunhadas depois do século X.

 

 

LIRA  –  é um derivado de libra. É a moeda usada na Turquia, Jordânia, Síria, Libano.

 

PESO – foi uma moeda originada na Espanha e que teve muita importância no comércio da era das descobertas. Seu nome é o Espanhol peso, “peso”, e deriva do Latim  pensum, “certa quantidade de lã dada a um escravo para processar, tarefa”, de pendere, “pender, estar pendurado”, já que as balanças antigas funcionavam com pratos pendurados em braços.

Atualmente esse nome se usa em vários países de colonização eapanhola, como Uruguai, Argentina, Filipinas, Cuba, Chile, Colômbia, Venezuela.

 

FRANCO  –  não é mais a moeda francesa, pois foi substituído pelo Euro em 2002. Mas continua sendo usado em Lichstenstein, Suíça, Togo, Benin, Ruanda, Congo, Guiné, Senegal, Camarões e outros paíse africanos.

Seu nome deriva da inscrição das primeiras moedas, em 1360 onde aparecia o rei João II, o Bom, com o dístico  Rex Francorum, “rei dos Francos”.

E o nome desse povo vem do antigo Francês franc, “livre, não-servo, sincero, genuíno”. Viria do nome do povo germânico chamado Frank, que conquistou a Gália em torno do ano 500 e deu origem ao nome França para o país.

 

RUBLO  –  é a moeda da Federação Russa. Vem do Russo antigo rubli, “toco, tampão”, provavelmente porque houve época em que as moedas eram cortadas fora de uma barra de prata.

 

 

MARCO  –  foi a moeda alemã de desde a unificação do país, em 1871, até a introdução do Euro em 2002.

Seu nome vem de mark com o sentido de “sinal, característica, marca visível”, que por sua vez veio do Proto-Germânico marko, “fronteira, limite, sinal de demarcação de fronteiras”.

Atualmente, apenas a Bósnia-Herzegovina usa moeda com este nome.

 

RÚPIA  –  usa-se na Índia, Nepal, Indonésia, Paquistão, Sri Lanka e ilhas Maurício e Seychelles.

Vem do Sânscrito rupya, “prata trabalhada, moeda de prata”, de rupa, “semelhança, imagem”.

 

YUAN  –  é a moeda chinesa. Seu nome significa “objeto redondo”. Até a chegada de ocidentais em suas terras, os chineses usavam a prata como meio de pagamento através de pesagem. Com a introdução das moedas de origem espanhola, o nome foi aplicado aos meios de pagamento chineses.

 

YEN  –  é a moeda japonesa. Tem a mesma origem que a chinesa.

 

EURO  –  é a moeda corrente em numerosos países europeus. Foi oficialmente adotada em 1995 e entrou em circulação fisicamente em 2002.

Seu nome vem, evidentemente, de Europa. E o nome do continente, de onde vem? Como tantos nomes geográficos antigos, não se sabe direito. Ele vem do Grego Europa, de origem incerta. Há quem diga que este vem do Acadiano erebu, “descer, pôr-se (em referência ao sol)”.

 

CONTINUA NA PRÓXIMA EDIÇÃO

 

Resposta:

INSTRUMENTOS DE CORDA

  

Desde muito cedo os seres humanos perceberam que uma corda esticada, quando puxada e solta, produzia um som. A partir daí começaram a fazer instrumentos que podiam conter diversas cordas, podendo ser elas pulsadas, tangidas com uma peça feita para isso, friccionadas por um arco ou mesmo marteladas.

Hoje vamos ver a origem dos nomes de alguns desses instrumentos.

 

VIOLA – designa um instrumento que lembra o violino, mas tem diferenças no formato e no número de cordas. Usa-se também familiarmente para se referir a um violão.

Seu nome vem do Espanhol vihuela, do antigo Provençal viol, o nome do instrumento, que veio provavelmente do Latim vitula, possivelmente relacionado ao verbo vitulari, “exultar, regozijar-se”. Talvez tenha relação com a deusa romana da alegria,  Vitula.

 

VIOLÃO – do Italiano violone, um aumentativo de viola.

 

VIOLINO – do Italiano violino, agora um diminutivo de viola.

 

VIOLONCELO – os italianos acrescentaram o sufixo diminutivo –cello a uma palavra que já era um aumentativo, violone, para nomear o instrumento que também é conhecido como cello.

 

GUITARRA – é um sinônimo de violão. Veio do Espanhol guitarra, do Árabe qitar, do Grego kithara, “cítara”, um instrumento de cordas, derivado do Persa sitar, literalmente “três cordas”, de si-, “três”, mais tar, “corda”.

Antes ainda de sitar temos duas palavras do Indo-Europeu que originaram guitarra: guit-, “canção”, mais tar-, “corda”.

Atualmente, quando se diz guitarra, entende-se que se está falando numa guitarra elétrica. Mas o nome original naturalmente se referia ao instrumento em sua versão acústica, que precede a eletricidade por muitos séculos.

 

ALAÚDE – este antigo instrumento de cordas apresentou um ressurgimento desde o começo do século XX. Atualmente ele é tocado, mas não se fabrica industrialmente, o que o torna muito caro. Seu nome vem do Espanhol laúd, do Provençal laut, do Árabe al ud, literalmente “o tronco, a madeira”.

 

CONTRABAIXO, BAIXO – a segunda forma é uma redução da primeira, para quem tem preguiça de falar.

Vem do Latim bassus, “curto, baixo, atarracado”, referindo-se à sua capacidade de emitir sons graves (baixos) e ao seu aspecto volumoso.

 

BANJO – aparentemente este nome teve influência de duas origens. Uma seria o Inglês bandore, do Espanhol banduria, o nome de um instrumento de corda semelhante ao alaúde, do Grego pandoura, instrumento de três cordas. E a outra seria o Quimbundo  mbanza, que designa um instrumento mais próximo ao banjo propriamente dito.

 

BANDOLIM – do Italiano mandolino, diminutivo de mandola ou mandora, que também veio do pandoura que citamos logo acima.

 

CAVAQUINHO – de cavaco, “lasca de madeira”, pelas suas pequenas dimensões.

 

UKULELE – este instrumento característico da música havaiana foi transformado lá a partir do cavaquinho, levado por imigrantes portugueses. Há alguma controvérsia, mas parece que essa palavra quer dizer “pulga saltitante”. E teria sido escolhida devido aos movimentos rápidos feitos durante a execução da música.

Segundo outros, ele viria do apelido de um oficial inglês muito vivaz que estava a serviço do rei Kalakaua na época (ao redor dos anos 1880). Este rei foi um patrono das artes e responsável pela difusão da música com este instrumento.

 

BERIMBAU – seu nome se originou do Quimbundo mbirimbau.

 

LIRA – deriva do Grego lyra, de origem desconhecida.

 

HARPA – essa palavra vem do Germânico harpon, o nome dado ao instrumento de muitas cordas.

 

CRAVO – do Francês clavier, “o que leva as chaves”, do Latim clavis, “tecla, chave”, já que é um instrumento com teclado.

 

PIANO – vem do Italiano pianoforte, encurtamento de gravicembalo/clavicembalo col piano e forte, “cravo com (intensidade) suave e forte”, nome dado em torno de 1710 pelo inventor B. Cristofori, a partir da alteração que os martelos com feltro trouxeram ao som  metálico do cravo.

O piano responde com precisão à intensidade exercida sobre a tecla, permitindo assim extrair notas suaves ou de maior ressonância.

Resposta:

“olvídio”

Palavras: lira , lírico

Tá, eu falei e falei mas não perguntei de onde veio LÍRICO.

Resposta:

Veio do Latim LIRICUS, do Grego LYRIKÓS, “cantar com acompanhamento de lira”, de LYRA, o nome do instrumento musical.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!