Palavra boletim

PUBLICAÇÕES

 

A Humanidade, para o bem ou para o mal, espalha suas palavras, noções, palpites, ideologias, obras literárias, besteiras – enfim, o que lhe vem à cabeça – de diversas maneiras, em vários tipos de apresentações.

Hoje é o nosso dia de dar uma olhada no étimo de diversas palavras usadas para nomeá-las.

LIVRO – do Latim liber, librum, “livro, papel, pergaminho”, originalmente “parte interna da casca das árvores”, do Indo-Europeu leubh-, “descascar, retirar uma camada”.

LIBRETO – designa o texto de uma ópera e deriva do Italiano libretto, diminutivo de libro, “livro”.

REVISTA  –  do Francês revue, inicialmente usado em teatro, com o sentido de “espetáculo comentando acontecimentos recentes”, do Latim revidere, “ver de novo”, formado por re-, “de novo”, mais videre, “ver”.

JORNAL – da expressão  francesa papier journal, “escrito a cada dia, texto que se renova diariamente”, onde papier quer dizer “matéria escrita” e journal vem do Italiano giorno, “dia”, do Latim diurnum, “diário”, de dies, “dia”.

DIÁRIO – publicação que aparece a cada 24 horas; deriva do dies acima citado.

PANFLETO –  “pequena obra impressa, muitas vezes sem capa”. O nome deriva do Anglo-Latim panfletus, uma alteração do título Pamphylus, Sive de Amore, “Pânfilo, ou Sobre o Amor”, um poema amoroso do século XII, muito popular na Idade Média.

FOLHETIM – do Francês feuilleton, “publicação pequena, com oito páginas”, derivado de feuille, “folha”, que veio do Latim folium, “folha”.

PUBLICAR – do Latim publicus, “relativo ao povo”, de populus, “povo”.

Uma publicação é um texto trazido ao povo, para qualquer um ler.

BOLETIM – do Italiano bulletino,  diminutivo de bulletta, “documento”,  por sua vez diminutivo do Latim  bulla, “documento selado”.

Na verdade, este era o nome dado ao selo em si, que tinha  forma arredondada. Bulla queria dizer “arredondado, inchado, bolha, bola”; depois a palavra foi estendida ao documento inteiro.

PASQUIM – a palavra que designa este texto calunioso ou satírico, também aplicado a um jornal de pouca importância e malfeito, tem uma história interessante.

Em 1501 o Cardeal Caraffa instalou à frente de seu palácio, em Roma, uma estátua antiga e mutilada.  Os habitantes locais logo acharam que ela se parecia com um vizinho chamado Paschino e aplicaram o seu nome à estátua.

Como se tratava de uma área de grande circulação, as pessoas pegaram o hábito de afixar junto a ela papéis com escritos satíricos, caluniosos ou debochados voltados contra seus desafetos. E a partir daí se fez um substantivo que faz parte de diversos idiomas até hoje.

LIBELO – com um sentido semelhante à palavra anterior, mas mais sério, o de “afirmação por escrito capaz de prejudicar a reputação de uma pessoa”. Deriva do Latim libellus, diminutivo de librum, “livro”.

VOLANTE – este pequeno texto de propaganda que consta apenas de uma folha em tamanho pequeno recebeu seu nome a partir do Latim volans, “aquele que voa, o que se desloca rapidamente”, de volare, “voar”.

MANUAL – é uma publicação que geralmente não ensina a usar direito algum aparelho.  Seu nome vem do Latim manualis, “relativo à mão, aquilo que pode ser usado com uma mão, portável”, de manus, “mão”.

VADEMECUM – é um livro de referência de consulta freqüente, em tamanho adequado para o porte cômodo.

Em Latim, vade mecum quer dizer “vem comigo” ou “anda comigo”.

Resposta:

Cartas

Não  faz muito tempo que os habitantes de cidades maiores escreviam cartas para amigos dentro da mesma cidade, até porque os telefones eram escassos. Naturalmente,essa necessidade se expressou em diversas palavras, algumas das quais vamos estudar.

CARTA – vem do Latim charta , “folha para escrita, tablete”, do Grego khartes, “folha de papiro”, provavelmente de origem egípcia. Assim,”carta branca” atualmente significa “liberdade para fazer o que a pessoa bem entender numa área, sem se reportar a outrem”. Desta forma, as condições de entrega de uma praça forte ou corpo de tropas eram definidas por quem tinha vencido o encontro.

EPÍSTOLA – nem todos sabem, mas é sinônimo exato de carta. Vem do Latim epistola e Grego epistola, “carta, mensagem”, do verbo epistellein,”mandar, enviar”, formado por epi, “a, para”, mais stellein, “enviar”.

BOLETIM – este conjunto breve de informações deriva do Italiano bulletino, diminutivo de bulletta,”documento, papel para votação”, por sua vez um diminutivo de bulla. Esta palavra ficou mais popular a partir das guerras napoleônicas, designando “despacho da frente de batalha para informação do público”. O selo no envelope recebe um carimbo que o recobre parcialmente, num ato chamado cancelamento. Isso é para que os espertos não possam retirar o selo e usar na carta de resposta. Isso era feito por um ato chamado cancellare, “fazer um traçado como de uma grade”, que no Latim vulgar passou a significar “anular algo escrito por meio de traços, riscar por cima”. O fato de o correio ser organizado ao longo de postos onde havia cavalos para troca rápida levou esses serviços a se chamarem poste em Francês, posta emItaliano, post em Inglês.

CORREIO – vem doLatim currere, “deslocar-se com pressa, correr”, que era a forma de fazer as cartas chegarem mais cedo na época do correio a cavalo ou de veleiro. CORRESPONDÊNCIA  –  pode parecer que vem da palavra acima, mas não é o caso. Vem de ” co-“, “junto”, mais “responder”. E esta vem de uma raiz Indo-Europeia spend, “fazer um brinde”. Seu significado se estendeu para “garantia” e acabou gerando respondere, “afiançar,atender a um chamado, enviar uma carta em conseqüência de outra”.

COMUNICAÇÃO – é do Latim communicatio, “ato de repartir, de distribuir”, literalmente “tornar comum”, de communis, “público, geral, compartido por vários”. É parente de “comunhão”. NOTÍCIA – do Latim notitia, “informação, conhecimento, ser conhecido”, de notus, “ser conhecido,famoso”, do verbo gnoscere, “vir a saber, tomar conhecimento”, derivado do Indo-Europeu gno, “saber”.

DATA – normalmente se coloca o dia em que se escreveu a nota, carta, despacho, etc. no início do escrito. Essa palavra vem da expressão que os romanos usavam, por exemplo, Data Romae kalendas Januarii, “dadas (escritas, feitas as letras) em Roma a 1º de janeiro”. Com o desuso do Latim, essa palavra inicial foi tomada como significando “ocasião definida no tempo”.

Resposta:

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!