Palavra vôlei

Voar

Um escritório empoeirado em preto-e-branco. Móveis desleixados, estilo Anos Cinqüenta. Um detetive atrás de uma escrivaninha, rigorosamente uniformizado de film noir: chapéu desabado, gabardine enorme.

E, à frente dele, consultando-o, uma palavra pequena mas que sabe da sua importância: Voar.

– Muito bem, a senhora deseja saber sua origem e quer conhecer parentes seus que estejam em uso em nosso idioma.

Então vamos lá: a senhora deriva do Latim volare, “voar”. Sua origem é bastante fácil de entender, tratemos de saber de seus primos. Entre eles posso citar volátil, que a rigor significa “aquele que tem a capacidade de voar”. Mas, metaforicamente, também se usa para descrever alguém cuja opinião muda facilmente, como se fosse uma folha ao vento. E também para adjetivar uma substância química que se vaporiza em condições normais de temperatura e pressão, como o álcool e a gasolina.

– Quer dizer que um pardal é volátil, mas um avestruz não é? – disse a vozinha fina da cliente.

– Exatamente. Um pode voar, o outro não.

– E vôlei, tem algo a ver?

– Muito bem, essa palavra, apesar de tão diferente, tem a mesma origem que a senhora. Ela deriva do Francês volée, “vôo”, e se refere ao vôo da bola. O esporte foi inventado em 1895, no Massachussets, e se chamava inicialmente mintonette. Mas, no ano seguinte, o aspecto da bola sendo mantida no ar fez com que surgisse o nome volleyball.

Em Inglês, volley tem também o significado de “descarga simultânea de armas de fogo”, “saraivada”. Mas a origem é a mesma: refere-se a vários elementos sendo disparados pelo ar ao mesmo tempo.

Existe também a palavra convolar, de uso hoje restrito quase só ao Direito, significando “transformar uma ato judicial em outro”, “mudar de estado civil”.  Ela se forma de com-, “junto, “com”, mais volare.

Em anúncios antigos se lia que “convolaram em nossa catedral justas núpcias a gentil senhorinha X e o dinâmico empresário de nossa cidade Y”.

E já que falamos em palavras estrangeiras há pouco, ocorre-me o tipo de empada conhecido por vol-au-vent, literalmente “voa-ao-vento”, pela leveza da massa.

No Francês existe a palavra voleur para dizer “ladrão”. Ela se aplicou primeiro à falcoaria, descrevendo como a ave de presa se abatia voando sobre a caça e a apanhava.

Como a atenção de uma pessoa também pode andar pelos ares, temos avoado, com o significado de “distraído, confuso, atrapalhado”.

– E o outro nome para “guidom”, volante?

– Excelente, a senhora andou investigando. Parabéns. Volante inicialmente se aplicava ao que voa, depois “àquilo que se desloca rapidamente, facilmente”, sendo então usado para as asas de um moinho de vento. Depois assumiu o sentido de “órgão de comando de um mecanismo”.

Daí se poder  falar hoje, nas transmissões esportivas, que “aí vem nosso bravo volante fulaninho, com o volante na mão, depois de o seu carro ter estragado mais uma vez”.

Outra aplicação de uma parente sua é descrever que tal dinheiro público se evolou antes de chegar ao destino: ela vem de ex-, “fora”,  mais volare. Algo assim como “voou para fora”. Muitas vezes, bem para fora mesmo, até o Caribe ou a Suíça.

Um avião, fazendo círculos sobre um determinado ponto, estará circunvoando-o. Esta parente vem de circun-, “ao redor”, mais volare.

E, quando estamos nos sentindo poéticos, podemos dizer que as lembranças esvoaçam ao nosso redor. Ou os mosquitos, depende de onde estivermos.

Bem, sendo o que se apresentava para esta consulta, mantenho-me às ordens para quaisquer dúvidas, contanto que sejam pagas adiantadamente.

Tudo em ordem, então? Até logo, obrigado por nos honrar assim. Cuidado com o lixo no corredor e nas escadas. Procure não pisar nos bêbados que estão no chão, por favor, para eles não ficarem gritando e incomodando.

Resposta:

Esportes

Este é um assunto que mobiliza uma quantidade enorme de pessoas mundo afora. O interesse pelas competições esportivas nunca tem fim, e um público ávido faz a alegria de boa parte da imprensa, bem como da indústria e do comércio.

Logo, está na hora de se lidar com as origens de alguns nomes bem conhecidos de todos.

ESPORTE – para iniciar, claro… Esta palavra vem do Inglês sport, “esporte”. E ali ela entrou do Francês antigo desport, “passatempo, recreação, prazer”, do verbo desporter, “divertir-se, distrair-se, jogar”, literalmente “levar embora, retirar” – no sentido de desviar a cabeça dos assuntos sérios.

A palavra se formou por des-, “fora, embora”, mais porter, “levar, carregar”, do Latim portare, com o mesmo sentido.

Mas não termina aqui a história, não. O verbo portare deriva de portus, “porto”, local de onde e para onde as mercadorias eram levadas.

MARATONA – falando em coisas da Antigüidade, ocorre-nos esta competição, que se destaca como símbolo das Olimpíadas.

Esta corrida tem origem numa batalha travada entre gregos e persas em 490 AC, numa planície chamada Maratona devido à grande quantidade de uma planta que ali crescia, o funcho (márathos).

Vitoriosos, os gregos enviaram seu corredor mais veloz, Feidípedes, dar o aviso em Atenas, a cerca de 42 quilômetros dali.

Muitos pensam que uma corrida longa é assim chamada desde aquela época, mas não é verdade. O nome foi dado em 1896, quando do reinício das competições olímpicas.

TURFE – aproveitando que estamos falando em corrida, informamos que esta palavra vem do Inglês turf, “pedaço de solo com grama”, por extensão “terreno coberto com grama”.

Como corridas de cavalos muitas vezes eram feitas em terrenos gramados, o nome do terreno acabou designando o chamado “esporte dos reis”.

Quando se trata de montar o cavalo mais do que vê-lo correr, temos o hipismo, cujo nome vem do Grego hippos, “cavalo”.

Para os que perguntam por que o nome não é “cavalismo”, informamos que o Latim chamava o nobre animal tanto de caballus como de equus.

Foi caballus que predominou nas línguas derivadas, tendo ficado o equus para formar palavras de uso culto, como eqüestre, equitação.

Também foram formadas palavras cultas do Grego hippos: hípico, hipódromo, hipocampo.

SURFE – nome parecido com o anterior, implicando em deslocamento rápido… É uma associação mental óbvia.

Vem do Inglês surf, “rebentação das ondas”, antigamente suffe, originalmente usado em relação à costa da Índia, talvez de origem local. É mais um nome do local de prática que passou para o esporte ali exercido.

No sentido de “deslizar sobre a crista das ondas” se usa desde 1917.

NATAÇÃO – vem do Latim natare, “banhar-se, nadar, encher dágua”. A maioria das competições desta modalidade são feitas em piscinas, cujo nome vem do Latim pisces, “peixe”.

Isso não quer dizer que as primeiras disputas fossem feitas entre peixes, não; é que os romanos tinham piscinas em casa, não para uso humano, mas para poderem manter vivos os peixes para as refeições, enquanto não se inventava a geladeira.

ESGRIMA – vem do Italiano scrima, que derivou do antigo Germânico skrimjan, “proteger”.

Em épocas difíceis, às vezes a única proteção que se tinha era saber manejar a espada.

BOXE – é um esporte que em Inglês se chama boxing, nome que começou a ser usado em 1711. Vem provavelmente do Holandês boke, “golpe”, provavelmente onomatopaico.

Nada tem a ver com box, “caixa”.

GOLFE – vem do Escocês couf, provavelmente do Holandês colf, “bastão, vara”. Foi mencionada pela primeira vez numa lista de esportes proibidos em 1457.

TÊNIS – seu nome vem do Anglo-Francês tenetz, “receba,segure, tome”, do verbo tenir, “segurar, receber”. Tratava-se de um aviso de que o saque ia ser dado.

O nome do esporte com as regras atuais (1874) foi lawn tennis, “tênis sobre a grama”.

BASQUETE – já era hora de se falar nos esportes coletivos. Este nome vem do Inglês basket, “cesta”, derivado do Anglo-Francês bascat, “cesta”.

Foi aplicado ao basketball, esporte inventado em 1892 em Springfield, nos Estados Unidos, por motivos óbvios.

VÔLEI – vem do Inglês volleyball, derivado do Francês volée, “vôo” (da bola).

FUTEBOL – este esporte, embora diferente do atual, era praticado já em 1409 e se tornou mania nacional na Inglaterra a partir de 1630. Seu nome deriva de FOOT, “pé”, e BALL, “bola”.

Mas, atenção! Por esse nome os povos de língua inglesa conhecem o que nós aqui chamamos de futebol americano, aquele em que os jogadores usam couraças para se movimentarem com a bola, principalmente carregando-a.

Na Inglaterra se fez, pelo fim do século dezoito, uma associação entre diversas universidades inglesas com a finalidade de unificar as regras, pois cada uma tinha as suas, variando o peso da bola, número de jogadores, permissão para jogo bruto, etc.

Dessa Football Association surgiu o nome de gíria universitária socca, depois socker, depois soccer, que é o nome que ficou até hoje em Inglês.

BEISEBOL – é do Inglês baseball, formado de base, “base”, derivado do Latim basis, “alicerce, fundação”, do Grego basis, “degrau, pedestal”, do verbo bainein, “pisar”.

No caso, “base” se refere a um ponto seguro no campo, onde o jogador não pode ser tocado.

A segunda palavra, ball, “bola”, vem do Germânico antigo balluz, do Indo-Europeu bhel-, “inchar”.

GINÁSTICA – tem diversas formas de competição. Esta palavra vem do Grego gymnazein, “treinar, exercitar-se”, literalmente “exercitar-se nu”, de gymnos, “nu”, já que era neste estado que os atletas gregos competiam.

Naquela época, os fabricantes de vestimentas e calçados esportivos se veriam mal.

ATLETA – em Latim, athleta, em Grego athletes, “competidor nos jogos”. Vem de athlein, “competir por um prêmio”, relacionado a athlos, “disputa” e a athlon, “prêmio”.

Resposta:

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!