Consultório Etimológico

Pergunta #1317

Querido “Dr. Traça”…
agora que já sou da casa, vou abusar:

origem da palavra Ululante*

*espero q não tenha nada a ver com o Lula…rsrsrsr..

Abraço.

Resposta:

Luciano:

Quem é da casa não abusa, só dá prazer.

“Ululante” vem do verbo “ulular”, que vem do Latim ULULARE, “uivar, gritar, emitir lamentos”, de origem onomatopaica.

Melhor não entrarmos em política por aqui…

Pergunta #1316

Qual a origem e siguinificado do nome Elífio ?, pode ser também que alguém fez uma junção de palavras, caso exista me informe por favor. Agradecido

Resposta:

Exupério:

Esse nome, Elífio, deve ser criação recente; não corresponde aos nomes clássicos da literatura.
O que mais se aproxima é “Elígio”, derivado de ELIGERE, “escolher” em Latim: “o escolhido, o predestinado”.

Talvez você já saiba, mas vou contar ao resto do pessoal:
“Exupério” é latino, EXSUPERIUS, “o que prevalece, que supera”, formado por EX-, “fora” e SUPERO, “estar acima, sobressair”. Olha que responsabilidade!
Há pelo menos dois santos e duas santas com esse nome na Igreja Católica.

Pergunta #1315

Estenda-me a mão, por gentileza…
Isso!
“Smack!” (risos)
A bênção, ó Tracelência!
Ora, enlanguescer-se em minhas mãos? Claro! Já estou munida com nanofármacos de potentes vitaminas de celulose para atenuar qualquer algia e expurgá-la eficientemente. Pois sei que as Traças, ou pelo menos as Antenas são muito frágeis e nem aí com a doutrina de Zenão.
Darei um descontinho na consulta, afinal, o senhor, é uma Very Important Personality, right?
Há, há, há, quer dizer que nem sonhando posso ser discípula de Lao Tse?? Mas, acredite, eu sou deveras humilde, não tão delicada como a Deli, isso é verdade! O senhor é muito ladino, viu? Mas, tranqüilo, teologicamente falando, meu Rabi é outro!
Sabe, ontem me embrenhei na leitura e me deparei com um termo que não encontrei no dicionário: “premonstratense”, é algum morador da cidade dos monstros? E olha, que não estou lendo ficção!
Um Bom Dia!

Resposta:

SerePatty;

Oh, tenho delíquios! Ai que minhas antenas se agitam! Céus, que você me perturba!
Preciso de vitaminas, Zenão a minha saúde periclita.
Grato pelo título de VIP. Agora, vou-lhe contar uma coisa: as empresas têm uma outra categoria, não muito conhecida, os VIPI, “Very Important Personality Indeed”, ou seja, “VIP de verdade”. Ainda chego lá!

“Premonstratense” se refere a uma Ordem religiosa fundada no séc. XII. O nome vem de PRAEMONSTRATUS, “o lugar predito”, de PRAEMONSTRARE, formado por PRAE-, “antes”, mais MONSTRARE, “indicar, apontar”.
Diz-se que S. Norberto teria profetizado onde seria o local da sede da Ordem.
Ou ele acertou ou a Ordem resolveu erguer a sede onde ele tinha dito.

Sua idéia da “cidade dos monstros” não é tão absurda, pois a palavra “monstro” também vem de MONSTRARE.

Pergunta #1314

Qual a origem das 3 virtudes teologais?:


esperança
caridade

Grato

Resposta:

Sérgio:

“Fé” é do Latim FIDES, “confiança, crença”, da raiz de FIDERE, “confiar”, de fonte Indo-Européia BHIDH-, “persuadir, confiar”.

“Caridade”: do Latim CARITAS, “estima, afeição, valor”. Vem de CARUS, “caro, valioso”, de uma raiz Indo-Européia KA-, “desejar, gostar”.

“Esperança”: do Latim SPERANS, “aquele que espera”, de SPES, “expectativa, esperança”. O verbo era SPERARE, “confiar em que, contar com”.

Você vai se ordenar quando?

Pergunta #1313

Realmente professor…a indiada ia lotar a minha estância, mas eu ficaria mais contente do que cusco de cozinheira, mais faceiro que guri de merendeira nova…agradeço a tigrada pela recepção calorosa recebida no site…e o dia em que quiserem dar uma volta pelo pampa é só aparecer.

Um abraço a todas as Querências!!

Resposta:

Luciano;

Mas bá, tchê, por aqui a bugrada é assim mesmo, tudo mais festeiro que cachorrinho novo com o piá seu dono.

Tu não perguntaste, mas vou explicar assim mesmo:
“Pampa” vem do idioma Quétchua e quer dizer “planície”.
E “querência” vem do Espanhol QUERER, “gostar, amar”, com o sentido de “carinho sentido pelo lugar onde se nasceu”, sentimento especialmente forte entre os gaúchos.

Aparece sempre, boleia a perna e puxa um mate!

Pergunta #1312

Reverências às Sagradas Antenas (estou me ajoelhando, tá?)
Prof, o senhor nem sabe! Com essa era de nanotecnologia, já desfrutei do privilégio de ser a primeira compradora de um nanoestetoscópio e de um nanoesfigmo, é prá lá de chique! Pode ficar tranquilo que será tratamento VIP. (de onde vem “VIP”?)Aliás, quero lhe informar que todo este equipamento foi quitado com alguns saldos positivos das nossas contas! Estou cuidando direitinho!
Eu não me comunicava com o Luciano, não. Apenas observei que ele era da terra da Lúcia e como esta semana fiquei bem informada sobre as manias gaúchas resolvi fazer um agrado!
Mas pode deixar, que ele será a nossa mais nova víti, ops, nosso mais novo discípulo, pois parece ser gente boa! Será que o poder aquisitivo também é bom? Pois é disso que precisamos! E vou deixá-lo precavido sobre certas Tracelências!
Parece que mais um adjetivo me foi imposto, o que é indiada? Eu não “ser” índia!
O senhor tem algo sobre “taoísmo”?

Resposta:

HermePatty:

Não, não se ajoelhe, basta beijar nosso anel.
Folgo em saber que você está atualizada com a tecnologia e que posso enlanguescer em suas mãos (essa foi bonita, hein?).
Também é interessante saber que o dinheiro dos dízimos, que até agora não pingou por aqui, está sendo bem aplicado.

“Indiada” não é adjetivo, é um coletivo de gente em gauchês. Não se preocupe, tem conotações positivas e afetuosas.

“VIP” é a sigla para Very Important Personality, que começou a ser usada em 1933 nos EUA para designar clientes e passageiros que precisavam ser tratados de forma especial.

“Taoísmo” vem de TAO, “caminho, trilha”. É uma filosofia de origem chinesa fundada por Lao-Tse, que prega a conformidade ao TAO, a realidade cósmica primordial, pela ação humilde e pela serenidade.
Pode esquecer, não tem nada a ver com você, inquieta Diaconisa!

Pergunta #1311

Obrigado mesmo assim professor (Traça?). Me desculpem, mas sou novo no site, ainda estou me adaptando as gírias do pessoal (risos). Sobre o “churras” aqui em Porto, é só marcar que já acendo o fogo-de-chão!

Abraços.

Resposta:

Luciano:

Não se assuste com a indiada que num instantinho você já está aquerenciado. É tudo meio esquisito, mas são gente boa.
Nesse “churras” aí não sai um papel Canson mal-passado?

Pergunta #1310

Saudações às minhas, ops, desculpe, às nossas, não, melhor, às suas Amadas Antenas!
Nossa, como a clientela tem aumentado! O senhor está bem? Cuidando-se direitinho? Fazendo check-ups, cuidado com tantas atividades, hein! Já sabe que estou sempre de plantão, não é? Ê puxa-saco…
Ô Professor, coitado do Luciano, logo ele, que mora “longe prá dedéu”, ficou sem resposta. Mas creio que ele pode ficar tranquilo porque sabe que o brasileiro é realmente criativo e sempre apronta neologismos. Sabia que os porto-alegrenses são craques na formação de gírias, pois é…
Então, Luciano, gostou dos slides que te mandei? Estou ficando por dentro das tradições gaúchas. Tua terra parece ser “Trilegal”. Quando “tu vai ir” convidar os membros honoríficos da IEU para um “Churras”?????Mas tem que ser lá no CTG!!!Bah!Que “Tri”!!!!
Agora, cá prá nós, ver uma Traça patinando deve ser “engraçado prá dedéu”!!!!!

Resposta:

Diaconisa:

Você está terrível mesmo. Qualquer dia vai ser suspensa de suas funções por desatender às determinações de Minha Tracelência em relação às Sagradas Antenas.

Se você está disposta a me fazer um “check-up”, acho que vou aceitar. Você tem esteto e esfigmo para traças?

Pelo visto, você se comunica com nosso novo cliente, Luciano. Pois desde já a encarrego de lhe passar um e-mail explicando esta estranha Igreja nossa, sua hierarquia, o fato de ser comandada por uma traça, etc.
Acho que estamos ficando muito herméticos para os recém-chegados.

Pergunta #1309

Gostaria de saber a origem(e o possível processo evolutivo) do termo “mídia”,palavra que serve para designar os meios de comunicação.Desde já agradeço.

Resposta:

Mauro:

Essa palavra vem do Latim MEDIUM, “meio, metade”.
No sentido que você cita, vem da expressão inglesa MASS MEDIA, de 1923, um termo técnico de propaganda.
MEDIA é o plutal de MEDIUM; portanto, quer dizer “meios”.
Segue a noção, estabelecida já em 1605 (!), de “instância intermediária, canal de comunicação”.
Nos meios espíritas se usa a palavra “médium”, justamente com o significado de “instância que fica entre seres sobrenaturais e um consulente”.
“Mídia” é a transcrição fonética da palavra inglesa. Preferível seria usar a expressão “meios de comunicação”, mas a lei do menor esforço nos faz preferir o neologismo.

Pergunta #1308

Boa noite,

um grupo de amigos e eu estamos muito curiosos para saber como surgiu a expressão: “longe pra dedéu”.

Obrigado,
Luciano.

Resposta:

Luciano:

Que vergonha, a sua primeira pergunta e já me faz patinar!
Essa palavra não se encontra em nenhuma das minhas fontes (isso é comum de acontecer com a gíria: muitas vezes ela desaparece antes de fazer qualquer marca num idioma) e, para dizer a verdade, eu nunca tinha ouvido falar nela.
Estou em dívida!

Pergunta #1307

Boa tarde professor

Fico grato pela resposta anterior.
Gostaria de saber hj, sobre sobrenomes(quase um pleonasmo ahahahahahah) pois bem, trabalho numa faculdade e tem muitos sobrenomes com terminação “..rdi e ldi” tipo: lunardi, dinardi, girardi, ou ghiraldi, geraldi etc.
Essas terminações tem algo em comum?
Abraços

Resposta:

Daniel:

Sim, as terminações que você cita têm muito em comum. São terminações que indicam plural.
Por exemplo, no caso da família LUNARDI, ela descende de algum LEONARDO, e os seus descendentes iniciais eram conhecidos como “o Fulano, dos Lunardi”, na época em que os sobrenomes não haviam sido ainda estruturados.
Os GIRARDI vêm de algum GERARDUS, e assim por diante.
Onde você mora, pelo visto, há grande preponderância de “oriundi”.

Pergunta #1306

Olá! A cefaléia passou, sim! A dose é “tiro e queda”!
Hoje, preciso de ajuda para entender melhor a diferença entre vedado e vetado, visto que o significado é muito similar! Aguardo, ansiosamente mais esta página de conhecimento…
Muito agradecida!

Resposta:

Deli:

Sempre que tiver esses sintomas, recorra ao seu traficante de cultura predileto.

“Vetar” e “vedar” têm a mesma origem, o verbo latino VETARE, “proibir, não aconselhar o uso”.
Ambos têm o mesmo significado quanto a “proibir, impedir o uso ou a continuação de um processo”, mas “vedar” tem muito uso com a conotação de “impedir fisicamente, obstruir”, o que não acontece com “vetar”.
Ou seja, você pode “vedar” um vazamento, mas se o “vetar”, ele vai continuar pingando.

Pergunta #1305

Caro Prof. Alaúzo gostaria muuito de saber o significado do meu nome, Juliana.Obrigada por me ajudar.Um abraço!

Resposta:

Juliana:

Seu nome vem do Latim JULIANUS, derivado de JULIUS. E este vem de DIOUILIOS, de DYAUS em Sânscrito, que queria dizer “céu, brilho” e, por extensão, “deus”.
Viu? Agora você está com a obrigação de iluminar o mundo à sua volta.
Sempre às ordens.

Pergunta #1304

bom dia meu professor virtual favorito ehehehehe

Gostaria de saber da origem da expressão ” não confunda alhos com bugalhos”, li hj e lembrei de vc na hora.
Abraços

Resposta:

Daniel:

Olá, meu viciado recente, eh eh.

A expressão que você cita vem do fato que “bugalho”, sendo a designação de certos corpos arredondados gerados pela ação de insetos em algumas plantas, por extensão passou a designar objetos com essa forma.
Um olho “esbugalhado” assim é dito porque, com as pápebras bem abertas, mostra a sua forma arredondada.
Há dois motivos para essa expressão. Um, porque ela engloba dois objetos de forma semelhante. Dois, porque os nomes deles rimam.
E “bugalho” tem origem controvertida; viria talvez de uma cruza entre o Latim BACCA, “baga, bolota” e GALLA, “galha”.

Pergunta #1303

Boa Noite, meu caro professor!
Sabe, eu pensei q ia dar um “trêm”, como dizem meus conterrâneos, pois tive q ir no sitio do meu irmão e fiquei uma semana inteira sem poder ′vir aqui′.Como eu estava com SAUDADE!!
O q eu quero saber hoje é sobre a palavra saudade: origem, significado e alguma curiosidade…
Agradeço a explicação sobre “eunuco”.
Bjos!

Resposta:

Bebel:

É, parece que você realmente foi tomada por este vício. Felizmente ele não engorda, não aumenta o colesterol nem dá câncer.

“Saudade” vem do Latim SOLITATEM, de SOLITUS, “solitário, sozinho”, de SOLUS, “só”.
Se uma pessoa está só, sentindo falta de um lugar, de algo ou alguém, muitas vezes tem um sentimento suave, doce e triste ao mesmo tempo, que justifica o nosso apego a essa palavra.
Dizia-se que o nosso era o único idioma em que essa palavra existia, mas esse mito já foi desfeito.

Pergunta #1302

As palavras não saem em negrito, esqueci. Então aí vão elas:
Judaísmo
Rabi Iohanan bem-Zakai,
agiota e usurário.
Ágil
Gullar
Iscariotes

Resposta:

Terrível Patty:

Esta minha turma surpreende. Você é mais uma pessoa que me faz pensar seriamente em preparar um cantinho para escritos do público. Você escreve muito bem!

“Judaísmo”: do nome próprio Hebraico Y′HUDAH, “Judá”, “o celebrado, o louvado”.

“Agiota” vem de “ágio”, do Italiano AGGIO, “lucro obtido no câmbio”, de origem incerta.

“Usurário”: de “usura”, “empréstimo a juros, uso de alguma coisa”, de USUM, “uso”,
do verbo latino UTI, “usar”.

“Ágil”: do Latim AGILIS, “vivaz, rápido”, do verbo AGERE, “atuar, agir, colocar em ação”.

“Gullar”: uma fonte diz que é alteração de GOULART. E este sobrenome em Portugal não é Francês como parece, mas sim Holandês, vindo de JOZ GOUILWARD, da comitiva dos donatários flamengos dos Açores.

“Iscariotes” vem de ISH QERIYOTH, “homem de Queriote”; houve uma cidade QERIOTH-HEZROM ao sul de Hebrom.

“Rabi Iohanan ben Zakai”: você não quer nada, né? Presumo que queira saber a etimologia de cada palavra.
Pois RABBI é “meu mestre” em Hebraico, de RABH, “mestre, o grande”, da raiz Semítica R-B-B, “ser grande, existir em grande número”. Isto não lhe lembra o nome de um certo Diácono?
“Yohanan”, nome próprio, queria dizer “Jeová é misericordioso”.
“ben Zakai” é um patronímico, “da fampilia de Zakai”, palavra esta que quer dizer “puro, inocente”.

Pare de inticar com as antenas!

Pergunta #1301

Ah, professor, não ri de mim, não. Prometo que vou melhorar os meus monólogos. Mas creio ser um bom começo ou não?
Então, pra finalizar, poderia nos dar a origem dos termos em negrito?
Abraços sacudidos nas Antenas! E me desculpe por ser tão espaçosa, afinal não tenho uma seção só pra mim… ainda!

Resposta:

Pergunta #1300

(Continuação III)

“Sabe, professora, não concordo plenamente. A senhora parece que se subtraiu na aceitação daquela cartilha de termos politicamente corretos”.
“O que você quer dizer?”
Para explicar vou usar algumas palavras do poeta Ferreira Gullar, comentando sobre esta equivocadíssima cartilha. “Não faz muito tempo, surgiu uma onda exigindo que se expurgassem dos dicionários palavras como “judiação” ou “judiar”, sob o argumento de que são expressões anti-semitas. Bastava pensar um pouco para ver que tais palavras não se referem aos judeus, e sim a Judas Iscariotes, isto é, à malhação do Judas no Sábado de Aleluia. Judiar ou fazer judiação é submeter alguém a maus-tratos semelhantes aos que a molecada faz com o boneco de Judas.”
Então, professora, penso que, sabendo corretamente a origem real de certas expressões poderemos aplicá-las com mais segurança, sem cair num deslize de parecer mal educado e de ser chamado até de anti-semita! Deus me livre!
“Nossa – espantou-se a professora – parabéns! Fazia tempo que eu não escutava argumentos sólidos na sala.”
“Ah, professora, deixa disso, a senhora sabe que são as suas aulas que nos fazem pensar tanto. Eu é que estou espantada por estar conseguindo pensar, isso sim, fazia tempo que não acontecia!”
FIM!

Resposta:

Pergunta #1299

(Continuação II)

A professora, percebendo os ruídos na sala chamou nossa atenção: “Algum problema?”
“Sim, professora – eu disse – de onde vem o termo Judaísmo?”
Ela se deteve por um breve instante e seguiu dizendo: “Judaísmo é o ambiente social, cultural, político e religioso do povo hebreu.”
“Não, professora, a senhora está definindo o termo, queremos saber a etimologia.”
“Ora, ora, o que vocês andam fazendo ultimamente?”
“Lendo, professora e assistindo aulas de história do Judaísmo! E agora quero aproveitar a oportunidade e salientar algo muito sério, se me permite. A senhora concorda quando usamos o termo judiar quando queremos dizer ‘maus tratos’?”
“Não” – ela respondeu.
“Por que?”
“Vamos fazer igual o Jack, por partes: O termo Judeu, deve ser usado apenas para designar o natural de Israel ou aquele que professa a religião judaica. Nunca empregue a palavra no sentido popular ou pejorativo de agiota e usurário.
“’Agiota’, professora? Credo, o que é isso, ele rima com um termo pouco simpático, não?
“Agiota vem de ágio. Ágio, viu? Não confunda com ágil. Ágio, significa usurário; especulador de fundos. Da mesma forma, substitua judiar por maltratar e judiação e judiaria por maus-tratos ou equivalente.”

Resposta:

Pergunta #1298

(Continuação I)

Estava atenta à aula de “História do Judaísmo”, até que uma colega cutucou-me com o cotovelo e perguntou-me: “Tem certeza que você está entendendo tudo?” Minha companheira entregou-me um pedaço de uma folha de seu caderno contendo diversas palavras que fugiam do seu entendimento. A primeira era justamente “Judaísmo”. Assim, até eu comecei a duvidar de um punhado de termos que foram saltitando à minha frente a partir daquele momento. Percebi que minha colega ia mais a fundo no assunto do que eu.
Baixinho eu lhe disse: “Ora, Judaísmo vem de judeu!”.
“Grande coisa!” – ela retrucou – “É só isso que você sabe?” E rimos… “Pois, é – continuei – seria o contrário? E o tal do Rabi Iohanan bem-Zakai, nome estranho, não é? Isso é grego ou o quê?”

Resposta:

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!