Palavra lima

Ferramentas

Ao chegar no pátio da casa de meu avô, descobri-o lidando com umas madeiras das estantes de livros que ele estava consertando.

– Aí, hein, Vô, trabalhando de carpinteiro para fazer uma graninha? – disse eu.

Ele, tentando ocultar que estava contente de me ver, respondeu, sério:

Marceneiro, seu inculto. Carpinteiro é quem trabalha em estruturas, em obras pesadas, e vem do Latim carpentarius artifex, “o que lida com carros”, de um tipo de carro de tiro animal chamado carpentum, nome de provável origem celta.

Marceneiro é o sujeito que lida com madeira para fazer móveis, objetos pequenos, decorativos. Parece que deriva de mercenarius, “o que trabalha por dinheiro, a contrato”, de merx, “material à venda, mercadoria” .

– Hum, o senhor está com toda a corda hoje, não?

– E quando não estou?

– Então conte-me qual a origem do nome dessa ferramenta que o senhor está segurando, já que não vou ter escapatória mesmo – falei, revirando os olhos, com cara de quem não estava interessado no assunto.

– Vou falar; sempre há uma esperança de que até as mentes mais obtusas aprendam algo – nós gostávamos de inticar um com o outro.

Mas antes, vou explicar porque estas coisas se chamam de ferramentas: em Latim, ferramenta é uma palavra plural e quer dizer “conjunto de instrumentos de ferro”.

O nome deste martelo que estou segurando vem do Latim martellus, que viria de malleus, “martelo”.

E o nome do prego que ele enfia na madeira vem do Latim plicare, “dobrar, enroscar”, dada a noção de que ele como que se “enrosca” na madeira e passa a fazer parte dela.

Particularmente,acho que tem a ver também com o péssimo hábito de os pregos se dobrarem quando a gente bate neles com o martelo. Pelo menos quando sou eu quem está batendo.

– Já que falamos nisso, e o parafuso, Vô?

– Sua origem não é bem definida; parece vir do Latim fusus, “objeto alongado e cônico, fuso”.

– Outra coisa em que se bate é isso ali, como é o nome mesmo?

Formão. Esta palavra vem do Latim forma, “aspecto, aparência, molde”. A ferramenta servia para dar forma a coisas, daí o nome.

Outra coisa em que se bate com o martelo é o punção. O, ouviu? É um substantivo masculino. Serve para fazer furos em diversos materiais e vem do Latim pungere, “furar”.

E olhe aqui: esta serra já se chamava exatamente assim em Roma. Por semelhança, chamamos uma cadeia de montanhas, com o aspecto denteado dos seus picos, de serra também.

Há tipos diferentes de serra mecanizados, como a circular porque a lâmina é redonda, a de fita porque sua lâmina é longa, estreita e se dobra, a tico-tico

– Porque os tico-ticos a usam para fazer seus ninhos?

– Se eu não fosse ter problemas com a lei, eu a usaria para cortar seu crânio para espiar o aterrorizante vazio que há dentro.

Esse nome,seu espertinho, vem do fato de que a serra se move para diante e para trás, como a cabeça de um passarinho dando bicadas nas minhocas.

– Ah, tá, Vô, mas mudemos de assunto; conte-me de onde vem o nome do alicate, ali. É verdade que foi inventado por um Árabe chamado Ali Kate?

– Sua gracinha até passou mais perto do que você pensava, pois vem do Árabe al-liqât, “tenaz”.

– E a tenaz mesmo?

– Vem do Latim tenax, “o que agarra”, do verbo tenere, “pegar, segurar”, mas usado também com o sentido de “incomodar, aborrecer, torturar”.

Certos netos que incomodam, aborrecem, torturam pobres avôs indefesos deveriam ir para a cadeia.

– Indefeso o senhor, é? Tá bom, diga-me então de onde vem torquês.

– Do Latim torquere, “torcer”, pois é para isso que se presta.

– Hum. E aquelas coisas para alisar madeira que estão ali?

– Começamos pela grosa, que provavelmente vem do Latim crassa, “grossa”, pois é uma lima de dentes grandes, para iniciar o trabalho numa madeira que se apresenta muito irregular.

É interessante saber que existe um número que corresponde a doze dúzias – desde já digo que isso dá cento e quarenta e quatro, para você não forçar a frágil cabeça – e que parece derivar também de crassus, na acepção de um número “gordo”.

Depois dela temos a lima, que apresenta uma ação mais delicada e se chamava assim mesmo em Latim.

E ali estão as lixas, para cujo nome há várias explicações, ou seja, nenhuma é de confiar.

Ali no canto está uma gazua, ou pé-de-cabra. O primeiro nome vem do Espanhol ganzúa, mas antes disso não se sabe a origem. E o outro é óbvio, pois lembra o pé bifurcado de uma cabra.

Mas vamos encerrar por hoje; volte amanhã que já terei terminado minhas tarefas e vou poder contar mais sobre estes nomes.

Resposta:

Frutas

– Quem foi que deixou um resto de maçã roída na minha cadeira? E esta casca de banana no chão? E estas cascas de amendoim sobre a minha mesa? E estas sementes de laranja sobre as classes? Crianças, assim não dá! Feio, feio! Como é que uma pobre mestra pode sobreviver num meio destes?

Sentem-se todos em roda e vamos falar um pouco sobre a origem das palavras enquanto eu tento limpar um pouco a sala. Ah, eu sabia que podia contar com o Humbertinho para trazer o cesto de lixo atrás de mim. Continue assim que você vai agradar muito no futuro, menino.

Estão vendo esta casca de banana? Quem a jogou aqui provavelmente vai ter uma vasta dor de barriga, que é para aprender a não ser mal-educado. Mas por enquanto vamos ficar sabendo que o nome dessa fruta vem do Árabe banana, “dedo”, devido à sua forma.

Também chamamos de banana a pessoa muito mole, numa alusão à consistência macia do fruto. Falando nisso, levantem o Soneca dali um pouco, para que eu possa tirar essas cascas debaixo dele. Cuidado para não o acordar, que pelo menos é um que não está incomodando.

Olhem esta maçã esborrachada aqui. Saibam que o nome dela vem de mala mattiana, “maçã da cidade de Mattium, onde havia grande produção.

Esta palavra mala ou malum se aplicava também a frutos de polpa carnosa em geral.

Não, Joãozinho, não é dessa carne que estamos falando. Continue distraído fazendo os seus desenhos. Só não os mostre para ninguém, por favor.

Falando em malum, o pêssego, tão apreciado, se chamava em Roma malum persicum, “o fruto da Pérsia”. Com o tempo, caiu a primeira palavra e ficou a segunda. É por isso que o seu nome se escreve com “S” e não “C”, como alguns faziam. O “S” vem do nome do país.

– Como, Ledinha? Não, querida, essa fruta não foi inventada na Pérsia, ela apenas passou por lá a partir da Ásia, em seu caminho para o Ocidente.

Falando nisso, os romanos gostavam de uma fruta que continha muitos pequenos grãos cor de rubi com uma incômoda sementinha dentro, que nós hoje chamamos de romã. Ela era chamada mala granata, “fruto de grãos”, ou mala romana, “fruto romano”. O interessante é que, na Espanha, o que resultou hoje é a granada, de granata, e em Portugal, a romã, de romana.

Os romanos, aliás, chamavam as frutas tanto de fructus como de pomum. Daí que uma plantação de árvores frutíferas hoje se chama pomar.

Temos aqui uma casca de maracujá, que vem do Tupi moroku’ia, o nome da fruta.

Eles chamavam o abacaxi de iwa’kati, “a fruta que tem cheiro forte”, uma palavra que diz muito sobre ele.

Não, Sidneizinho, não quero ouvir nenhuma piada sobre frutas, não. Aliás, saia de perto da Maria Tereza que ela é inocente demais para você estar junto. Vá para o fundo da sala, vá.

Pulando para bem longe, sabiam que o abacate tem o seu nome oriundo de um idioma do México chamado Náhuatl? Lá ele era chamado awácatl. Eles também deram nome ao tomate, que era tomatl para eles. E também ao chocolate, chocolatl.

Lembrei-me do chocolate porque vi todo esse chocolate derretido na sua mão e ao redor de sua boca, Artur. Vá se lavar, menino! E não se esqueça de voltar.

O Náhuatl cacahuatl deu também o nome ao que os espanhóis chamam de cacahuete, e que nós por aqui chamamos de amendoim. Esta palavra vem do Tupi manu-ui, com influência de amêndoa. O pessoal de fala espanhola na parte mais ao sul do nosso continente usa maní, também baseado no Tupi.

Não senhor, Sidneizinho, essas histórias sobre o amendoim são bobagens e eu não quero falar nisso. Sim, sei que estou aqui para ensinar, mas isso vocês só podem aprender mais tarde. E vamos mudar de assunto.

Vejam esse rastro de pingos de laranja. O nome dela veio do Sânscrito naranga, através do Persa narang e do Árabe em duas formas, narang e larang. É por isso que dizemos laranja em português e naranja em Espanhol.

Falando em Árabe e em cítricas, temos o limão, de limun. Parente dele em idioma de origem e família é a lima, de limâ.

O que me lembra a tangerina, que recebeu esse nome do porto de Tânger, cidade do Marrocos perto do Estreito de Gibraltar, que era um local de exportação da fruta para a Europa.

Essa mesma fruta é chamada no sul do Brasil de bergamota. Esse nome vem do Turco mustafa beg armudi, “a pera do Príncipe”. Não se sabe que confusão os italianos fizeram entre as frutas, que passaram o nome para bergamotta e assim ficou.

Em outras partes do país, esta fruta é chamada de laranja mexeriqueira ou mexerica. Esta palavrinha vem de mexericar, no sentido de “denunciar”, já que o seu cheiro denuncia imediatamente quem foi que comeu a fruta e espalhou as cascas por aí. Sabia, Oscarzinho, que está com essa cara de santo aí no cantinho? Para completar: mexericar vem de mexer.

É bom que todos aprendam a não mexer com quem está quieto, pois um belo dia podem se surpreender provocando um ataque do coração em alguma pessoa esgotada com suas malcriações e aí não haverá mais professora para dar aulinhas para vocês e vocês vão ter que ir pedir esmolas nas ruas e dormir nas calçadas e…

Não, não! Não chorem! Era tudo uma brincadeirinha! Vocês não podem me levar a sério quando eu estou assim cansada de traquinagens. Calma, que a Tia Odete vai contar mais coisas interessantes. Olha aqui que artístico, esse pedaço de melancia atirado contra o teto! Muita criatividade mesmo. Miró não faria melhor.

Sabiam que o nome dessa fruta também vem do Árabe? Pois consta que se chamava bátikha balanci, “melão de Valência”. Como todos vocês ainda não sabem, os Árabes passaram longo tempo dominando a Espanha, tanto que a ajuda de arabistas, especialistas em idioma Árabe, é indispensável para se fazer um dicionário de Espanhol.

E o melão veio do Grego melopepon, passando pelo Latim melo e pelo Italiano mello. Aqui tem um pedaço de casca no peitoril da janela, vejam só que lindo!

Em Espanhol, o nome da melancia é sandía. Ele vem do Árabe sinddyya, “natural da região do Sind, no Paquistão”.

Muitos de vocês talvez não conheçam ainda as palavras sandice, sandeu, que querem dizer “loucura, louco”. Pois elas vêm do nome dessa fruta em Espanhol.

Em determinado momento se associou o tamanho da cabeça de crianças com macrocefalia, uma doença em que os líquidos do cérebro não drenam direito e que comprime o cérebro e aumenta o crânio, com a forma e tamanho da melancia.

Como não havia tratamento ainda para isso, as crianças tinham retardamento mental e a ligação com a loucura veio logo.

E está cientificamente provado que crianças que se portam mal com sua professora querida correm sério risco de acordar sandias. Portanto, agora vão para casa e prometam que vão se comportar.

E façam um favorzinho: digam para as mamães que a nossa experiência da Merenda de Frutas está cancelada e que é para não mandarem mais frutas com vocês, está certo?

Resposta:

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!