Consultório Etimológico

Pergunta #696

Nossa, professor, fico lisongeada em saber que “mais um pouco” poderei ser sua auxiliar!!! Não, seria muito prá mim esta honra!!! O difícil é descobrir o “pouco” que tenho que fazer prá conseguir esta proeza!!! Prá não perder a viagem, pergunto-lhe, ó adorável professor: qual a origem da palavra: pista (o que o detetive precisa para descobrir os fatos, entende?) Muito grata mesmo!

Resposta:

Patrícia:
Interesse e bom humor são os materiais básicos para lidar com este site, e estes você tem.

“Pista” vem do Latim PISTARE, “calcar, pisar”, através do Francês PISTE, “marcas que uma pessoa ou animal deixam ao passar”. Com o tempo, assumiu também o sentido de “conjunto de dados e informações que norteiam uma investigação”.

Patrícia, além de cultura, é bom gosto! Ouçam! Ela diz que sou um adorável professor!
(Desculpe o entusiasmo, é que nunca tinham me tratado assim…)

Pergunta #695

Dr. Alaúzo: obrigada por livrar-me de uma indigestão etimológica!! Imagine só comer telha no lugar de uma saborosa ostra!
Aproveito para perguntar-lhe o origem da palavra marisco.

Resposta:

Lúcia:
Viu só como a Etimologia pode ajudar até mesmo à mesa?
“Marisco” vem do lugar onde costumam habitar esses animais: o MAR (assim mesmo em Latim).
Por incrível que pareça, esta palavra não mudou muito em milhares de anos, desde o Indo-Europeu, onde MARI designava “lago, grande massa de água”.

Pergunta #694

Prof. Alaúzo,
Gostaria de saber duas coisas: a origem do seu nome e da palavra “subsistência”. A imagem aí ao lado está mostrando curiosamente esta realidade. não?

Resposta:

Patrícia:
Meu nome veio do seguinte fato:
quando eu estava por nascer, minha família, em parte por nervosa, em parte por contente, estava fazendo tanta farra, tanta alaúza, que resolveram colocar o nome de Alaúza na menina que ia chegar (eles achavam que ia ser uma garota).
Quando eu nasci, pespegaram-me o nome de Alaúzo mesmo.
Já que as minhas iniciais são A.B.C., acabei me interessando pelo estudo das letras.

Agora, “subsistência” vem do Latim SUBSISTENTIA, “substância, realidade”, do verbo SUBSISTERE, “agüentar, manter firme”.
A palavra se forma de SUB-, “abaixo”, e SISTERE, “assumir posição em pé”, relacionada com STARE, “em pé”.

Pergunta #693

Bom dia, professor.
Ao invés de pedir vou lhe dar uma informação: “SISI” é um neologismo que ouvi pela primera vez no sul do país. Certa gíria que significa que a pessoa está “orgulhosa por estar se destacando em algo” (SISI′ntindo) … (risos)
Patricia também é cultura!

Resposta:

Patrícia:
Concordo: “Patrícia também é cultura”.
A palavrinha é muito expressiva, só que talvez deva ser escrita de forma diferente para corresponder à pronúncia. Assim como está escrita, a tendência é ler SIZÍ. Sugiro, então, SÍSSI ou SISSE.
Mais um pouco e eu a convido para ser auxiliar de site.

Pergunta #692

Dr. Alaúzo: dá para acreditar que isto não é uma consulta, mas uma informação!! É que me deu vontade de partilhar com o mestre uma descoberta que fiz ao ler um artigo sobre frutos do mar. Citando: ” os filósofos gregos regalavam-se com o sabor das ostras (…), inventando, a partir daqui, o conceito de “ostracismo” pois o nome das pessoas a banir era inscrito nas′ostrakon′ (cascas de ostras) que depois se apresentavam a voto.”
Desculpe-me a intromissão em sua seara! Lúcia

Resposta:

Lúcia:
Até agora ninguém se tinha lembrado de me dar uma informação, em vez de pedir. Agradeço muito, mas não se pode esperar demasiada etimologia de um artigo sobre frutos do mar.
Os “filósofos” gregos não inventaram nenhum conceito de ostracismo a partir da comida, não.
Esse método de banimento por dez anos, usado na Atenas antiga para pessoas que se pudessem considerar perigosas para o Estado, não foi inventado por causa das ostras.
Há uma certa confusão nisso tudo: em Grego, “ostra” se dizia OSTREON. O que se usava para escrever o nome da pessoa a ser banida era um OSTRAKON, “casco duro, pedaço de vaso ou de telha”.
Esses fragmentos eram muito comuns nos lares da época, e eventualmente eram usados como substrato para uma votação deste tipo.
Ambas as palavras descendem do Indo-Europeu OST-, “osso” e são relacionadas ao Sânscrito ASTHI, “osso”.
Assim, são primas, mas não têm o mesmo significado.

Pergunta #690

Boa tarde, Traça Gigante!
Em qual biblioteca o senhor nasceu?
Sério,agora: qual a origem da palavra apanágio? Abraço! Olha, o senhor mudou a cor do site, mas a outra era mais bonita!!

Resposta:

Patrícia:
Não sei em que biblioteca eu nasci. Fui retirado dali em tenra idade, ainda tomando mamadeira. Nem tinha começado a comer papinha de celulose ainda, veja você!
“Apanágio” era uma propriedade ou outro valor que um pai antigamente fazia aos filhos que não o primogênito, sob a condição de que eles abrissem mão da herança. Era uma maneira de manter uno na geração seguinte o conjunto de bens que ele tinha obtido.
Sua origem é interessante: vem do verbo francês APANER, que vem do Latim AD, “para”, mais PANIS, “pão”. Ou seja, “para garantir a alimentação”.

Pergunta #691

Caro Professor,

Favor informar também a origem da palavra “Fluência” relativo à expressão “ser fluente em alguma coisa”.

Obrigado

Resposta:

André Luiz:
Vem do Latim FLUERE, “escorrer, deslizar, fluir”.
Quando temos “fluência” num idioma, por exemplo, ao nos manifestarmos nele ele desliza sem tropeços, lisinho.
A palavra FLUMEN, “rio”, é relacionada com esta.
Essa é a razão de o pessoal do Rio de Janeiro ser chamado de “fluminense”.

Pergunta #689

Olá, Sr. Traça!
Ei, o senhor é muito mal, hein!!
Está todo “SISI” só porque o número dos clientes está aumentando. Mas tudo bem, vou ainda descobrir alguns segredos, tá? E falando em segredos, qual a origem da palavra segredo? Ah…. quer saber o que é SISI, né? Também não vou dizer!! (risos)

Resposta:

Patrícia:
Sou uma traça que não resiste a conhecer mais palavras. Seja boazinha e conte o que é ′SISI′, tá?
Aí eu lhe explico de onde vem “segredo”: é do Latim SECRETUS, do verbo SECERNERE, “separar”.
E este verbo se forma por SE-, “sem, à parte”, mais CERNERE, “separar” propriamente.
SECRETUS era o que estava “separado” do conhecimento da maioria.

Pergunta #688

Caro Professor,

Favor informar a origem e etimologia das palavras “conhecimento” e “habilidade”.
Desde já, lhe agradeço.

Resposta:

André Luiz:
“Conhecimento” vem do Latim COGNOSCERE, “conhecer, reconhecer”. E este passou pelo Grego GNOME, “capacidade de conhecer, entendimento, razão”.

“Habilidade” é do Latim HABILITAS, “capacidade, destreza, aptidão”.

Pergunta #687

Prezado doutor “traça gigante” – esta é boa!!
aproveitando a “deixa” da consulta 685, pergunto a origem da palavra ′batuta′ – o pauzinho que o maestro usa para bater na cabeça dos músicos desafinados.

Resposta:

Lúcia:
Eu sabia que você não ia acreditar. Mas sou mesmo uma traça grande que, para escrever, tem que ficar pulando de tecla em tecla.
Sou o resultado de uma experiência genética do meu dono. Ele me botou a trabalhar para se ressarcir dos gastos que teve com o seu laboratório.
Tirando isso, sou uma traça bem-humorada e já vi que você é uma pessoa assim.
Smpre pensei que aquele pauzinho era mais útil para ameaçar os músicos do que para os dirigir mesmo.
O nome dele vem do Italiano BATTUTA, “batida”, que designa uma série de golpes, exatamente o que é necessário para matcar o ritmo de uma música. E tal palavra vem de BATTERE, “golpear, bater”.

Pergunta #686

Professor: o mórbido fascínio da mídia pelos facínoras (engravatados ou não).
A origem da palavra facínora? Algo a ver com fascínio?

Resposta:

Sr. Croquezz:
Nada a ver com “fascínio”, embora muitas vezes as atividades dessas pessoas nos deixem hipnotizados.
“Fascínio” vem de um um deus fálico romano, FASCINUS.
E “facínora” vem do Latim FACINUS, “má ação, feito, crime, atentado”.
FACINOROSUS era o sujeito que tinha cometido muitos crimes.

Pergunta #685

Presado Professor Gostaria de saber o que e de onde veio a palavra ( MAESTRO )

Resposta:

Anderson:
“Maestro” vem do Latim MAGISTER, em geral traduzido por “professor”, mas na verdade querendo dizer “aquele que conduz, que comanda ou dirige”, o que traduz bem o papel de um maestro à frente da orquestra e o de um professor na sala de aula.
Originalmente, MAGISTER significava “aquele que é mais – tem mais poder – que os outros”, pois vem da palavra MAGIS, “mais”.

Pergunta #684

Gostaria de Saber a Origem da Palavra (CARDOSO )

Resposta:

Anderson:
Essa não é uma palavra comum, é um sobrenome. Refere-se ao “cardo”, planta angiosperma da família das compostas, que compreende também a alcachofra.
Em Latim era CARDUUS, passando mais tarde a CARDUS e depois CARDO.
Já em 1170 se conhecia família com esse sobrenome em Portugal.
Possuiam, por mercê do rei, a Quinta do Cardoso, em S. Martinho dos Mouros.
O cardo (“thistle”, em Inglês)é é a planta nacional da Escócia.

Pergunta #683

estou curioso, qual é a origem etimologica das palavras Sociedade, Justiça, Matematica, Educação e Etica.

Obrigado.

Resposta:

Glauber:
“Sociedade” vem do Latim SOCIETAS, “sociedade”, de SOCIUS, “companheiro”.

“Justiça” vem do Latim JUSTITIA, “eqüidade, correção”, de JUSTUS, “correto”, derivado de JUS, “certo, direito”.

“Matemática” é do Latim MATHEMATICA, do Grego MATHEMATIKE TEKNE, “ciência matemática”, que deriva de MATHEMA, “ciência, conhecimento”. E esta palavra, por sua vez, vem do verbo MANTHANEIN, “aprender”.

“Educação” é do Latim EDUCARE, formado por E-, “fora”, mais DUCARE, “guiar”: uma pessoa aprende quando é guiada para fora de si.

“Ética”: do Latim ETHICA, do Grego ETHIKE PHILOSOPHIA, “filosofia moral”. Deriva esta de ETHOS, “costume, caráter, moral, natureza, disposição”.

Pergunta #682

apartamento

Resposta:

Pedro:
“Apartamento” vem do Italiano APPARTIMENTO, “lugar separado”, do verbo APPARTARE, “separar”, que é formado de A, “para”, mais PARTE, “lado, lugar”.
E PARTE vem do Latim PARS, “lado”.

Pergunta #681

gostaria de saber a origem da palavra meio-fio e quem foi Alcino Guanabara, aquele que dá nome a uma rua no centro do Rio de Janeiro

Resposta:

Pedro:
“Meio-fio” é uma expressão composta de uma palavra que veio do Latim MEDIUS, “o que está no meio”, e FILUS, “corda, fibra, fio”.
A expressão propriamente dita é portuguesa e se refere ao que está entre a rua e a calçada e tem as proporções de uma corda, ou seja, é longo e estreito.

Nosso site lida com as origens das palavras, não com nomes de ruas. Mas podemos dizer que Alcino Guanabara foi um senador que, participando da imprensa, colaborou na implantação da luta contra a tuberculose no Rio de Janeiro, nos fins do séc. XIX.

Pergunta #680

Bom dia! Professor!
Sendo bem concisa como o Ribamar:
“generosidade”, “fidelidade”, “sacrifício”.
Inté!! A propósito, o senhor é de onde?

Resposta:

Patrícia:
Estava já sentindo a sua falta.
Sendo pouco conciso, que não estou aí para isso:

“Generosidade”: do Latim GENEROSUS, onde originalmente queria dizer “de nobre nascimento”. Esta palavra vem de GENUS, “raça, estirpe”.
Os sentidos secundários de “altruísta” e “abundante” se desnvolveram ainda no Latim.

“Fidelidade” também é do Latim: FIDELITAS, “fidelidade”, de FIDELIS, “fiel”, de FIDES, “fé”.

“Sacrifício” vem do Latim SACRIFICIUM, formada de SACER, “sagrado”, mais a raiz de FACERE, “fazer”.

De onde eu sou? Vou-lhe contar um segredo: sou uma espécie de traça gigante que nasceu dentro de um livro, numa biblioteca. Mas não espalhe!

Pergunta #679

Gostaria de saber a origem e o significado da palavra ” Exa ” ( assim mesmo sem o H ).
Muito Obrigado, aguardo retorno!
Alessandro

Resposta:

Alessandro:
Nosas pesquisas não encontraram uma palavra assim, apenas um prefixo indicativo de quantidade.
Anteposto a uma unidade de medida (como gramas, quilos, segundos), indica multiplicação por 10 à décima-oitava potência.
Originar-se-ia do Grego HEXA, “seis”, embora não tenhamos encontrado o porquê.

Pergunta #678

Dr.Etimologista: penso que o senhor está procurando alguma distração para o final de semana. por isto sugiro que busque a etimologia de duas palavras ligadas ao culto dominical católico.
Antes do Concílio Vaticano II, na Igreja, se escutava o SERMÃO do Padre, pois era uma fala dogmática. Hoje,se escuta a HOMILIA do Padre, no sentido de a fala ser mais explicativa do que dogmática. Então, de onde surgiram as palavras SERMÃO E HOMILIA ?
Bom final de semana, Lúcia

Resposta:

Lúcia:
“Sermão” é do Latim SERMO, “fala, discurso”. Originalmente queria dizer “”encadear palavras”, usando a raiz do verbo SERERE, “unir” (que originou a palavra “série”).

“Homilia” já foi OMELIE em Francês, do Latim HOMILIA, “sermão, discurso”.
Em Grego era HOMILIA, “conversa, discurso”, que o Grego do Novo Testamento usava para designar “sermão”.
E esta palavra derivava de HOMILOS, “multidão”, de HOMOU, “junto”, mais ILE, “tropa”.
Tem a mesma fonte do Sânscrito MELAH, “reunião” e do Latim MILES, “soldado”.

Assim, quando um “militar” escuta uma “homilia”, estão-se reencontrando palavras que tomaram significados diferentes há milênios.

Essas distrações são bem-vindas. Mande mais.

Pergunta #677

Sociologia, antropologia, política

Resposta:

José Ribamar, meu conciso cliente:
“Sociologia” vem do Francês SOCIOLOGIE, palavra cunhada por Auguste Comte em 1830, a partir do Latim SOCIUS, “companheiro” mais -LOGIA, a raiz de LEGEIN, “falar”. Esta raiz assumiu o sentido de “estudo de”.

“Antropologia” é do Grego ANTHROPOS, “homem, ser humano”, derivado do Indo-Europeu HNER, “homem”, mais -LOGIA.

“Política”: vem do nome de um livro de Aristóteles sobre os governos, TA POLITIKA, “ciência do governo”.
A palavra POLITIKA deriva de POLIS, “cidade”.

Interessante é saber que, nessa obra ele disse que “o homem é um POLITIKON ZOON”. Esta frase tem sido traduzida como “o homem é um animal político”, querendo dizer que todos somos obrigados a nos interessar por política. No entanto, a tradução correta é “o homem é um animal social, um animal destinado a viver em cidades”.

Origem Da Palavra